Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/20086
Tipo do documento: Artigo
Título: Utilização de termografia infravermelha para avaliação de fissuras em fachadas com revestimento de argamassa e pintura
Título(s) alternativo(s): Using infrared thermography to evaluate cracks on facades rendered with mortar and painting
Autor: Freitas, Juliana Gomes de
Carasek, Helena
Cascudo, Oswaldo
Resumo: As fachadas dos edifícios estão expostas aos fenômenos climatológicos da região em que se localizam. A falta de adequada compreensão da interação entre os ciclos de temperatura e de umidade e os revestimentos de fachada favorece sua degradação. Nesse contexto, o monitoramento e o estudo do efeito desses aspectos físicos são importantes para a garantia da durabilidade das fachadas. Em outros países a termografia infravermelha vem sendo utilizada como técnica não destrutiva para a avaliação de problemas nas edificações. Nesse sentido, o presente trabalho tem como objetivo aplicar a termografia na avaliação de manifestações patológicas relacionadas à temperatura em revestimentos de fachadas. Para tanto, realizaram-se imagens utilizando um termovisor em diferentes horários do dia nas estações seca e chuvosa em uma edificação da cidade de Goiânia, GO. Aferiu-se também a temperatura superficial, em pontos das quatro orientações das fachadas. Por fim, mapearam-se as manifestações patológicas existentes com o auxílio de programa computacional. Como resultado, verificou-se que parte das fissuras levantadas foi visualizada nas imagens térmicas. Verificou-se, também, que o período seco e o horário da tarde provocaram maiores diferenças nas temperaturas superficiais, resultando em isotérmicas mais claras, o que possibilitou a obtenção de imagens que revelaram alguns dos problemas mapeados.
Abstract: Building facades are exposed to the climatic phenomena of the region where they are located. The lack of adequate understanding of the interaction between temperature and humidity and the facade renderings contributes to their degradation. In this context, the monitoring and the study of the effects of these physical aspects are desirable in order to guarantee the durability of the facades. In other countries, infrared thermography is being used as a nondestructive technique to evaluate problems in buildings. This study focuses on the application of thermography in the evaluation of pathologies related to temperature in facade renderings of buildings in the city of Goiania, Brazil. In order to do that, thermal images were made using a thermal camera at different times of the day in the dry season and in the rainy season. In addition, the surface temperature in parts of the facades in the four directions was measured. Finally, the degradation of the facades was mapped with the aid of a computer program. The results demonstrated that some of the cracks mapped were shown in the thermal images. Also, significant differences in surface temperature were observed during the dry season and in the afternoon, resulting in clearer isothermals, making it possible to obtain images that revealed some of the problems mapped.
Palavras-chave: Fachada
Facade
Revestimento
Fissura
Temperatura
Termografia infravermelha
Rendering
Infrared thermography
Cracks
Temperature
País: Brasil
Unidade acadêmica: Escola de Engenharia Civil e Ambiental - EECA (RG)
Citação: FREITAS, Juliana Gomes de; CARASEK, Helena; CASCUDO, Oswaldo. Utilização de termografia infravermelha para avaliação de fissuras em fachadas com revestimento de argamassa e pintura. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 14, n. 1, p. 57-73, jan./mar. 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Identificador do documento: 10.1590/S1678-86212014000100006
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Identificador do documento: 10.1590/S1678-86212014000100006
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/20086
Data de publicação: Mar-2014
Aparece nas coleções:EECA - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo - Juliana Gomes de Freitas - 2014.pdf1,12 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons