Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/12029
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisor1Viana, Ricardo Borges-
dc.creatorBarbosa, Gabriel Augusto de Lima-
dc.date.accessioned2017-06-07T13:35:45Z-
dc.date.available2017-06-07T13:35:45Z-
dc.date.issued2017-02-
dc.identifier.citationBARBOSA, Gabriel Augusto de Lima. Transtornos de humor em praticantes de Crossfit®. 2017. 37 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Faculdade de Educação Física e Dança, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/12029-
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Goiáspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCrossfit®pt_BR
dc.subjectExercício físicopt_BR
dc.subjectTranstornos de humorpt_BR
dc.titleTranstornos de humor em praticantes de Crossfit®pt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.description.resumoIntrodução - Nos últimos anos, ocorreu um crescimento no número de pessoas praticantes de atividades físicas e exercícios físicos. Dentre as modalidades de exercício físico podemos destacar o CrossFit®. A respeito dos benefícios proporcionados pela prática regular de exercício físico, evidências científicas mostram efeito positivo de diversos tipos de exercícios nos níveis de humor de seus praticantes. Objetivo – Avaliar os transtornos de humor em praticantes de CrossFit®. Metodologia – Participaram do estudo 28 indivíduos (20 mulheres e 8 homens), com 30,2±7,1 anos, 68,7±13,6 kg de massa corporal, 1,66±0,1 de estatura e índice de massa corporal de 24,68±3,75. O estado de humor foi avaliado pelo questionário Profile Of Mood States (POMS) antes e após 8 semanas da prática de CrossFit®. Os participantes foram alocados em dois diferentes grupos: Grupo que praticava apenas CrossFit® (GC) e Grupo que praticava outras modalidades além do CrossFit®. Resultados - No geral o distúrbio total de humor sofreu um ligeiro aumento, mas não foi significativo (P = 0,2683). A depressão aumentou aproximadamente 45,9% (P = 0,0438). Em relação aos grupos GC e GCO, verificou-se um aumento de 51,4% (P = 0,0263) no estado de depressão apenas no grupo GCO. Nenhuma outra alteração estatisticamente significativa foi encontrada entre as variáveis analisadas. Conclusão – Após oito semanas treinando CrossFit®, os indivíduos pesquisados apresentaram em geral um aumento significativo no estado de depressão. Quando analisados por grupos, também foi encontrado um aumento significativo no estado de depressão dos participantes. Enquanto no grupo GC não houve alterações significativas em nenhum dos estados de humor analisados.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFGpt_BR
dc.contributor.referee1Viana, Ricardo Borges-
dc.publisher.departmentFaculdade de Educação Física e Dança - FEFD (RG)pt_BR
dc.publisher.courseEducação Físicapt_BR
Aparece nas coleções:FEFD - Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCCG - Educação Física - Gabriel Augusto de Lima Barbosa - 2016.pdf1,45 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons