Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10412
Tipo do documento: Dissertação
Título: Espaço e existência dos trabalhadores com deficiência visual na cidade de Goiânia-GO: vivência clara e visões obscuras
Título(s) alternativo(s): Space and existence of visually impaired workers in the city of Goiânia-GO: clear experience and obscure visions
Autor: Corrêa, Ana Paula Saragossa
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/7823756372601926
Primeiro orientador: Chaveiro, Eguimar Felício
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/9540141505352914
Primeiro membro da banca: Chaveiro, Eguimar Felício
Segundo membro da banca: Silva, William Ferreira da
Terceiro membro da banca: Borges, Ronan Eustáquio
Resumo: Demandas de vida estão intrinsecamente relacionadas aos conflitos socioespaciais e à existência das pessoas com deficiência visual. Ao analisar o cotidiano das pessoas com deficiência visual, foi possível compreender que o espaço, ordenado pelos interesses do modo de produção capitalista, atravessa o sujeito com deficiência visual através das várias barreiras, concretas e abstratas, que verticalizam suas composições existenciais no mundo do trabalho. O objetivo geral da dissertação está em pesquisar o espaço e a existências dos trabalhadores com deficiência visual em Goiânia-GO. Para tanto, o estudo propõe investigar onde estão os trabalhadores deficientes visuais e quais cartografias existenciais esses sujeitos tecem na cidade. Nesse contexto, o principal problema da pesquisa está em descobrir como o espaço se interpõe à composição existencial do trabalhador com deficiência visual e como esses trabalhadores reverberam sua existência no espaço. A composição teórico-metodológica da dissertação está na tríade “espaço, sujeito e existência”, que pertence respectivamente à produção do espaço, às práticas sociais, entrelaçadas pelos conceitos geográficos de território e de lugar, e pelas questões subjetivas propostas pela teoria da micropolítica. Essas questões serão pesquisadas a partir dos apontamentos teóricos de Harvey (2008;2012), Santos (2004a;2004b), Souza (2013), Lefebvre (2011), Haesbaert (2007) e Berdoulay e Entrikin (2012). As tensões macropolíticas estão compostas pelos dados secundários de fontes governamentais, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), obtidos no último Censo realizado em 2010 e na última Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), ano-base de 2017. Além disso, Slee (2018), Pochmann (2014;2018) e Antunes (2019) ajudaram a desenhar o histórico sobre a categoria “Trabalho” no cenário nacional. A construção teórico-metodológica das Cartografias Existenciais partiu do pressuposto de que as percepções socioespaciais dos trabalhadores com deficiência visual são subjetivas, originadas da sua condição concreta no mundo social de que fazem parte (GUATTARI; ROLNIK, 1999). Para elaborar as Cartografias Existenciais foram entrevistados oito trabalhadores com deficiência visual, sendo cinco cegos e três com baixa visão. As Cartografias Existenciais demonstraram que o espaço geográfico é organizado para perpetuar os interesses do capitalismo. Conclui-se que os impedimentos, verificados através das barreiras arquitetônicas, urbanísticas e atitudinais, indicaram que a deficiência está decalcada pela opressão social de um corpo sem “eficiência” em um mundo organizado para a produção de capital. Dessa feita, defende-se que as Pessoas são produtoras de suficiências, sendo que o trabalho, na sua ontologia, cria possibilidades de vidas.
Abstract: Life demands are intrinsically related to socio-spatial conflicts and the existence of people with visual impairment. When considering the daily lives of visually impaired people, it was clear that the space - ordered by the interests of the capitalist methods of production - passes through the visually impaired subject through the various barriers: concrete and abstract, that verticalize their existential compositions in the world of work . The aim of this study is to research both the space and the existence of visually impaired workers in Goiânia-GO. For this purpose, this study investigates where the visually impaired workers are, and what existential cartographies these subjects provide in the city. The research problem is to discover how the space is interposed to the existential composition of the visually impaired worker and how they reverberate their existence in the space. This dissertation consists of theoretical and methodologically by the triad "space, subject and existence", belonging respectively to the production of space, so- cial practices, intertwined by geographical concepts of territory and place, and the subjective issues proposed by the micro-politics theory. These questions will be researched based on the theories of Harvey (2008; 2012), Santos (2004a; 2004b), Souza (2013), Lefebvre (2011), Haesbaert (2007) and Berdoulay and Entrikin (2012). The macro-political tensions are compounded by secondary data from government sources, such as the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE), obtained in the last Census conducted in 2010, and in the last Annual Social Information Report (RAIS), base year 2017. In addition, Slee (2018), Pochmann (2014;2018) and Antunes (2019) helped draw the history of the "Work" category on the national scene. The Existential Cartographies were based on the assumption that the socio-spatial perceptions of visually impaired workers are subjective, coming from their concrete condition in the social world (GUATTARI; ROLNIK, 1999). Eight visually impaired workers were interviewed to draw up the Existential Cartographies, five of whom were blind and three had low vision. It showed that the geographic space is organized to keep the interests of capitalism. It is concluded that the impediments, analyzed through the architectural, urban and attitudinal barriers, pointed that the disability is based on the social oppression of a body without "efficiency" in an organized world for the capital production.Therefor, it is argued that People are producers of sufficiency, and work, in its ontology, creates live possibilities.
Palavras-chave: Deficiência visual
Trabalho
Existência
Socioespacial
Geografia
Goiânia-GO
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Regional Jataí (RJ)
Programa: Programa de Pós-graduação em Geografia (RJ)
Citação: CORRÊA, A. P. S. Espaço e existência dos trabalhadores com deficiência visual na cidade de Goiânia-GO: vivência clara e visões obscuras. 2020. 132 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal de Goiás, Jatai, 2020.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10412
Data de defesa: 14-Fev-2020
Aparece nas coleções:Mestrado em Geografia (RJ)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Ana Paula Saragossa Corrêa - 2020.pdf2,84 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons