Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10744
Tipo do documento: Dissertação
Título: Algumas implicações teóricas sobre a angústia em Kierkegaard, Freud e Lacan: sobre a (im)possibilidade da travessia
Título(s) alternativo(s): Algunas implicaciones teóricas sobre la angustia en Kierkegaard, Freud y Lacan: sobre la (im)posibilidad del travessia
Autor: Duarte, André de Paulo
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5007041433785377
Primeiro orientador: Burgarelli, Cristóvão Giovani
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/7094012821984177
Primeiro membro da banca: Lima, Elizabeth Cristina Landi de
Segundo membro da banca: Lima, Priscilla Melo Ribeiro de
Terceiro membro da banca: Burgarelli, Cristóvão Giovani
Resumo: Trata-se de uma investigação sobre a angústia em Kierkegaard, Freud e Lacan. A partir de pesquisa teórica, analisou-se a influência de “O conceito de Angústia” (1844/2017) de Kierkegaard para a teoria psicanalítica, bem como a relação da angústia nesse autor, com a sexualidade, o tempo e a fé. Em Freud, percorreu-se a noção de angústia de 1895 até 1933, e constatou-se que o autor atribuiu à angústia uma etiologia sexual, relacionando-a ao corpo, ao excesso, à relação de objeto e ao Eu. Em Lacan, analisou-se “O Seminário Livro 10 - A angústia”, de 1962-1963, e encontraram-se duas vias complementares de abordagem: a via do significante e a via do imaginário, tendo a angústia relação com o encontro com o desejo do Outro, com a divisão subjetiva e com o momento em que o objeto a aparece no lugar que é destinado à falta. Por fim, viu-se em todos os autores uma referência a um duplo caráter de emergência da angústia, concluindo-se que é impossível atravessar a angústia em seu nível fundamental e fundante da condição humana, uma vez que não existe humano sem angústia, mas que é possível atravessá-la em seu nível de sinal, isto é, no nível em que se trata de uma reprodução da angústia primeva e fundamental.
Abstract: Es una investigación de la angustia en Kierkegaard, Freud y Lacan. A partir de una investigación teórica, se analizó la influencia de “El concepto de angustia” de Kierkegaard (1844/2017) para la teoría psicoanalítica, así como tú relación de la angustia con la sexualidad, el tiempo y la fe. En Freud, la noción de ansiedad pasó de 1895 a 1933, encontrándose que el autor atribuía la ansiedad a una etiología sexual, relacionándola con el cuerpo, con el exceso, con la relación del objeto y con el Ser. En Lacan, analizó “El Seminario Libro 10 - Angustia”, de 1962-1963, y se encontraron dos enfoques complementarios: el camino del significante y el camino del imaginario, relacionándose la angustia con el encuentro con el deseo del Otro, con la división subjetiva y con el momento en que el objeto aparece en el lugar que está destinado a la falta. Finalmente, se vio en todos los autores una referencia a una doble emergencia de la angustia, concluyendo que es imposible atravesar la angustia en su nivel fundamental y fundacional de la condición humana, ya que no hay humano sin angustia, sino que es posible atravesarlo en su nivel de señal, es decir, en el nivel donde es una reproducción de la angustia primigenia y fundamental.
Palavras-chave: Angústia
Psicanálise
Clínica psicanalítica
Lacan
Freud
Angustia
Kierkegaard
Psicoanálisis
Clínica psicoanalítica
Lacan
Freud
Kierkegaard
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Educação - FE (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Psicologia (FE)
Citação: DUARTE, A. P. Algumas implicações teóricas sobre a angústia em Kierkegaard, Freud e Lacan: sobre a (im)possibilidade da travessia. 2020. 99 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2020.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10744
Data de defesa: 15-Abr-2020
Aparece nas coleções:Mestrado em Psicologia (FE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - André de Paulo Duarte - 2020.pdf1,89 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons