Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/14919
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorKorelc, Martina-
dc.date.accessioned2018-05-14T11:35:03Z-
dc.date.available2018-05-14T11:35:03Z-
dc.date.issued2016-06-
dc.identifier.citationKORELC, Martina. Aspectos metafísicos do idealismo em Husserl. Philósophos, Goiânia, v. 21, n. 1, p. 111-137, jan./jun. 2016. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/philosophos/article/view/42715/21702>.pt_BR
dc.identifier.issne-1982-2928-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/14919-
dc.description.abstractIn a present paper I argue that there is metaphysical dimension of the husserlian Idealism, for it implicates a reflection upon a Being. It is presented the relation between the thinking and the Being in Husserl’s Philosophy and the meaning of the Being that results from it; the two regions of Being are the Consciousness, held for the original dimension of Being, from which the worldly or real Being derives as the meaning constituted by the Consciousness. The transcendental Idealism is the unique philosophy capable of explaining the original sense of Being, as response to epistemological and practical demands. Finally I present the sense of Being as act of being, the sense stemming from thomistic Metaphysics, as a possibility to think the sense of Being above the phenomenological Idealism.pt_BR
dc.description.sponsorshipUFGpt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherAraceli Vellosopt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectIdealismopt_BR
dc.subjectMetafísicapt_BR
dc.subjectSerpt_BR
dc.subjectPensamentopt_BR
dc.subjectIdealismpt_BR
dc.subjectMetaphysicspt_BR
dc.subjectBeingpt_BR
dc.subjectThinkingpt_BR
dc.titleAspectos metafísicos do idealismo em Husserlpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoNo presente texto argumento que, na medida em que implica uma compreensão do ser, há um aspecto metafísico no idealismo de Husserl; apresento como Husserl pensa a relação entre o ser e o pensamento, e o sentido do ser que resulta disso, tanto para a consciência que é considerada a esfera originária do ser, como para o ser dos entes mundanos, cujo sentido é constituído pela vida da consciência. É apenas o idealismo transcendental que, para Husserl, elucida o sentido originário do ser, tanto em função das exigências epistemológicas, como também em função das exigências práticas. No fim apresento o sentido do ser como ato de ser, proveniente da tradição metafísica aristotélico-tomista, como uma possibilidade de pensar para além do idealismo de Husserl.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFGpt_BR
dc.identifier.doi10.5216/phi.v21i1.42715-
dc.publisher.departmentFaculdade de Filosofia - FAFIL (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:FAFIL - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Martina Korelc - 2016.pdf272,61 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons