Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10402
Tipo do documento: Dissertação
Título: A representação social da adoção por casais homoafetivos na mídia impressa
Título(s) alternativo(s): The social representation of adoption by homoafective couples in the printed media
Autor: Costa, Louise Ramiro da
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/7408504428838896
Primeiro orientador: Braga, Claudomilson Fernandes
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/1812629763554762
Primeiro membro da banca: Braga, Claudomilson Fernandes
Segundo membro da banca: Silva, Magno Luiz Medeiros da
Terceiro membro da banca: Borges, Lenise Santana
Resumo: O presente trabalho tem por tema a representação social por famílias homoafetivas. Questão polêmica, não só por si, como por envolver dois assuntos igualmente sensíveis: a adoção de crianças e adolescentes e uniões homoafetivas como instituição familiar. A filiação adotiva, neste final de século, pode ser entendida como uma procriação juridicamente assistida. Ela busca exclusivamente uma família para a criança, não o contrário, com o objetivo de conceder proteção integral à criança e ao adolescente. A Justiça expandiu os direitos da adoção tornando-a irrevogável, resguardando à criança e adolescente o status de filho, equiparando os mesmos direitos dos filhos biológicos. A família, instituto histórico de olhares estabelecidos pela sociedade, pela cultura, pela religião entre outros. E pontos divergentes sobre a negação da cidadania aos homossexuais, tidos como pecadores, doentes, sem ordenamentos jurídicos não conferem direitos. E diante de ausência legislativa, teve reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal a união estável. Nesse prisma, este trabalho investiga: qual a representação social da adoção homoafetiva no jornal impresso Folha de S.Paulo no período de 2011 a 2018? Perpassando pelo estudo da cidadania, a fim de analisar se as crianças e adolescentes que residem em orfanatos e os homossexuais possuem o status de cidadãos, percorrendo pelo campo da comunicação, representação social, cidadania e o direito constitucional da proteção familiar assegurado ao órfão e aos homossexuais. Assim, foram analisadas 2.920 edições do periódico em busca do discurso que perpassa sobre o tema. Identificou-se, nesse corpus inicial, 40 matérias jornalísticas que foram organizadas anualmente e processadas com auxílio do software IRAMUTEQ, responsável por fornecer a árvore máxima de similitude e o quadro de cada casa que, sob o aporte da Teoria das Representações Sociais, postulada por Moscovici (1978), e pelo aporte metodológico desenvolvido por Abric, a Teoria do Núcleo Central (TNC) ou teoria estrutural. O estudo é apresentado sob coletas realizada no jornal impresso, configurando-se como um discurso social, o que eleva a pesquisa ao status de bibliográfica e documental. As conclusões indicam que a representação social da adoção por famílias homoafetivas que circula nas páginas da mídia impressa, especialmente no jornal impresso Folha de S.Paulo no período de 2011 a 2018 trata de um discurso religioso propagado pelo cristianismo tradicional, especialmente as Igrejas de denominações evangélicas e neopentecostais, reforçado pelos discursos políticos que justificam o conceito heteronormativo de família, o que, em última instância, propaga e dissemina um sentimento e uma crença de preconceito, de discriminação e de estigmatização da homossexualidade, negligenciando a adoção a um segundo plano, e de modo particular quando se trata de casais homoafetivos.
Abstract: The research has as its theme the social representation by homoaffective families. This is a controversial issue because involves two equally sensitive issues: the adoption of children and homosexual relations as a Family institution. Foster affiliation at this end of the century can be understood as a legally assisted procreation. Seeking exclusively a family for the child, and not the other way around, in order to grant full protection to the child and adolescent, it has expanded adoption rights making it irrevocable, safeguarding the child's status, equaling the same rights as those of children. The family, historical institute of looks established by society, culture, religion, among others. And divergent points about the denial of citizenship to homosexuals, considered sinners, sick, without legal orders, do not confer rights. Faced with legislative absence, the Supreme Court recognized a stable union. Given this, the article analyzes the social representation of homosexual adoption in the newspaper Folha de S.Paulo, from 2011 to 2018, going through the study of citizenship, in order to analyze if children and adolescents living in orphanages and homosexuals have citizen status, by the field of communication, social representation, citizenship and constitutional right of family protection guaranteed to orphans and their homosexual parents. Thus, 2,920 issues of the magazine were analyzed for speeches on the subject. Thirty-nine journalistic articles were identified in this initial corpus, organized annually and processed with the aid of the IRAMUTEQ software, responsible for providing the maximum similarity and framework of each block, which under the contribution of the Theory of Social Representations, postulated by Moscovici (1978) and by the methodological approach developed by Abric, the Central Core Theory (TNC) or structural Theory. The study is presented under collections made in the printed newspaper, configuring itself as a social discourse, which raises the research to the bibliographic and documentary status. The results indicate that the social representation of adoption by homosexual families that posted in the pages of print media, especially in the newspaper Folha de S.Paulo, from 2011 to 2018, deals with a religious discourse affected by traditional Christianity, especially by denominational churches evangelical and neopentecostal, reinforced by political discourses, which justify the heteronormative concept of family, which propagates a feeling and belief of prejudice, discrimination and stigmatization of homosexuality, defaulting a background of adoption, particularly when with same-sex couples.
Palavras-chave: Família
Adoção
Representação social
Homoafetividade
Jornal Folha de São Paulo
Family
Adoption
Social representation
Homoaffective
Folha de S. Paulo newspaper
Área(s) do CNPq: CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Informação e Comunicação - FIC (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Comunicação (FIC)
Citação: COSTA, Louise Ramiro da. A representação social da adoção por casais homoafetivos na mídia impressa. 2020. 216 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2020.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10402
Data de defesa: 20-Fev-2020
Aparece nas coleções:Mestrado em Comunicação (FIC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Louise Ramiro da Costa - 2020.pdf11,52 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons