Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18414
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorKlotz, Hans Christian-
dc.date.accessioned2019-12-09T12:19:46Z-
dc.date.available2019-12-09T12:19:46Z-
dc.date.issued2015-12-
dc.identifier.citationKLOTZ, Hans Christian. Fichte e Jacobi sobre especulação e vida. Revista de Filosofia: Aurora, Curitiba, v. 27, n. 42, p. 785-789, set./dez. 2015.pt_BR
dc.identifier.issne- 1980-5934-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18414-
dc.description.abstractThis paper aims to elucidate the controversy between Fichte and Jacobi at the stage of the Science of Knowledge “nova methodo”. It is contended that, at this stage, the Jacobian op position between “speculation” and “faith” (or “life”) coined the methodology of the Science of Knowledge. As shown by Fichte’s writings related to the controversy on Atheism, Fichte had appropriated Jacobi’s arguments against the knowledge of understanding – which is exclusively oriented by the principles of theoretical-constructive explanation – and adopted the conception of the Science of Knowledge as an elucidation of the “unconditioned” that stems from the evidence of faith, this evidence being understood as essentially practical. In this respect, the methodology of the Science of Knowledge nova methodo corresponds to the conception of the knowledge of “reason” that Jacobi presented in the second edition of his book on Spinoza’s doctrine. However, despite this agreement with Jacobi, a divergence arises between the positions of Fichte and Jacobi, since the Science of Knowledge does not adopt a realist attitude towards the objects of experience, which is indispensable from the point of view of “life”, thereby submitting the latter to a constructive explanation.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectFichtept_BR
dc.subjectJacobipt_BR
dc.subjectSaberpt_BR
dc.subjectpt_BR
dc.subjectVidapt_BR
dc.subjectKnowledgept_BR
dc.subjectFaithpt_BR
dc.subjectLifept_BR
dc.titleFichte e Jacobi sobre especulação e vidapt_BR
dc.title.alternativeFichte and Jacobi on speculation and lifept_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoO objetivo deste artigo é elucidar a polêmica entre Fichte e Jacobi na fase da Doutrina da Ciência nova methodo. Defende-se que nessa fase a oposição jacobiana entre “especula- ção” e “fé” (ou “vida”) cunhou a metodologia da Doutrina da Ciência. Como mostram os escritos de Fichte que estão relacionados com a querela do ateísmo, Fichte apropriou-se da crítica de Jacobi ao conhecimento do entendimento que se orienta exclusivamente pelos princípios da explicação teórico-construtiva e adotou a concepção da Doutrina da Ciência como uma elucidação do “condicionado” que parte da evidência da fé, esta evidência sendo entendida como essencialmente prática. Sob esse aspecto, a metodo logia da Doutrina da Ciência nova methodo corresponde à concepção do conhecimento da “razão” que Jacobi apresentou na segunda edição do seu livro sobre a doutrina de Espinosa. No entanto, apesar desse consenso com Jacobi há uma divergência entre a posição de Fichte e a de Jacobi, na medida em que a Doutrina da Ciência não adota o realismo acerca dos objetos da experiência que é indispensável no ponto de vista da “vida”, submetendo este a uma explicação construtiva.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.identifier.doi10.7213/aurora.27.042.DS07-
dc.publisher.departmentFaculdade de Filosofia - FAFIL (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:FAFIL - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Hans Christian Klotz - 2015.pdf1,19 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons