Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10074
Tipo do documento: Tese
Título: A politização do corpo na “marcha das mulheres”: um dispositivo de discurso e de poder
Título(s) alternativo(s): The politicization of the body in the “Women’s March”a device of speech and power
Autor: Costa, Hilda Rodrigues da
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/1866890208722232
Primeiro orientador: Sousa Filho, Sinval Martins de
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/5359385370592200
Primeiro membro da banca: Carvalhaes, Wesley Luis
Segundo membro da banca: Santos, Cássia Rodrigues dos
Terceiro membro da banca: Faria, Edna Silva
Quarto membro da banca: Candido, Gláucia Vieira
Quinto membro da banca: Silva, Leosmar Aparecido da
Resumo: A presente tese tem por objetivo descrever e analisar, à luz das contribuições teóricas da Análise do Discurso, a articulação do poder sobre a politização do corpo feminino nas capas da revista Veja, por meio das relações de poder-saber que se efetivam através de dispositivos de segurança, sexualidade e mídia como efeitos de verdade e resistência, presentes em enunciados das capas da revista Veja. Ao nos depararmos com o contexto de algumas reportagens derivadas desses enunciados no corpo da revista, sentimos a necessidade de apresentarmos, ainda que de forma breve, determinados enunciados presentes no interior das revistas que compõem essas tramas discursivas, para atender nosso objetivo de pesquisa que é analisar a politização do corpo feminino, descrevendo as articulações entre a materialidade dos enunciados, sua inserção em formações discursivas, sua inscrição em um a priori histórico, seu controle, sua circulação, suas regras de aparição e delimitação, por meio de práticas registradas pela mídia. Utilizamos como método a pesquisa analítico-descritiva, partindo dos pressupostos teóricos de Michel Foucault quanto as noções de discurso e enunciado, sem desconsiderar o aporte teórico metodológico da arqueologia. Foram selecionadas capas da revista Veja para análise, entre os períodos de 1968 a 2018, que estabelecem todo um percurso discursivo, direto ou indiretamente, sobre a marcha das mulheres por seus direitos, que por vezes foram silenciadas ou apagadas da história, por meio de discursos institucionalizados, manipulados, articuladas, governando “a vontade de ser mulher”, destituindo-a de seus direitos através de estratégias de um poder-saber capaz de categorizar o gênero no processo de produção do corpo, por meio da mídia impressa e digital. Os estudos de Inês Araujo, Gilles Deleuze, Michel Foucault, Giorgio Agamben, Margareth Rago dentre outros foram essenciais para a compreensão dos processos de subjetivação quanto às estratégias e os mecanismos de condensação discursiva e representacional da mulher, os quais se encontram ancorados na memória discursiva da sociedade. Portanto, a marcha das mulheres, ao longo da história é um movimento de resistência e luta que busca o direito de reinventar-se por meio das narrativas de uma nova história, mesmo com as desigualdades batendo à porta, tentando naturalizar o papel de subordinação da mulher, desqualificando o ato feminino por meio de construções ideológicas e hegemônicas.
Abstract: This theses aims to describe and analyza, in the light of the theoretical contributions of Discourse Analysis, the articulation of power over the politicization of the female body on the covers of Veja magazine, through the relations of power-knowledge that are realized through devices of security, sexuality and media as effects of truth and resistance, presente in statements of the cover of Veja magazine. When faced with the contexto of some report derived from these statements in the body of the jornal, we feel the need to presente, albeit briefly, certain statements presente within the journals that make up these discursive plots, in order to meet our research objetive analyze the politicization of the female body, describing the articulations between the materiality of utterances, their insertion in discursive formations, their inscription in a historical a priori, their control, their circulation, their rules of appearance and delimitation, through practices recorded by the media. We used as analytical-descriptive Research method, starting from the theoretical assuptions of Michel Foucault as the notions of discourse and utterance, without disregarding the methodological theoretical support of archeology. Veja magazine covers were selected for analysis, from 1968 to 2018,which set out a discursive course, directly or indirectly, about the marcho of women for their rights, which were sometimes silenced or erased from history through institutionalized, manipulated, articulated discourses governing “the will to be a woman”, depriving her of her rights through strategies of a power-knowledge capable of categorizing gender in the body’s production process, through print and digital media. The studies by Inês Araujo, Gilles Deleuze, Michel Foucault, Giorgio Agamben, Margareth Rago, among others, were essential for understanding the processes of subjectivation regarding the strategies and mechanisms of discursive and representational condendation of women which are anchored in the discursive memory of society. Therefore, the marcho f womwn throughout history is a movement of resistance and struggle that seeks the right to reinvente itsself through the narratives of a new history, even with inequalities knocking on the door, trying to naturalize the subordination role of women, disqualifying the feminime act through ideological and hegemonic constructions.
Palavras-chave: Discurso
Subjetividade
Dispositivo
Marcha das mulheres
Revista Veja
Speech
Subjectivity
Device
Womens’s march
Veja magazine
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: COSTA, Hilda Rodrigues da. A politização do corpo na “marcha das mulheres”: um dispositivo de discurso e de poder. 2019. 150 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10074
Data de defesa: 29-Ago-2019
Aparece nas coleções:Doutorado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Hilda Rodrigues da Costa - 2019.pdf30,17 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons