Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/19195
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorRodrigues, Márcio Costa-
dc.creatorValva, Fabrizio D'Ayala-
dc.creatorBrasil, Edward Madureira-
dc.creatorChaves, Lázaro José-
dc.date.accessioned2020-10-26T12:44:07Z-
dc.date.available2020-10-26T12:44:07Z-
dc.date.issued2001-
dc.identifier.citationRODRIGUES, Márcio Costa et al. Comparison among inbreeding systems in mayze (Zea mays L.). Crop Breeding and Applied Biotechnology, Viçosa, v. 1, n. 2, p. 105-114, 2001.pt_BR
dc.identifier.issn1518-7853-
dc.identifier.issne- 1984-7033-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/19195-
dc.description.abstractThe use of less severe inbreeding systems than self-fertilization has been suggested as a means of developing more vigorous maize lines (Zea mays L.). To compare different inbreeding systems, nine traits were evaluated in inbred lines developed by full-sib mating (F=0.5), self-fertilization (F=0.5), half-sib mating (F= 0.305), from the following populations: BR 105, a synthetic variety, and ESALQ-PB 4 , which is a composite of wide genetic base. The means and genetic parameters comparisons showed no important advantages of full-sib crosses over selfing. The inbreeding depression values for grain yield were similar between these groups of lines and inferior for half-sib lines. The inbreeding depression rates / 1% of expected homozigosity were similar among the three inbreeding systems. We conclude, in view of large inbreeding depression showed by tropical populations of maize in Brazil, that it is more reasonable to allocate resources and time in breeding source populations than to use milder forms of inbreedingpt_BR
dc.language.isoengpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/*
dc.subjectMaizept_BR
dc.subjectZea mayspt_BR
dc.subjectInbreedingpt_BR
dc.subjectTropical maize populationspt_BR
dc.subjectInbreeding depressionpt_BR
dc.titleComparison among inbreeding systems in maizept_BR
dc.title.alternativeComparação entre sistemas de autofecundação em milhopt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoA utilização de sistemas de endogamia menos drásticos que a autofecundação tem sido sugerida como forma de obter linhagens mais vigorosas de milho (Zea mays L.). Com o objetivo de comparar diferentes sistemas de endogamia, no ano agrícola de 1990/91 foram avaliados nove caracteres em linhagens obtidas por cruzamento entre irmãos germanos (F = 0,5), por autofecundação (F = 0,5) e por cruzamento entre meios-irmãos (F = 0,305) a partir das populações BR 105, um sintético de base genética estreita, e ESALQ-PB 4, um composto de base genética ampla. A comparação entre médias e parâmetros genéticos não mostrou vantagens importantes das linhagens desenvolvidas por cruzamenots entre irmãos germanos sobre a autofecundação. Para o caráter peso de grãos, os valores de depressão por endogamia foram similares entre estes dois grupos de linhagens e inferiores para as linhagens de meios-irmãos, enquanto as taxas de depressão por endogamia / 1% de homozigose esperada foram similares entre os três sistemas. Concluiu-se que, em vista da elevada depressão por endogamia apresentada pelas populações de milho tropical trabalhadas no Brasil, parece mais razoável alocar recursos e tempo no melhoramento de populações do que na utilização de formas moderadas de endogamia.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Agronomia - EA (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:EA - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Márcio Costa Rodrigues - 2001.pdf586,86 kBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons