Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18892
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorFreire, Maria do Carmo Matias-
dc.creatorSheiham, Aubrey-
dc.creatorBino, Yedda Avelino-
dc.date.accessioned2020-03-23T15:01:11Z-
dc.date.available2020-03-23T15:01:11Z-
dc.date.issued2007-
dc.identifier.citationFREIRE, Maria do Carmo Matias; SHEIHAM, Aubrey; BINO, Yedda Avelino. Hábitos de higiene bucal e fatores sociodemográficos em adolescentes. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 10, n. 4, p. 606-614, 2007.pt_BR
dc.identifier.issn1415-790X-
dc.identifier.issne- 1980-5497-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18892-
dc.description.abstractObjective: To investigate the oral hygiene habits of Brazilian adolescents and their relation with gender and socioeconomic status. Methods: Secondary data analyzed were from a cross-sectional study using self-completion questionnaires among 664 15-year-old schoolchildren randomly selected from public and private schools and their mothers, in Goiânia-GO, Brazil. Results: 51.8% of the sample comprised girls and 48.2% boys; 48.9% were from a high social class and 51.1% from a low social class. All adolescents said they cleaned their teeth. The main reasons were related to health (73.5%) and cleanliness (40.2%). Reasons varied by gender (p<0.001) and socioeconomic status (p<0.05). Most adolescents said they brushed their teeth three times or more a day (77.7%). The most common oral hygiene aids were toothbrush (97.6%), toothpaste (90.5%) and dental floss (69.1%). Females brushed their teeth with higher frequency than males (p=0.001). Main brushing times were after lunch (80.3%), before breakfast (73.5%) and before going to sleep (62.5%). Most adolescents (82.7%) said they did not need to be reminded to brush. Significantly, more males than females said they needed to be reminded (p=0.017). Mothers were the main person to remind them to brush (66.1%) and the person who gave them their first instructions on the importance of teeth cleaning (81.3%). Conclusions: Brazilian adolescents reported appropriate hygiene habits. Habits were influenced by gender and socioeconomic status.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectHábitospt_BR
dc.subjectNível socioeconômicopt_BR
dc.subjectAdolescentespt_BR
dc.subjectSexopt_BR
dc.subjectHigiene bucalpt_BR
dc.subjectHabitspt_BR
dc.subjectOral hygienept_BR
dc.subjectSocioeconomic statuspt_BR
dc.subjectAdolescentspt_BR
dc.subjectSexpt_BR
dc.titleHábitos de higiene bucal e fatores sociodemográficos em adolescentespt_BR
dc.title.alternativeSociodemographic factors associated with oral hygiene habits in brazilian adolescentspt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoObjetivo: Investigar os hábitos de higiene bucal de adolescentes e sua relação com o sexo e o nível socioeconômico. Métodos: Foram analisados dados secundários de um estudo transversal utilizando questionários auto-aplicáveis em 664 escolares de 15 anos, selecionados aleatoriamente de escolas públicas e privadas e suas mães, em Goiânia-GO. Resultados: 51,8% da amostra eram do sexo feminino e 48,2% do masculino, 325 (48,9%) pertenciam ao grupo de nível socioeconômico alto e 339 (51,1%) ao nível baixo. Todos os adolescentes afirmaram que limpavam os dentes. Os principais motivos foram relacionados à saúde (73,5%) e limpeza (40,2%). Os motivos foram associados ao sexo (p<0,001) e nível socioeconômico (p<0,05). A maioria dos adolescentes relatou escovar os dentes três vezes ou mais ao dia (77,7%). Os recursos de higiene mais relatados foram escova (97,6%), creme (90,5%) e fio dental (69,1%). Adolescentes do sexo feminino apresentaram maior freqüência de escovação do que os do masculino (p=0,001). Os horários de escovação mais comuns foram após o almoço (80,3%), antes do café da manhã (73,5%) e antes de dormir (62,5%). A maioria (82,7%) respondeu que não necessita ser lembrada para higienizar os dentes, sendo a necessidade mais freqüente entre os indivíduos do sexo masculino (p=0,017). A mãe foi relatada como a principal pessoa a lembrá-los para higienizar (66,1%) e a dar as primeiras instruções sobre a importância da limpeza dos dentes (81,3%). Conclusões: Os adolescentes relataram bons hábitos de higiene bucal, os quais são influenciados pelas variáveis sexo e nível socioeconômico.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.identifier.doi10.1590/S1415-790X2007000400018 -
dc.publisher.departmentFaculdade de Odontologia - FO (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:FO - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Maria do Carmo Matias Freire - 2007.pdf70 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons