Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10012
Tipo do documento: Tese
Título: Usos de si e testemunhos de trabalhadores docentes readaptados
Título(s) alternativo(s): Uses of yourself and testimonies of readapted teaching workers
Autor: Lemes, Núbia Cristina dos Santos
Currículo Lattes do Autor: lattes.cnpq.br/2928562110635608
Primeiro orientador: Alves, Wanderson Ferreira
Currículo Lattes do primeiro orientador: lattes.cnpq.br/3095329344468703
Primeiro membro da banca: Alves, Wanderson Ferreira
Segundo membro da banca: Teixeira, Ricardo Antônio Gonçalves
Terceiro membro da banca: Silva, Ênio Rodrigues da
Quarto membro da banca: Santos, Livia Gomes dos
Quinto membro da banca: Baptista, Tadeu João Ribeiro
Resumo: O objetivo desta pesquisa é compreender como se apresentam a experiência de vida e de trabalho do professor readaptado, a partir de seus testemunhos. A metodologia utilizada foi a qualitativa, com emprego da entrevista individual semiestruturada. As entrevistas foram transcritas e organizadas segundo a codificação e categorização temáticas de Graham Gibbs. A perspectiva ergológica concebida por Yves Schwartz foi o aporte na interpretação dos testemunhos de vida e de trabalho nos usos do corpo-si. A clínica da atividade fundamentada em Yves Clot possibilitou compreender as situações de amputação do poder de agir. O conhecimento da vida a partir de Georges Canguilhem permitiu associar a saúde à capacidade normativa do vivente humano. Philippe Davezies tornou possível o entendimento da relação entre o envolvimento das dimensões afetivas no trabalho e o adoecimento dos professores e Christophe Dejours forneceu o embasamento relacional entre a organização do trabalho e o sofrimento psíquico. Um professor e cinco professoras participaram da pesquisa que abrangeu a população de professores readaptados de Iporá, Estado de Goiás. A análise dos testemunhos revelou como a vida e o trabalho dos professores se interseccionam e como o corpo-si afetou-se nas dramáticas vivenciadas no trabalho. Ao se tornarem readaptados, os professores assumem as funções de dinamizador de biblioteca e assessor pedagógico, contudo, nas escolas eles desenvolvem variadas atividades. Afastado da sala de aula, o professor readaptado busca novos sentidos nas tarefas que lhe são imputadas. Mesmo assim, sobressai nos testemunhos, que o sentido do trabalho, para o professor readaptado, encontra-se na atividade de sala de aula. Foi unânime nos testemunhos a existência do estigma perante o coletivo profissional do professor readaptado. Para estes, os novos objetos do trabalho substituíram o objeto/sujeito/aluno. Esses novos objetos passaram à qualidade de objetos emocionalmente competentes. A pesquisa revelou também que a Gestar-SEDUC não dispõe de equipe suficiente para a demanda estadual que, conforme os dados da GESPRE do ano de 2017, de um total de 10.100 professores efetivos, contava 100 professores readaptados temporariamente ou definitivamente, sendo que 54% tinha idade ente 41 e 50 anos. Em 2018, o número de readaptações aumentou para 167 professores, mas manteve-se na mesma faixa etária o maior índice de readaptações, calculado em aproximadamente 50%. A pesquisa confirmou 80% dos acometimentos patológicos no sexo feminino e que ainda inexistem esclarecimentos dos órgãos competentes sobre como lidar com o professor readaptado na escola. O índice de adoecimento da categoria se revela crescente. Além dos docentes que se encontram afastados legalmente do exercício profissional, igual quantidade de professores adoecidos está fora da sala de aula de maneira oficiosa. A pesquisa também detectou que o Sindicato dos Trabalhadores do Estado de Goiás não tem exigido o cuidado da saúde dos professores. Em razão de tudo isso, as políticas públicas carecem de ações efetivas que consigam criar possibilidades de recuperação da saúde do professor readaptado e condições ambientais e organizacionais adequadas de trabalho.
Abstract: The objective of this research is to understand how the readjusted teacher's life and work experience is presented, based on his testimonies. The methodology used was qualitative, using semi-structured individual interviews. The interviews were transcribed and organized according to Graham Gibbs thematic coding and categorization. The ergological perspective conceived by Yves Schwartz was the contribution in the interpretation of the testimonies of life and work in the uses of the body-self. The activity clinic based on Yves Clot made it possible to understand the situations of amputation of the power to act. The knowledge of life from Georges Canguilhem allowed us to associate health with the normative capacity of the human living. Philippe Davezies made it possible to understand the relationship between the involvement of affective dimensions at work and the illness of teachers, and Christophe Dejours provided the relational basis between work organization and psychological distress. One teacher and five teachers participated in the research that included the population of readapted teachers from Iporá, Goiás State.The analysis of the testimonies revealed how teachers' lives and work intersect and how the body-self was affected by the dramatic experiences experienced at work. Upon becoming readapted, teachers assume the role of library facilitator and pedagogical advisor, however, in schools they perform various activities. Out of the classroom, the readjusted teacher seeks new meanings in the tasks assigned to him. Even so, it stands out in the testimonies that the meaning of work, for the readjusted teacher, lies in the classroom activity. It was unanimous in the testimonies the existence of stigma before the professional collective of the readapted teacher. For these, the new objects of work replaced the object / subject / student. These new objects became the quality of emotionally competent objects. The survey also revealed that Gestar-SEDUC does not have enough staff for the state demand that, according to GESPRE data for 2017, out of a total of 10,100 permanent teachers, had 100 teachers temporarily or permanently readapted, and 54% was between 41 and 50 years old. In 2018, the number of readaptations increased to 167 teachers, but the highest readaptation rate remained at the same age, estimated at approximately 50%. The survey confirmed 80% of pathological disorders in females and that there is still no clarification from the competent bodies on how to deal with the teacher readjusted at school. The rate of illness in the category is increasing. In addition to teachers who are legally removed from professional practice, the same amount of sick teachers is off the classroom in an unofficial manner. The survey also found that the Goiás State Workers Union has not required teachers' health care. Because of all this, public policies lack effective actions that can create possibilities for recovery of the readjusted teacher's health and adequate environmental and organizational working conditions.
Palavras-chave: Saúde
Trabalho docente
Professor readaptado
Testemunhos
Corpo-si
Health
Teaching work
Readapted teachar
Testimonials
Body-self
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Educação - FE (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Educação (FE)
Citação: LEMES, Núbia Cristina dos Santos. Usos de si e testemunhos de trabalhadores docentes readaptados. 2019. 204 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10012
Data de defesa: 26-Ago-2019
Aparece nas coleções:Doutorado em Educação (FE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Núbia Cristina dos Santos Lemes - 2019.pdf3,34 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons