Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11885
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorFaria, Rogério Rodrigues-
dc.creatorBraga, Rosana Talita-
dc.creatorMioto, Camila Leonardo-
dc.creatorParanhos Filho, Antônio Conceição-
dc.creatorSouza, Franco Leandro-
dc.creatorBini, Luis Mauricio-
dc.date.accessioned2017-05-10T15:46:54Z-
dc.date.available2017-05-10T15:46:54Z-
dc.date.issued2013-04-
dc.identifier.citationFARIA, Rogério Rodrigues; BRAGA, Rosana Talita; MIOTO, Camila Leonardo; PARANHOS FILHO, Antônio Conceição; SOUZA, Franco Landro; BINI, Luis Mauricio. Correspondências entre classificações fisiográficas e padrões espaciais de assembleias de aves e mamíferos no Pantanal Brasileiro. Ecología Austral, Córdoba, v. 23, n. 1, p. 8-17, abr. 2013.pt_BR
dc.identifier.issne- 0327-5477-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/11885-
dc.description.abstractCorrespondence between physiographic classifications and spatial patterns of β diversity in mammal and bird species assemblages in the Brazilian Pantanal: Previous studies in the Brazilian Pantanal suggest that physiographic heterogeneity could be used to delimit different subregions. However, the extent to which these regionalisations reflect spatial patterns of variation in beta diversity for different taxonomic groups has not been tested yet. The aim of this paper was to evaluate whether current regionalization schemes proposed for the Brazilian Pantanal adequately describe patterns of beta diversity in mammals and birds. The presence-absence of each mammal and bird species was recorded at each of the eighty 0.5x0.5 degree cells in a squared grid map. A Jaccard similitude index was used to estimate the similarity between each pair of cells. A non-hierarchical classification method (k-means) was applied to obtain “a posteriori” classification of cells into subregions. The classification strength (CS) of each physiographic scheme and the “a posteriori” classification was the difference between mean similarity within (W) and between (B) subidivisions (CS=W-B). Both classifications (“a priori” and ”a posteriori”) showed low values of CS, which indicates that they were not suitable to represent the beta diversity patterns in mammals and birds within the Brazilian Pantanal. The results suggest that, probably because the large geographic ranges and low levels of endemism in these taxa, physiographic classifications of the Brazilian Pantanal are no reliable shortcuts to represent beta diversity patterns in mammal and birds. Thus, detailed biological inventories are necessary to propose consistent local conservation plans in this highly diverse and threatened region.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherAsociación Argentina de Ecologíapt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectRegionalizaçãopt_BR
dc.subjectÁreas úmidaspt_BR
dc.subjectBiodiversidade animalpt_BR
dc.subjectK-meanspt_BR
dc.subjectTáxons como substitutopt_BR
dc.subjectForças de classificaçãopt_BR
dc.subjectWetlandspt_BR
dc.subjectAnimal biodiversitypt_BR
dc.subjectTaxa as surrogatept_BR
dc.subjectClassification strengthspt_BR
dc.titleCorrespondências entre classificações fisiográficas e padrões espaciais de assembleias de aves e mamíferos no Pantanal Brasileiropt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.typeTrabalho publicado em eventopt_BR
dc.description.resumoEstudos prévios no Pantanal brasileiro sugerem que heterogeneidade fisiográfica poderia ser usada para delimitar diferentes sub-regiões. Todavia, a magnitude na qual essas regionalizações refletem padrões espaciais de variação na diversidade beta para diferentes grupos taxonômicos não foi testada até o momento. O objetivo deste trabalho foi avaliar se os esquemas de regionalização propostos para o Pantanal brasileiro descrevem adequadamente a diversidade beta para aves e mamíferos. A presença e ausência de cada espécie de mamíferos e aves foram registradas em cada uma das 80 células de 0.5x0.5 graus em um mapa de grade quadriculada. O índice de similaridade de Jaccard foi usado para estimar a similaridade em cada par de células. Um método de classificação não hierárquico (k-means) foi aplicado para obter classificação “a posteriori” das células dentro de sub-regiões. As forças de classificações (CS) de cada classificação fisiográfica e “a posteriori” foi a diferença entre similaridade média dentro (W) e entre (B) subdivisões (CS=W-B). Ambas as classificações (“a priori” e “a posteriori”) apresentaram baixos valores de CS, o que indica que elas não são aptas a representar os padrões de diversidade beta de mamíferos e aves dentro do Pantanal brasileiro. Os resultados sugerem que, provavelmente por causa da ampla distribuição geográfica e os baixos níveis de endemismo destes táxons, classificações fisiográficas do Pantanal brasileiro não são atalhos confiáveis para representar os padrões de diversidade beta de aves e mamíferos. Deste modo, inventários biológicos detalhados são necessários para a proposição de planos de conservação locais consistentes para esta região altamente diversa e ameaçada.pt_BR
dc.publisher.countryArgentinapt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências Biológicas - ICB (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:ICB - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Rogério Rodrigues Faria - 2013.pdf3,18 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons