Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tde/2995
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorDiniz, Sávia Barros-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8895351011212842por
dc.contributor.advisor1Santos, Dulce Oliveira Amarante dos-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2317207486041256por
dc.date.accessioned2014-09-03T11:09:22Z-
dc.date.issued2013-04-25-
dc.identifier.citationDINIZ, Sávia Barros. Mulheres na imprensa: representações femininas no Correio Oficial, Cidade de Goiás (1930-1936). 2013. 181 f. Dissertação (Mestrado em Historia (FH) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2013.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tde/2995-
dc.description.resumoEssa dissertação tem como objeto de investigação as representações femininas forjadas nas crônicas e artigos jornalísticos publicados no Correio Oficial – um misto de órgão oficial, noticioso e opinativo – da Cidade de Goiás, entre os anos de 1930 e 1936. Os discursos que emanam desses textos foram gerados num contexto sócio-político de transição entre a denominada Belle Époque – passando pelas crises e reviravoltas da década de 1920 e pelo o advento da Revolução de 1930 – e a instauração do Estado Novo de Getúlio Vargas. Um contexto marcado por profundas mudanças político-econômicas e socioculturais na sociedade brasileira, mas também por insistentes permanências, ambas refletidas na e por meio da imprensa da Cidade de Goiás. Os textos jornalísticos do Correio – escritos majoritariamente por médicos, religiosos, professores, funcionários públicos e intelectuais – são aqui interpretados sob a perspectiva das relações de gênero. O foco principal da investigação é voltado para as representações das mulheres vilaboenses, construídas e difundidas por meio desses discursos, que buscavam delimitar comparativamente os limites e especificidades próprios das esferas do feminino e do masculino. Tais representações são estudadas levando em conta o dilema vivido pelas mulheres vilaboenses entre as alternativas da tradição e da transgressão, seja no âmbito mais restrito da vida privada, doméstica e familiar (casamento, divórcio, comportamento, moda, consumo, cultura, autonomia) ou no âmbito mais amplo da vida pública (cultura, educação, sociabilidade, trabalho, profissionalização, cidadania e emancipação).por
dc.description.abstractThis work presents an historical research on the representations of women in the chroniques and articles from a Brazilian newspaper (City of Goiás), Correio de Goiás, in the period 1930-1936. Despite its name, this newspaper was a mixture of official documents, political and social news and opinions columns. This discourses had been generated in political and social transition context from the Belle Epoche, the crisis of the decade of 1920, the advent of the Revolution of 1930 and the Estado Novo of Getúlio Vargas. This context had been marked by social, political and economic changes but at same time by permanences in the Brazilian society. The newspaper texts had been written by doctors, religious men, teachers, civil servants and intellectuals and had been analysed through the historical category of gender relations. This research focuses on the representations of women, which had been built and spread through those newspaper discourses. Such representations in the press had sought to establish the boundaries of social roles of men and women in the City of Goiás. The vilaboenses women had to face and choose between tradition and transgression or in their private daily life (marriage, divorce, attitides, fashion, consumption etc.) or in their urban life (work, sociability, education, culture, citizenship and emancipation)eng
dc.description.provenanceSubmitted by Cássia Santos (cassia.bcufg@gmail.com) on 2014-09-03T11:09:21Z No. of bitstreams: 2 Dissertacao Savia Diniz.pdf: 1319842 bytes, checksum: e419755bfe224b2ee528f044d61cb020 (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2014-09-03T11:09:22Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Dissertacao Savia Diniz.pdf: 1319842 bytes, checksum: e419755bfe224b2ee528f044d61cb020 (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Previous issue date: 2013-04-25eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPqpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://repositorio.bc.ufg.br/tede/retrieve/7079/Dissertacao%20Savia%20Diniz.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Goiáspor
dc.publisher.departmentFaculdade de História - FH (RG)por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFGpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Historia (FH)por
dc.relation.referencesAGI - Associação Goiana de Imprensa. Imprensa goiana, depoimentos para a sua história. Goiânia: Cerne, 1980. ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. As sombras do tempo: A saudade como maneira de viver e pensar o tempo e a história. In: ERTZOGUE, Marina Haizenreder; PARENTE, Temis Gomes (Orgs.). História e Sensibilidade. Brasília: Paralelo 15, 2006. p. 117-139. ALGRANTI, Leila Mezan. Honradas e devotas: mulheres da colônia, condição feminina nos conventos e recolhimentos do sudeste do Brasil, 1750-1822. Rio de Janeiro: J. Olympio; Brasília: Ed. UnB, 1993. ARRAIS, Cristiano Alencar. Fronteira e cultura política nacional: a revolução de 1930 em Goiás. Fragmentos de Cultura, Goiânia, v. 17, n. 9/10, p. 821-838, set./out. 2007. AZZI, Riolando. Família, mulher e sexualidade na Igreja do Brasil (1930-1964). In: MARCÍLIO, Maria Luiza (Org.). Família, mulher, sexualidade e Igreja na história do Brasil. São Paulo: CEDHAL; CEHILA; Loyola, 1993. p. 101-134. BASSANEZI, Carla. Virando as páginas, revendo as mulheres: revistas femininas e relações homem-mulher 1945-64. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996. BEISIEGEL, Celso de Rui. Educação e sociedade no Brasil após 1930. In: FAUSTO, Boris (dir.). O Brasil republicano: economia e cultura (1930-1964). 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995. p. 381-416. (História Geral da Civilização Brasileira; t. 3, v. 4) BEOZZO, José Oscar. A Igreja entre a Revolução de 1930, o Estado Novo e redemocratização. In: FAUSTO, Boris (dir.). O Brasil Republicano: economia e cultura (1930-1964). 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995. p. 272-326. (História Geral da Civilização Brasileira; t. 3, v. 4) BITTAR, Maria José Goulart. As três faces de Eva na Cidade de Goiás. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal de Goiás (UFG). Goiânia, 1997. BORGES, Barsanufo Gomides. O despertar dos dormentes: estudo sobre a Estrada de Ferro em Goiás e seu papel nas transformações das estruturas regionais: 1909-1922. Goiânia: Cegraf/UFG, 1990. BORGES, Venerando de Freitas. Depoimentos. In: AGI - Associação Goiana de Imprensa. Imprensa goiana, depoimentos para a sua história. Goiânia: Cerne, 1980. p. 335. BUITONI, Dulcilia. A Imprensa Feminina. São Paulo: Ática, 1986. BUITONI, Dulcilia. Mulher de papel: representações de mulher pela imprensa feminina brasileira. São Paulo: Loyola, 1981. BUTLER, Judith. Problemas de gênero. Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. CÂMARA, Jaime. Nos tempos de Frei Germano. Goiânia: Ed. O Popular, 1973. CAMPOS, Francisco Itami. Coronelismo em Goiás. Goiânia: Ed. UFG, 1983. CÂNDIDO, Antônio. A Revolução de 1930 e a cultura. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, v. 2, n. 4, p. 27-36, abr. 1984. CARRARA, Sérgio Luis; RUSSO, Jane Araújo. A psicanálise e a sexologia no Rio de Janeiro de entreguerras: entre a ciência e a auto-ajuda. História, Ciências, Saúde - Manguinhos, Rio de Janeiro, vol. 9, n. 2, p. 273-290, maio/ago. 2002. CARVALHO, Maria Meire de; SANT’ANNA, Thiago. Ações culturais e políticas feministas: a “Federação Goyana pelo Progresso Feminino” – um efeito múltiplo da emancipação das mulheres em Goiás (séc. XIX-XX). Temporis[ação], Unidade Universitária Cora Coralina, revista eletrônica, v. 1, n. 9, p. 190-202, 2007. Disponível em: http://www.nee.ueg.br/seer/index.php/temporisacao/article/viewFile/25/40/ Acesso em: 24 set. 2012. CARVALHO, Maria Meire de; SANT’ANNA, Thiago. O Gabinete Literário e a Federação Goiana para o Progresso Feminino. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás, Goiânia, n. 20, p. 103-113, 2009. CAVALCANTE, Maria do Espírito Santo Rosa (Org.). Mulheres em narrativas, Goiás século XIX. Vol. 1. Goiânia: Kelps; Ed. PUC-GO, 2011. CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre incertezas e inquietude. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2002. CHARTIER, Roger. Defesa e ilustração da noção de representação. Fronteiras, Dourados, MS, v. 13, n. 24, p. 15-29, jul./dez. 2011. CHARTIER, Roger. Diferenças entre os sexos e dominação simbólica. Cadernos Pagu, v. 4, p. 37-47, 1995. CHARTIER, Roger. História Cultural. Entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1988. CHARTIER, Roger. O mundo como representação. Estudos Avançados, 11 (5), p. 173-191, 1991. CHAUÍ, Marilena. Repressão sexual: essa nossa (des)conhecida. São Paulo: Brasiliense, 1984. CHAUL, Nasr Nagib Fayad. A construção de Goiânia e a transferência da capital. Goiânia: Cegraf/UFG, 1988. CHAUL, Nasr Nagib Fayad. Caminhos de Goiás: da construção da decadência aos limites da modernidade. Goiânia: Ed. UFG; Ed. UCG, 1997. COELHO, Gustavo Neiva. Guia dos bens imóveis tombados em Goiás. Vol. 1. Goiânia: Trilhar Urbana, 2001. COHEN, Ilka Stern. Diversificação e segmentação dos impressos. In: MARTINS, Ana Luiza; LUCA, Tania Regina de (Orgs.). História da imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008. p. 103-130. COSTA, Cláudia de Lima. O sujeito no feminismo. Cadernos Pagu, v. 19, p. 59-90, 2002. COSTA, Suely Gomes. Gênero e História. In: ABREU, Martha; SOIHET, Rachel (Org.). Ensino de História: conceitos temáticos e metodologia. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003. COSTA, Suely Gomes. Metáforas do tempo e do espaço doméstico. Rio de Janeiro, século XIX. Tese (Doutorado) – Universidade Federal Fluminense (UFF). Niterói, 1996. D’INCAO, Maria Ângela. Mulher e família burguesa. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das Mulheres no Brasil. 9ª ed. São Paulo: Contexto, 2009. p. 223-240. DAVIS, Natalie Zemon. Nas margens: três mulheres do século XVII. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. DAYRELL, Eliane Garcindo. O PCB -GO: 1936 -1948. Tese (Doutorado em História). FFLCH/ Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, 1984. DEL PRIORE, Mary. Ao sul do corpo: condição feminina, maternidade e mentalidades no Brasil Colônia. Rio de Janeiro: J. Olympio; Brasília: Ed. UnB, 1993. DEL PRIORE, Mary. História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto; Unesp, 1997. DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE GOIÁS. Disponível em: http://pt.io.gov.mo/Links/record/493.aspx. Acesso em: 9 out. 2012. DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Quotidiano e poder em São Paulo no século XIX. São Paulo: Brasiliense, 1984. DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Teoria e método dos estudos feministas: perspectiva histórica e hermenêutica do cotidiano. In: COSTA, Albertina; BRUSCHINNI, Cristina (Orgs.). Uma questão de gênero. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos; São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 1992. p. 39-53. DUBY, Georges; PERROT, Michelle. As mulheres e a história. Lisboa: Dom Quixote, 1995. ELEUTÉRIO, Maria de Lourdes. Imprensa a serviço do progresso. In: MARTINS, Ana Luiza; LUCA, Tania Regina de (Orgs.). História da imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008. p. 83-102. ENGEL, Magali. Meretrizes e doutores: saber médico e prostituição no Rio de Janeiro (1840-1890). São Paulo: Brasiliense, 1989. ESTEVES, Martha de Abreu. Meninas perdidas: os populares e o cotidiano do amor no Rio de Janeiro da Belle Époque. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989. FAUSTO, Boris. A crise dos anos vinte e a Revolução de 1930. In: FAUSTO, Boris (Dir.). O Brasil Republicano: sociedade e instituições (1889-1930). 3ª ed. São Paulo: Difel, 1985. p. 401-426. (História Geral da Civilização Brasileira; t. 3, v. 2) FAUSTO, Boris. A revolução de 1930: historiografia e história. São Paulo: Brasiliense, 1970. FERREIRA, Marieta de Moraes; PINTO, Surama Conde Sá. A Crise dos anos 20 e a Revolução de Trinta. Rio de Janeiro: CPDOC, 2006. Disponível em: “http://cpdoc.fgv.br/producao_intelectual/arq/1593.pdf” Acesso em: 21 de set. 2008. FIGUEIREDO, Luciano. O avesso da memória: cotidiano e trabalho da mulher em Minas Gerais no século XVIII. Rio de Janeiro: J. Olympio; Brasília: Ed. UnB, 1993. FREITAS, Lena Castello Branco Ferreira de. Goiânia: locus privilegiado da saúde. In: ___. (Org.) Saúde e doenças em Goiás: a medicina possível. Goiânia: Ed. UFG, 1999. ___________________ Poder e paixão: a saga dos Caiado. Vol. 1. Goiânia: Cânone Editorial, 2009. GALVÃO, Maria Rita; SOUZA, Carlos Roberto. Cinema Brasileiro: 1930-1964. In: FAUSTO, Boris (dir.). O Brasil Republicano: economia e cultura (1930-1964). 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995. p. 463-500. (História Geral da Civilização Brasileira; t. 3, v. 4) GALVÃO. Patrícia. Parque industrial. São Paulo: Alternativa, 1933. GODOY, Claro Augusto de. Depoimentos. In: AGI - Associação Goiana de Imprensa. Imprensa goiana, depoimentos para a sua história. Goiânia: Cerne, 1980. GOMES, Ângela Maria de Castro. Confronto e compromisso no processo de constitucionalização (1930-1935). In: FAUSTO, Boris (Dir.). O Brasil Republicano: sociedade e política (1930-1964). 5ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991. p. 7-75. (História Geral da Civilização Brasileira; t. 3, v. 3) GOMIDE, Cristina Helou. Cidade de Goiás: da ideia de preservação à valorização do patrimônio – a construção da imagem de cidade histórica (1930-1978). In: CHAUL, Nasr Fayad; DUARTE, Luis Sérgio (Orgs.). A cidade dos sonhos: desenvolvimento urbano e Goiás. Goiânia: Ed. UFG, 2004. p. 101-136. HAHNER, June Edith. A mulher brasileira e suas lutas sociais e políticas: 1850-1937. São Paulo: Brasiliense, 1981. HAHNER, June Edith. Emancipação do sexo feminino: a luta pelos direitos da mulher no Brasil. 1850-1940. Florianópolis: Ed. Mulheres; Santa Cruz, RS: Edunisc, 2003. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Recenseamento do Brasil, 1920. LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo: corpo e gênero dos gregos a Freud. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001. LAURETIS, Teresa de. A Tecnologia do gênero. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque (Org.). Tendências e Impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994. p. 206-242. LEITE, Miriam Moreira (Org.). A condição feminina no Rio de Janeiro, século XIX: antologia de textos de viajantes estrangeiros. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Fundação Nacional Pró-Memória, 1984. LEMES, Cláudia Graziela Ferreira. De minhoca a beija-flor a participação feminina na política do sudoeste goiano (1930-1947). Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal de Goiás (UFG). Goiânia, 2009. LOPONTE, Luciana Gruppelli. Pedagogias visuais do feminino: arte, imagens e docência. Currículo sem Fronteiras, v. 8, n. 2, p. 148-164, jul/dez 2008. LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na sala de aula. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das Mulheres no Brasil. 9ª ed. São Paulo: Contexto, 2009. p. 443-480. LUCA, Tânia Regina de. A grande imprensa na primeira metade do século XX. In: MARTINS, Ana Luiza; LUCA, Tania Regina de (Orgs.). História da imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008. p. 149-175. MALUF, Marina; MOTT, Maria Lúcia. Recônditos do mundo feminino. In: NOVAIS, Fernando A. (Dir.); SEVCENKO, Nicolau (Org.). República: da Belle Époque à era do Rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. p. 367-421. (História da Vida Privada no Brasil; v. 3) MATOS, Maria Izilda Santos de. Delineando corpos: as representações do feminino e do masculino no discurso médico (São Paulo 1890-1930). In: MATOS, Maria Izilda Santos de; SOIHET, Rachel (Orgs.). O corpo feminino em debate. São Paulo: Unesp, 2003. p. 107-127. ___________________ Estudos de gênero: percursos e possibilidades na historiografia contemporânea. Cadernos Pagu, v. 11, p. 67-75, 1998. MATOS, Maria Izilda Santos de; BORELLI, Andrea. Espaço Feminino no mercado produtivo. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria Pedro (Orgs.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 126-147. MATOS, Maria Izilda Santos de; MORAES, Mirtes. Imagens e Ações: gênero e família nas campanhas médicas (São Paulo: 1890-1940). ArtCultura, Uberlândia, v. 9, n. 14, p. 23-37, jan./jun. 2007. MELO, José Marques de. A opinião no jornalismo brasileiro. 2ª ed. rev. Petrópolis: Vozes, 1994. MELO, Victor Andrade de. O corpo esportivo nas searas tupiniquins – panorama histórico. In: PRIORE, Mary Del; AMANTINO, Marcia (Orgs.). História do Corpo no Brasil. São Paulo: Unesp, 2011. p. 507- 529. MENEZES, Lená Medeiros de. Os estrangeiros e o comércio do prazer nas ruas do Rio. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992. MIGUEL, Raquel de Barros; RIAL, Carmen. Programa de mulher. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria Pedro (Orgs.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 148-168. MOURA, Sérgio Lobo de; ALMEIDA, José Maria Gouvêa de. A Igreja na Primeira República. In: FAUSTO, Boris (Dir.). O Brasil Republicano: sociedade e instituições (1889-1930). 3ª ed. São Paulo: Difel, 1985. p. 321-342. (História Geral da Civilização Brasileira; t. 3, v. 2) NEVES, Margarida de Souza. Os cenários da República. O Brasil na virada do século XIX para o século XX. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de Almeida Neves (Orgs.). O tempo do liberalismo excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. p. 13-44. (O Brasil republicano; v. 1). NICHOLSON, Linda. Interpretando o gênero. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, Centro de Filosofia e Ciências Humanas – UFSC, v. 8 n. 2, p. 9-41, 2000. OLIVEIRA, Alírio Afonso. Depoimento. In: AGI - Associação Goiana de Imprensa. Imprensa goiana, depoimentos para a sua história. Goiânia: Cerne, 1980. p. 96-97. PALACÍN, Luís. Coronelismo no extremo norte de Goiás. O padre João e as três revoluções de Boa Vista. Goiânia: Cegraf/UFG; São Paulo: Loyola, 1990. _______________ Quatro tempos de ideologia em Goiás. Goiânia: Cerne, 1986. PANDOLFI, Dulce Chaves. Os anos 1930: as incertezas do regime. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de Almeida Neves (Orgs.). O tempo do nacional-estatismo:do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. 4ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 2011. p. 13-37. (O Brasil republicano, v. 2) PARENTE, Temis Gomes. O avesso do silêncio: vivências cotidianas das mulheres do século XIX. Goiânia: Ed. UFG, 2005. PEDRO, Joana Maria. Mulheres honestas e mulheres faladas: uma questão de classe. Florianópolis: Ed. UFSC, 1994a. __________________ Relações de gênero na pesquisa histórica. Revista Catarinense de História, n. 2, p. 35-44, 1994b. __________________ Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. Revista História, São Paulo, Unesp, v. 24, n. 1, p. 77-98, 2005. PERROT, Michelle. Mulheres públicas. São Paulo: Ed. Unesp, 1998. PESAVENTO, Sandra Jatahy. Pensar com o sentimento, sentir com a mente – Bienal de Veneza, 2007: 52º Exposição de Arte. In: RAMOS, Alcides Freire; MATOS, Maria Izilda Santos de; PATRIOTA, Rosangela (Orgs.). Olhares sobre a História: Culturas – Sensibilidades – Sociabilidades. São Paulo: Hucitec, 2010. p. 19-26. PINA FILHO, Braz Wilson Pompêo de. Goiás: História da Imprensa. Goiânia: Departamento Estadual de Cultura, 1971. PINHEIRO, Paulo Sérgio. O proletariado industrial na Primeira República. In: FAUSTO, Boris (Dir.). O Brasil Republicano: sociedade e instituições (1889-1930). 3ª ed. São Paulo: Difel, 1985. p. 135-178. (História Geral da Civilização Brasileira; t. 3, v. 2) PINSKY, Carla Bassanezi. A era dos modelos rígidos. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria (Orgs.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 469-512. PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria Pedro (Orgs.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. PINTO, Célia Regina Jardim. Uma história do feminismo no Brasil. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2003. PINTO, Rubia-Mar Nunes. Caminhos cruzados: a cidade e a escola na história da educação em Goiás na primeira republica. In: BARRA, Valdeniza Maria Lopes da. Estudos de História da educação de Goiás (1830-1930). Goiânia: PUC-GO, 2011. p. 239-261. POSSAS, Lídia M. V. Mulheres, trens e trilhos: modernidade no sertão paulista. Bauru, SP: Edusc, 2001. PRADO, Maria Ligia; FRANCO, Stella Scatena. Participação feminina no debate público brasileiro. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria (Orgs.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 194-217. PRUDENTE, Maria das Graças Cunha. O silêncio no magistério: professoras na instrução pública na Província de Goyaz, século XIX. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). Goiânia, 2009. ____________________ O silêncio no magistério: professoras na instrução pública na Província de Goyaz, século XIX. In: BARRA, Valdeniza Maria Lopes da. Estudos de História da educação de Goiás (1830-1930). Goiânia: PUC-GO, 2011. p. 57-80. PUGA, Vera Lúcia. Casar e separar: dilema social histórico. Esboços – Revista do Programa de Pós-Graduação em História da UFSC. Florianópolis, n. 17, p. 157-172, 2007. RABAÇA, Carlos Alberto; BARBOSA, Gustavo. Dicionário de Comunicação. Rio de Janeiro: Codecri, 1978. RABELO, Danilo. A normalização dos comportamentos na Cidade de Goiás (1822-1889). Goiânia: UFG, 2010. RAGO, Luzia Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar, Brasil 1890-1930. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985. ________________ Descobrindo historicamente o gênero. Cadernos Pagu, v. 11, p. 89-98, 1998a. ________________ Epistemologia feminista, gênero e história. In: PEDRO, Joana Maria; GROSSI, Miriam Pillar. Masculino, feminino, plural: gênero na interdisciplinaridade. Florianópolis: Mulheres, 1998b. p. 21-41. ________________ Trabalho feminino e sexualidade. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das Mulheres no Brasil. 9ª ed. São Paulo: Contexto, 2009. p. 578-606. RIBEIRO, Miriam Bianca Amaral. A história ensinada em Goiás: algumas considerações. In: BARRA, Valdeniza Maria Lopes da (Org.). Estudos de história da educação de Goiás (1830-1930). Goiânia: Ed. da PUC Goiás, 2011. p. 263-289. _________________ Memória família e poder. História de uma permanência política – os Caiado em Goiás. In: CHAUL, Nasr Fayad (Coord.). Coronelismo em Goiás: estudos de casos e famílias. Goiânia: Mestrado em História/UFG; Kelps, 1998. p. 209-329. RIBEIRO, Rafaella Sudário. Fora da vida: as mulheres da família Fleury (1896-1960). Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade de Brasília (UnB). Brasília, 2008. RODRIGUES, Anderson de Brito; ARAÚJO, Jaqueline Veloso Portela de. Dos princípios da psicologia à psicologia da escola nova nos currículos e nas reformas escolares em Goiás (1884-1930). In: BARRA, Valdeniza Maria Lopes da. Estudos de História da educação de Goiás (1830-1930). Goiânia: PUC-GO, 2011. p. 189-204. RODRIGUES, Maria Augusta Calado de Saloma. A modinha em Vila Boa de Goiás. Goiânia: UFG, 1982. ROSA, Joaquim. Por esse Goiás afora. Goiânia: Livraria e Editora Cultura, 1974. ROSEMBERG, Fúlvia. Mulheres educadas e a educação das mulheres. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria Pedro (Orgs.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 333-359. SAMARA, Eni de Mesquita. As mulheres, o poder e a família: São Paulo século XIX. São Paulo: Marco Zero; Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, 1989. SAMARA, Eni de Mesquita; SOIHET, Rachel; MATOS, Maria Izilda S. de. Gênero em debate: trajetórias e perspectivas na historiografia contemporânea. São Paulo: Educ, 1997. SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. Higiene e higienismo entre o Império e a República. In: DEL PRIORE, Mary; AMANTINO, Marcia (Orgs.). História do corpo no Brasil. São Paulo: Unesp, 2011. p. 283-312. SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. Sempre Bela. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria (Orgs.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 105-125. SANT’ANNA. Thiago. Gênero, História e Educação: a experiência de escolarização de meninas e meninos na província de Goiás (1827-1889). Tese (Doutorado em História). Instituto de Ciências Humanas, Universidade de Brasília (UnB). Brasília, 2010. SANT’ANNA. Thiago. Mulheres Goianas em ação: práticas abolicionistas, práticas políticas (1870-1888). Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade de Brasília (UnB). Brasília, 2005. SANTANA, Luciana. Dois periódicos e três possibilidades de leituras: mulher romântica, mulher atuante, mulher poeta. In: FERREIRA, Silvia Lucia; NASCIMENTO, Enilda Rosendo do. Imagens da mulher na cultura contemporânea. Salvador: NEIM-FFCH-UFA, 2002, p. 99-114. SCOTT, Ana Silvia. O caleidoscópio dos arranjos familiares. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria (Orgs.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 15-42. SCOTT, Joan Wallach. A cidadã paradoxal: as feministas francesas e os direitos do homem. Tradução: Élvio Antônio Funck. Florianópolis: Mulheres, 2002. ________________ Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 20, nº 2, jul./dez. 1995, p. 71-99. [Revisão de Tomaz Tadeu da Silva a partir do original inglês (SCOTT, J. W. Gender and the Politics of History. New York: Columbia University Press, 1988. p. 28-50.), de artigo originalmente publicado em: Educação & Realidade, v. 15, nº 2, jul./dez. 1990. Tradução da versão francesa (Les Cahiers du Grif, nº 37/38. Paris: Editions Tierce, 1988.) por Guacira Lopes Louro.] SILVA, Ana Lucia da. A Revolução de 30 em Goiás. 2ª ed. Goiânia: Cânone, 2005. SILVA, José Trindade da Fonseca e. Lugares e pessoas. Subsídios eclesiásticos para a história de Goiás. Goiânia: UCG, 2006. SILVA, Maria da Conceição. Catolicismo e casamento civil em Goiás, 1860-1920. Goiânia: UCG, 2009. SILVA, Nancy Ribeiro de Araújo. Tradição e renovação educacional em Goiás. Goiânia: Oriente, 1975. SOARES, Ana Carolina Eiras Coelho. Amor, casamento, desquite e sangue: caminhos da conjugalidade no Brasil através das páginas da Revista Feminina. In: XV Encontro Regional de História da Anpuh-Rio, 2012, São Gonçalo. Anais do XV Encontro Regional de História da Anpuh-Rio. São Gonçalo: FFP/UERG, 2012. p. 1-10. Disponível em: http:/ www.encontro2012.rj.anpuh.org/resources/anais/15/ 133840 24 86_ ARQUIVO_ANPUH-RJ TrabalhoCompleto.pdf. Acesso em: 24 set. 2012. __________________ Receitas de felicidade e espectros da infelicidade: o Código civil de 1916 e as lições de comportamento na Revista Feminina no início do século XX. Tese (Doutorado em História). Programa de Pós-graduação em História, Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Rio de Janeiro, 2009. SOIHET, Rachel. A conquista do espaço público. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria (Orgs.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 218-237. ______________ Condição feminina e formas de violência: mulheres pobres e ordem urbana, 1890-1920. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1989. ______________ História das mulheres e história do gênero. Um depoimento. Cadernos Pagu, v. 11, p. 77-87, 1998. ______________ História das Mulheres. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997a. p. 275-296. ______________ História, mulheres, gênero: contribuições para um debate. In: AGUIAR, Neuma (Org.). Gênero e Ciências Humanas: desafio às ciências desde a perspectiva das mulheres. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1997b. p. 95-114. ______________ Mulheres investindo contra o feminismo: resguardando privilégios ou manifestação de violência simbólica? Estudo de Sociologia, Araraquara, v. 13, n. 24, p. 191-207, 2008. ______________ Mulheres pobres e violência no Brasil urbano. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das Mulheres no Brasil. 9ª ed. São Paulo, 2009. p. 363-400. ______________ O feminismo tático de Bertha Lutz. Vol. 1. Florianópolis: Mulheres, 2006. ______________ O povo na rua: manifestações culturais como expressão de cidadania. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de Almeida Neves (Orgs.). O tempo do nacional-estatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. 4ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011. p. 287-321. (O Brasil republicano, v. 2) SOIHET, Rachel; PEDRO, Joana Maria. A emergência da pesquisa da história das mulheres e das relações de gênero. Revista Brasileira de História [on line], v. 27, n. 54, p. 281-300, 2007. TELES, José Mendonça. A imprensa goiana: síntese histórica. In: AGI - Associação Goiana de Imprensa. Imprensa goiana, depoimentos para a sua história. Goiânia: Cerne, 1980. p. 43-88. _____________________ A imprensa matutina. Goiânia: Cerne, 1989. VASCONCELLOS, Gilberto. A malandragem e a formação da música popular brasileira. In: FAUSTO, Boris (dir.). O Brasil Republicano: economia e cultura (1930-1964). 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995. p. 502-523. (História Geral da Civilização Brasileira; t. 3, v. 4) WELZER-LANG, Daniel. A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia. Estudos Feministas, ano 9, p. 460-483, 2/2001.por
dc.rightsAcesso abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/-
dc.subjectRepresentações femininaspor
dc.subjectCorreio Oficial de Goiáspor
dc.subjectCidade de Goiáspor
dc.subjectRelações de gêneropor
dc.subjectRepresentations of womeneng
dc.subjectCorreio Oficial of Goiáseng
dc.subjectCity of Goiáseng
dc.subjectGender relationseng
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::HISTORIApor
dc.titleMulheres na imprensa: representações femininas no Correio Oficial, Cidade de Goiás (1930-1936)por
dc.title.alternativeWomen in the press: Representations of women in the Correio Oficial of Goiás, City of Goiás (1930-1936)eng
dc.typeDissertaçãopor
Aparece nas coleções:Mestrado em História (FH)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao Savia Diniz.pdfDissertação - PPGHIS/RG - Sávia Barroz Diniz1,29 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons