Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/16736
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorCardoso, Divina das Dôres de Paula-
dc.creatorFaria, Edson Luis de-
dc.creatorAzevedo, Marli da Silva Pereira de-
dc.creatorQueiróz, Divina Aparecida Oliveira-
dc.creatorMartins, Regina Maria Bringel-
dc.creatorSouza, Terezinha Teixeira de-
dc.creatorDaher, Roberto Ruhman-
dc.creatorMartelli, Celina Maria Turchi-
dc.date.accessioned2019-01-18T10:05:50Z-
dc.date.available2019-01-18T10:05:50Z-
dc.date.issued1996-07-
dc.identifier.citationCARDOSO, Divina das Dores P.; FARIA, Edson Luis de; AZEVEDO Marli S. Pereira de; QUEIROZ, Divina Aparecida O.; MARTINS, Regina Maria B.; SOUZA, Terezinha Teixeira de; DAHER, Roberto Ruhman; MARTELLI, Celina Maria Turchi. Soroepidemiologia para o vírus da Hepatite B (VHB) em gestantes/parturientes e sua transmissão para recém-nascidos em Goiânia-GO. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, v. 29, n. 4, p. 349-353, 1996.pt_BR
dc.identifier.issn0037-8682-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/16736-
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectRecém-nascidopt_BR
dc.subjectHepatite Bpt_BR
dc.subjectGestantept_BR
dc.titleSoroepidemiologia para o vírus da Hepatite B (VHB) em gestantes/parturientes e sua transmissão para recém-nascidos em Goiânia-GOpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoForam coletadas, entre março de 1990 e julho de 1992, 1459 amostras sanguíneas de mulheres gestantes/parturientes na cidade de Goiânia-GO, objetivando detecção da infecção pelo vírus da hepatite B (VHB), através dos marcadores sorológicos AgH.Bs e anti-HBs. O percentual de positividade encontrado, pelo teste imunoenzimático, foi de 7,5%, sendo 0,5% para AgHBs e 7,0% para anti-HBs. A análise efetuada, considerando a faixa etária, mostra que 7 de 8 mulheres AgHBs-posítivas pertenciam à faixa etária de até 30 anos, situação semelhante em relação ao anti-HBs(83/101). Das 8 mulheres positivas, 4 tiveram seus recém-nascidos submetidos a tratamento profilático com vacina (Engerix B) e imunoglobulina humana arai-hepatite B (HBIG). Além disso, 3 dessas crianças foram analisadas sorologicamente, sendo que unia era AgHBs-positiva ao nascimento. Doença sexualmente transmissível e transfusão sanguínea foram fatores de risco que correlacionaram significantemente com a infecção. Esses resultados parece-nos reforçar a indicação de triagem à infecção pelo vírus da hepatite B no período pré-natal, assim como a adoção de medidas imunoprofiláticas nas crianças nascidas de mães positivas.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.identifier.doi10.1590/S0037-86821996000400006-
dc.publisher.departmentInstituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - IPTSP (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:IPTSP - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Divina das Dôres de Paula Cardoso - 1996.pdf287,42 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons