Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tde/444
Tipo do documento: Tese
Título: Manejo do mofo branco (Sclerotinia sclerotiorum L.) em tomateiro industrial
Título(s) alternativo(s): Management of white mold (Sclerotinia sclerotiorumL.) in tomato industry
Autor: AGUIAR, Renata Alves de
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5771901234348219 http://lattes.cnpq.br/5771901234348219
Primeiro orientador: CUNHA, Marcos Gomes da
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/2006008625763742
Resumo: O Brasil ocupa o nono lugar na produção mundial de tomate (Solanum esculentum L.), sendo que grande parte desta produção é destinada a indústrias de processamento. A agregação de valor obtida com o processamento torna esta espécie a hortaliça de maior importância econômica na região do Cerrado do Brasil, onde o Estado de Goiás se destaca como maior produtor. Apesar das condições edafo-climáticas favoráveis, vários fatores têm dificultado sua produção, principalmente as doenças provocadas por patógenos habitantes do solo, que tem aumentado sua importância em sistemas de produção intensivos. Dentre elas, o mofo branco provocado por Sclerotinia sclerotiorum (Lib.) De Bary causa sérios problemas em solos infestados, sob condições de temperatura amena e alta umidade. Por ser um patógeno polífago e não existirem híbridos resistentes, o controle químico tem sido o método mais utilizado no manejo da doença, apesar de nem sempre ser eficiente pela dificuldade de atingir as estruturas de resistência do patógeno no solo. Dessa forma, este trabalho teve como objetivo avaliar diferentes híbridos quanto à arquitetura da planta para escape da doença; comparar a aplicação de fungicidas sintéticos com e sem a utilização de silício; avaliar o controle biológico do mofo branco por meio de diferentes produtos comerciais elaborados a partir de isolados do fungo Trichoderma spp., associados ou não com a aplicação de fungicida sintético, via barra de pulverização ou via fungigação. Foram conduzidos ensaios na fazenda experimental da Unilever, em Goiânia (GO), nos anos de 2008 a 2010, em solo de textura média. A área experimental foi previamente infestada com escleródios do patógeno, obtidos em resíduos de pré-limpeza de soja. A irrigação em todos os experimentos foi realizada por gotejamento em parcelas com estande de 4 plantas m-1 com 1,5 metro entre linhas. Os híbridos utilizados para avaliação quanto à arquitetura da planta foram: U232, U2006 (Unilever), H9992, H7155 (Heinz), N877 (Nunhems) e Hp108 (Hypeel). Já o híbrido utilizado nos demais ensaios foi o Heinz 9780. Todos os experimentos foram conduzidos sob delineamento experimental de blocos ao acaso, com três repetições, e tiveram avaliações semanais da incidência da doença para obtenção da área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD). Avaliou-se ainda a produtividade e seus componentes, além de pH, teor de sólidos solúveis e rendimento de polpa. Os resultados foram submetidos à ANOVA e ao teste de Scott-Knott ou Tukey (5%) com auxílio do programa estatístico Sisvar. Verificou-se que: Em ambos os anos, a menor AACPD nos híbridos H9992 e Hp108 (Scott-Knott 5%), é creditada ao escape parcial da doença, devido ao porte das plantas e concentração de maturação, demonstrando que a escolha do híbrido pode ser adicionada às práticas culturais já utilizadas para o manejo da doença. Apesar de não ter havido diferenças entre os híbridos quanto à sua produtividade, as perdas na produção foram correlacionadas à incidência da doença e à AACPD. Em ano com elevada incidência os fungicidas (fluazinam e procimidona) são eficientes e silicato de potássio, sem aplicação de fluazinam ou procimidona, foi igualmente eficiente, podendo ser utilizado na agricultura orgânica. No controle do mofo branco, via barra de pulverização, na cultura do tomate para processamento industrial, o uso do Trichodermax e Trichodermil não diferiram do padrão de controle em relação a incidência da doença, produtividades e rendimentos. Não há influência do fluazinam via barra de pulverização no controle do mofo branco. Já para o rendimento de polpa há interação entre Trichoderma, ano e fluazinam, sendo que ocorreu um maior rendimento de polpa no ano de maior incidência com o uso do fluazinam. Verificou-se que o controle biológico com utilização do Trichoderma sp., via fungigação, para o mofo branco, isolado ou em combinação com os fungicidas sintéticos fluazinam e procimidona, reduz a AACPD e incrementa a produtividade do tomate para processamento industrial em até 25 toneladas ha-1 em média. O rendimento de polpa nos tratamentos com controle biológico foi aumentado em cerca de 1,0 e 7,0 t ha-1, respectivamente, em 2009 e 2010.
Abstract: Brazil ranks ninth in the world production of tomato (Solanum esculentum L.), while much of this production is destined for processing industries. The added value obtained with the fruit processing endorses this species as the vegetable with the greatest economic importance in the Cerrado region of Brazil, where the State of Goiás stands out as the largest producer. Despite the favorable soil and climatic conditions, several factors have hindered its production, especially diseases caused by soilborne pathogens, which had increased their importance with the adoption of intensive production systems. Among them, white mold caused by Sclerotinia sclerotiorum (Lib.) De Bary has caused serious problems in infested soils, under mild temperatures and high humidity. Concerning the large number of S. sclerotiorum hosts and the lack of resistant hybrids, chemical control has been chosen as the most common method for disease management, despite not always efficient, due to the difficulties to reach the pathogen s resistance structures in the soil. Therefore, the study aimed to evaluate the disease escape on different tomato hybrids, to compare the effectiveness of synthetic fungicides mixed or not to potassium silicate; evaluate the biological control of white mold, with different commercial products based on Trichoderma spp. associated or not to a synthetic fungicide, and to evaluate the biological control with or without chemical fungicides, applied through chemigation. Tests were carried out in soil of medium texture at Unilever experimental farm, in Goiânia (GO), from 2008 to 2010. The experimental area was previously infested with sclerotia of the pathogen, obtained in pre-cleaning wastes of soybean. Drip irrigation was used in all tests, which had 4 plants m-1 with 1.5 meters between rows. The hybrids used in the disease escape tests were: U232, U2006 (Unilever), H9992, H7155 (Heinz), N877 (Nunhems) and H108 (Hypeel). In all other essays, Heinz 9780 was the chosen hybrid. All experiments were conducted under randomized blocks design with three replications, and had weekly assessments of disease incidence to estimate the area under the disease progress curve (AUDPC). We also evaluated the productivity and its components, as well as acidity, soluble solids content and industrial yield. The results were submitted to ANOVA and to the Scott Knott or Tukey tests at 5%, using the statistical program Sisvar. It was shown that: Hybrids H9992 and Hp108 had lower AUDPCs, suggesting a partial escape to white mold and that hybrid choice can be added to the disease management cultural practices, despite there was no difference on their yield. In 2008, under higher disease pressure, potassium silicate in plots without fungicide application showed disease incidence, AUDPC, productivity and industrial yield equivalent to treatments with fluazinam and procymidone, and superior to results with benzalkonium chloride. There was no difference between treatments with Trichoderma spp. associated or not to fluazinam, in any of the assessed traits. Regarding industrial yield, there was an interaction between Trichoderma, fluazinam and years, with higher pulp yield under higher disease incidence and fluazinam sprayed alone. It was found that biological control with Trichoderma spp. via chemigation as a single measure or in mixture with the synthetic fungicides procymidone fluazinam reduced the AUDPC and increased the productivity of processing tomatoes in 25 tons on average, compared to the control. Therefore, this study showed new options for the integrated management of white mold in processing tomatoes.
Palavras-chave: Sclerotinia sclerotiorum
rendimento industrial
área abaixo da curva de progresso da doença
controle biológico
silício
Sclerotinia sclerotiorum
industrial yield
area under disease progress curve
biological control
silicon
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Ciências Agrárias
Programa: Doutorado em Agronomia
Citação: AGUIAR, Renata Alves de. Management of white mold (Sclerotinia sclerotiorumL.) in tomato industry. 2011. 96 f. Tese (Doutorado em Ciências Agrárias) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2011.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tde/444
Data de defesa: 30-Ago-2011
Aparece nas coleções:Doutorado em Agronomia (EA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Renata Alves.pdf1,28 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.