Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/15762
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorRosa, Roberto Maranhão-
dc.creatorCaiado, Rafael Coelho-
dc.creatorReis, Paulo Roberto de Melo-
dc.creatorLacerda, Elisângela de Paula Silveira-
dc.creatorSugita, Denis Masashi-
dc.creatorMrue, Fatima-
dc.date.accessioned2018-08-28T11:45:47Z-
dc.date.available2018-08-28T11:45:47Z-
dc.date.issued2015-
dc.identifier.citationROSA, Roberto Maranhão; CAIADO, Rafael Coelho; Paulo Roberto de Melo; LACERDA, Elisângela de Paula Silveira; SUGITA, Denis Masashi; MRUÉ, Fátima. Influence of surgical technique in the peritoneal carcinomatosis surgical wound implant: experimental model in mice. ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 13-16, 2015.pt_BR
dc.identifier.issne- 2317-6326-
dc.identifier.issn0102-6720-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/15762-
dc.description.abstractThe number of malignancies increased alarmingly. Surgery constitutes one of the most efficient therapeutic modalities for the treatment of solid tumors. The neoplastic implant in surgical wound is a complication whose percentage of occurrence reported in the literature is variable, but sets with high morbidity and therapeutic difficulties. Protecting the wound is one of the recommended principles of oncologic surgery. Aim: To evaluate the influence of wound protection in the development of tumor implantation. Methods: Sarcoma 180 tumor cells were used, with intraperitoneal inoculation in Swiss mice. After the establishment of neoplastic ascites, animals were randomized into two groups of 10, each group consisting of five males and five females. In both groups, laparotomy and manipulation of intra-abdominal organs was performed. In a group laparotomy was performed using the protection of the abdominal wound and the other group without it. On the 9 th postoperative day macroscopic evaluation of the operative scar was performed, which was later removed for microscopic evaluation. Results: There was microscopic infiltration of tumor cells in the wound of all animals. However, the group that held the protection, infiltration was less intense when compared to the group without it. The infiltration was also more severe in females than in males of the same group. Conclusion: Tumor infiltration into the wound was more intense in the group in which the protection of the surgical site was not performed, and in females when compared to males of the same group.pt_BR
dc.language.isoengpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAscitespt_BR
dc.subjectSarcoma 180pt_BR
dc.subjectModels, animalpt_BR
dc.subjectAscitespt_BR
dc.subjectSarcoma 180pt_BR
dc.subjectModels, animalpt_BR
dc.titleInfluence of surgical technique in the peritoneal carcinomatosis surgical wound implant: experimental model in micept_BR
dc.title.alternativeInfluência da técnica cirúrgica na implantação da carcinomatose peritoneal em ferida operatória: modelo experimental em camundongospt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoO número de neoplasias vem aumentando de maneira preocupante. O tratamento cirúrgico constitui-se em uma das modalidades terapêuticas mais eficientes para os tumores sólidos. O implante neoplásico em ferida operatória é complicação cujo percentual de ocorrência relatado na literatura é variável, porém configura alta morbidade e grande dificuldade terapêutica. A proteção da ferida operatória é um dos princípios de cirurgia oncológica recomendados, entretanto pouco estudado. Objetivo: Avaliar a influência da proteção de ferida operatória no desenvolvimento de implante tumoral na ferida operatória. Métodos: Foram utilizadas linhagens de células tumorais do Sarcoma 180, com inoculação intraperitoneal em camundongos Swiss. Após o estabelecimento da ascite neoplásica, os animais foram randomizados em dois grupos de 10, cada grupo composto por cinco machos e cinco fêmeas. Nos dois grupos foi realizada laparotomia e manipulação de órgãos intra- abdominais. Em um grupo a laparotomia foi realizada utilizando a proteção da ferida abdominal e no outro grupo sem proteção. No 9o dia pós-operatório foi realizada avaliação macroscópica da cicatriz operatória, sendo esta removida posteriormente para avaliação microscópica. Resultados: Houve infiltração microscópica de células tumorais na ferida operatória em todos animais. Porém, no grupo em que se realizou a proteção da ferida a infiltração foi menos intensa quando comparado ao grupo sem proteção. A infiltração também foi mais intensa nas fêmeas do que nos machos do mesmo grupo. Conclusão: A infiltração tumoral na ferida operatória foi mais intensa no grupo em que não foi realizada a proteção da ferida operatória e nas fêmeas quando comparadas aos machos do mesmo grupo.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.identifier.doi10.1590/s0102-67202015000100004-
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências Biológicas - ICB (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:ICB - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Roberto Maranhao Rosa - 2015.pdf1,06 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons