Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18693
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorTaveira, Cláudia Teixeira-
dc.creatorMáximo, Aline Abreu-
dc.creatorSouza, João Batista de-
dc.creatorMoreira, Francine do Couto Lima-
dc.creatorLopes, Lawrence Gonzaga-
dc.date.accessioned2020-02-14T15:28:10Z-
dc.date.available2020-02-14T15:28:10Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.citationTAVEIRA, Cláudia Teixeira et al. Avaliação do controle de infecção de espátulas para resinas compostas - um estudo com cirurgiões dentistas da cidade de goiânia-GO. Robrac: revista odontológica do Brasil Central, Goiânia, v. 19, n. 48, p. 38-41, 2010.pt_BR
dc.identifier.issn2359-3466-
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18693-
dc.description.abstractThe aim of this study was to verify using of decontamination techniques of spatulas for resin composites during restorative procedures by dentists of Goiânia city and which techniques are adopted. The present study was realized with dentists of Goiânia, through questionnaires that asked for the frequency of resin uses, the infection control methods adopted, the absolute isolation uses, the resin composite form of presentation, the utilization of decontamination techniques of spatula during a restorative procedure and which are those techniques. It was verified that more than a half of the interrogated professionals don’t use methods of spatulas decontamination during restorative procedures. Moreover, the resin presentation form more used was in tube in almost 100% of the answers; 24% of dentists questioned hardly ever or never use the absolute isolation; and 49% of professionals that realizes the decontamination make only two frictions with alcohol 70%. Was concluded that the use of decontamination methods of spatulas among the incremental application of resin composite are procedures little adopted and that there is not standardization among the professionals in relation to a certain disinfection technique.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectResinas compostaspt_BR
dc.subjectDescontaminaçãopt_BR
dc.subjectInstrumentos odontológicospt_BR
dc.subjectResin compositespt_BR
dc.subjectDental instrumentspt_BR
dc.subjectDecontaminationpt_BR
dc.subjectDentistpt_BR
dc.titleAvaliação do controle de infecção de espátulas para resinas compostas - um estudo com cirurgiões dentistas da cidade de Goiânia-GOpt_BR
dc.title.alternativeEvaluation of spatulas for resin composites infection control - a study with dentists of Goiânia citypt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoO objetivo deste trabalho foi verificar a utilização, pelos cirurgiões dentistas da cidade de Goiânia-GO, de técnicas de descontaminação em espátulas para resinas compostas durante procedimentos restauradores e quais as técnicas adotadas. O presente estudo foi realizado com cirurgiões-dentistas da cidade de Goiânia-GO, por meio de questionários que continham questões sobre a freqüência de utilização da resina, os métodos de controle de infecção adotados, o uso do isolamento absoluto, a forma de apresentação da resina composta, a utilização de técnicas de descontaminação de espátula durante o procedimento restaurador e quais técnicas adotadas. Verificou-se que mais da metade dos profissionais argüidos não utilizam métodos de descontaminação para as espátulas durante o procedimento restaurador. Além disso, a resina composta em bisnaga foi a forma de apresentação relatada em quase 100% das respostas; 24% dos cirurgiões-dentistas argüidos quase nunca ou nunca realizam o isolamento absoluto; e 49% dos profissionais que realizam a descontaminação se limitam a duas fricções com álcool 70%. Concluiu-se que métodos de descontaminação da espátula de resina composta entre a aplicação incremental de resina composta são pouco adotados e não há uma padronização entre os profissionais com relação a uma determinada técnica de desinfecção.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Odontologia - FO (RG)pt_BR
Aparece nas coleções:FO - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Cláudia Teixeira Taveira - 2010.pdf267,88 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons