Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10272
Tipo do documento: Tese
Título: Níveis de fitase e redução de cálcio em dietas de frangos
Título(s) alternativo(s): Phytase and calcium reduction levels in chicken diets
Autor: Costa, Miliane Alves da
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/8533505650573069
Primeiro orientador: Stringhini, José Henrique
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/8505634095383289
Primeiro coorientador: Café, Marcus Barcellos
Currículo Lattes do primeiro coorientador: http://lattes.cnpq.br/9860968235125158
Primeiro membro da banca: Stringhini, José Henrique
Segundo membro da banca: Laboissiere, Michele
Terceiro membro da banca: Leandro, Nadja Susana Mogyca
Quarto membro da banca: Jardim Filho, Roberto de Moraes
Quinto membro da banca: Brito, Alexandre Barbosa de
Resumo: Dois experimentos foram conduzidos no Departamento de Avicultura da Universidade Federal de Goiás para avaliar a inclusão de diferentes níveis de fitase e redução dos níveis de cálcio em dietas de frangos de corte de 1 a 42 dias de idade. No primeiro experimento o delineamento experimental foi inteiramente casualizado com seis tratamentos, oito repetições e 18 aves em cada parcela. No segundo experimento o delineamento experimental foi inteiramente casualizado e em esquema fatorial com seis tratamentos, seis repetições e 10 aves em cada parcela. Os tratamentos foram constituídos por três níveis de Ca (100%, 82% e 64%) e duas inclusões de fitase 750FTU/kg e 1500FTU/kg de ração. Considerou-se o nível de 1,011% como 100% das recomendações de cálcio para fase pré-inicial, 0,907% para a inicial, 0,822% para crescimento e 0,661% para a fase final e foi considerada a valorizada da fitase para liberação d fósforo. A análise dos dados foi realizada utilizando o procedimento de análise de variância a 5% de probabilidade e comparadas pelo teste de Scott-Knott. A superdosagem de fitase melhorou ganho de peso de consumo de ração (P < 0,05). No primeiro experimento, aos 21 dias de idade, redução de 36% de cálcio e suplementação de 1500FTU de fitase proporcionaram maior peso final, ganho de peso e consumo de ração (P < 0,05). Aos 42 dias, a suplementação de 1500FTU de fitase melhorou o peso final, ganho de peso e conversão alimentar. A redução da inclusão de cálcio melhorou a conversão alimentar (P <0,05). A suplementação de 1500FTU de fitase e redução de cálcio em 18%, apresentaram maior rendimento de carcaça (P < 0,05). No primeiro experimento, a superdosagem de fitase (1500FTU/kg de ração) proporcionou aumento no comprimento, diâmetro, peso e resistência óssea de frango com 21 dias de idade (P < 0,05). Quanto à qualidade óssea dos frangos aos 42 dias de idade, houve efeito apenas do fator fitase para comprimento e diâmetro de ossos (P < 0,05). Quando as aves foram suplementadas com 1500FTU de fitase/kg de ração, não houve efeito dos níveis de cálcio em relação a resistência a quebra dos ossos (P < 0,05). No primeiro experimento, a redução da inclusão de cálcio nas dietas reduziu a perda de líquido por cocção, e aumentou a força de cisalhamento da carne de peito de frango (P < 0,05). A inclusão de 1500FTU de fitase proporcionou menor perda de líquido por descongelamento (P < 0,05). A redução da inclusão de cálcio associada com a suplementação de fitase diminuiu a força de cisalhamento (P < 0,05). No segundo experimento, não houve efeito dos níveis de cálcio e suplementação de enzima fitase sobre a incidência de peito amadeirado aos 42 dias de idade (P > 0,05). Em relação as avaliações histopatológicas, no segundo experimento, os tratamentos não foram efetivos na ação sobre a qualidade da carne (P > 0,05). A redução da suplementação de cálcio em até 36% com inclusão de 1500 FTU/kg de fitase podem ser utilizados sem efeitos adversos no desempenho, qualidade óssea e qualidade da carne de frangos de corte aos 42 dias de idade.
Abstract: Two experiments were conducted at the Poultry Department of the Federal University of Goias to evaluate the inclusion of different phytase doses and reduction of calcium levels in diets of broiler chickens from 1 to 42 days old. In the first experiment the experimental design was completely randomized with six treatments, eight replications and 18 birds in each plot. In the second experiment the experimental design was completely randomized with six treatments, six replications and 10 birds in each plot. The treatments consisted of three levels of Ca (100%, 82% and 64%) and two phytase inclusions 750FTU / kg and 1500FTU / kg of feed. The 1.011% level was considered as 100% of the calcium recommendations for the pre-initial phase, 0.907% for the initial, 0.822% for growth and 0.661 for the final phase. For the phosphorus (P) requirement in the diet, the requirement of each phase was reduced by 0.150% for the treatments. Phytase overdose improved feed intake weight gain (P <0.05). In the first experiment, at 21 days of age, 36% calcium reduction and phytase supplementation of 1500FTU provided higher final weight, weight gain and feed intake (P <0.05). At 42 days, 1500FTU phytase supplementation improved final weight, weight gain and feed conversion. Reducing calcium inclusion improved feed conversion (P <0.05). Phytase supplementation of 1500FTU and calcium reduction by 18% showed higher carcass yield (P <0.05). In the first experiment, phytase overdose (1500FTU / kg of feed) increased the length, diameter, weight and bone strength of 21-day-old chicken (P <0.05). Regarding bone quality of broilers at 42 days of age, there was only effect of phytase factor for bone length and diameter (P <0.05). When birds were supplemented with 1500FTU phytase / kg feed, there was no effect of calcium levels on bone breaking strength (P <0.05). In the first experiment, reducing calcium inclusion in diets reduced cooking fluid loss and increased shear force of chicken breast meat (P <0.05). The inclusion of 1500FTU of phytase provided less liquid loss by thawing (P <0.05). The reduction in calcium inclusion associated with phytase supplementation decreased shear strength (P <0.05). In the second experiment, there was no effect of calcium levels and phytase enzyme supplementation on the incidence of woody breast at 42 days of age (P> 0.05). Regarding the histopathological evaluations, in the second experiment, the treatments were not effective in the action on meat quality (P> 0.05). Up to 36% reduction in calcium supplementation with inclusion of 1500 FTU / kg phytase can be used without adverse effects on performance, bone quality and meat quality of 42-day-old broilers.
Palavras-chave: Fitato
Peito amadeirado
Inositol
Resistência óssea
Phytate
Woody breast
Inositol
Bone strength
Área(s) do CNPq: ZOOTECNIA::PRODUCAO ANIMAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Escola de Veterinária e Zootecnia - EVZ (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Zootecnia (EVZ)
Citação: COSTA, M. A. Níveis de fitase e redução de cálcio em dietas de frangos. 2019. 88 f. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10272
Data de defesa: 6-Dez-2019
Aparece nas coleções:Doutorado em Zootecnia (EVZ)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Miliane Alves da Costa - 2019.pdf1,97 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons