Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11300
Tipo do documento: Tese
Título: As relações entre o Brasil e o Oriente Médio na fase inicial da Guerra Fria (1947-1957)
Título(s) alternativo(s): Brazil-Middle East relations in the initial phase of the Cold War (1947-1957)
Autor: Alarcon, Danillo
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5673401164447604
Primeiro orientador: Patti, Carlo
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/5828258601090620
Primeiro membro da banca: Patti , Carlo
Segundo membro da banca: Moreli, Alexandre
Terceiro membro da banca: Nazareno , Elias
Quarto membro da banca: Melis, Nicola
Quinto membro da banca: Farias, Rogério de Souza
Resumo: O objetivo desta tese é investigar e compreender os fatores que constrangeram e motivaram as relações internacionais do Brasil com o Oriente Médio – especialmente com Israel, Irã e Egito – entre os anos de 1947 e 1957. Parte-se da premissa central de que o contexto da Guerra Fria foi fundamental para balizar e moldar a leitura brasileira sobre a região durante aqueles dez anos. Define-se a Guerra Fria a partir de três elementos: a disputa ideológica entre o modelo de desenvolvimento capitalista e o comunista; a bipolaridade; e, a luta contra o colonialismo europeu, com seu ponto máximo entre os anos 1950 e 1960. Esses elementos distinguem as especificidades da política internacional entre os anos 1946/47 a 1990. O estudo mostra que o contexto e as agendas do período canalizaram a forma como uma parcela da elite político-econômica do país, dentre ela o aparato diplomático, percebia a luta anticolonial na região do Oriente Médio, pois enxergava no nacionalismo a subversão comunista, refletindo as questões domésticas brasileiras. Outros grupos sociais relacionavam a luta anti-imperialista naqueles países com o que se travava aqui no Brasil. Temas como a nacionalização e a utilização de recursos naturais e o desenvolvimento econômico eram comuns a Brasil, Egito, Irã e Israel, a despeito das distâncias geográficas. A pesquisa revela também que, complementarmente à importância da Guerra Fria, a religiosidade católica brasileira e considerações culturais, muitas vezes discriminatórias em relação ao islamismo, foram elementos constantes que permearam as interpretações sobre os acontecimentos do Oriente Médio. Além dos estereótipos sobre os países e culturas da região, percebe-se uma postura da diplomacia que demonstra um conhecimento parcial e enviesado do próprio país que os diplomatas brasileiros representavam. Esta tese busca preencher uma lacuna encontrada na bibliografia sobre as relações do Brasil com o Oriente Médio no recorte temporal que vai da aprovação do Plano de Partilha da Palestina em 1947, ao envio das forças do “Batalhão Suez” em 1957. Para tal são utilizadas fontes diversas. Do arquivo em Brasília do Ministério das Relações Exteriores do Brasil (MRE) são estudados especialmente os ofícios e telegramas, confidenciais e ostensivos, das legações brasileiras no Cairo, Tel Aviv e Teerã. Da mídia impressa brasileira, utiliza-se material do “Tribuna da Imprensa”, do “Última Hora”, do “Imprensa Popular” e do “Correio da Manhã”, dentre outros, prezando pela representatividade ideológica e importância histórica. Esses últimos encontram-se digitalizados e disponibilizados pela “Hemeroteca Digital”, da Fundação Biblioteca Nacional. Também são utilizados outros documentos disponibilizados na rede, dentre os quais o material da série “Diário do Congresso Nacional”. O trabalho está dividido em seis capítulos, além da Introdução e da Conclusão.
Abstract: This thesis aims to investigate and comprehend the factors that constrained and motivated Brazil-Middle East relations - particularly with Israel, Iran, and Egypt - between 1947 and 1957. The central assumption is that the context of the Cold War was fundamental to guide and shape the Brazilian understanding of the region during those ten years. The Cold War is defined based on three elements: the ideological dispute between the capitalist and the communist models for development; bipolarity; and the fight against European colonialism, that reached its peak between the 1950s and 1960s. These elements characterize the specificities of international politics between the years 1946/47 to 1990. The study shows that the context and agendas of the period channeled the way in which a share of Brazilian political and economic elites, including the diplomatic apparatus, perceived the anti-colonial struggle in the Middle East, as they saw communist subversion in nationalism, reflecting Brazilian domestic issues. Other social groups associated the anti-imperialist struggle in those countries to what was going on in Brazil itself. Themes such as nationalization and the use of natural resources and economic development were familiar to Brazil, Egypt, Iran, and Israel, despite geographical distances. The research also reveals that, in addition to the importance of the Cold War, Brazilian Catholic religiosity and cultural considerations, often discriminatory in relation to Islam, were constant components that permeated the interpretations about the events in the Middle East. Those reflected more than just stereotypes about the countries and cultures of the region, but a diplomatic attitude that demonstrated a partial and biased knowledge of Brazil itself. This thesis seeks to fill a gap in the bibliography on Brazil's relations with the Middle East in the time frame that goes from the approval of the Palestinian Partition Plan in 1947, to the deployment of the forces of the “Batalhão Suez” in 1957. For that purpose, different sources were exploited. From the Ministry of Foreign Affairs of Brazil (MRE) in the Brasília archive, the official and confidential letters, and telegrams of the Brazilian legations in Cairo, Tel Aviv and Tehran are specially considered. From the country's printed media, material from “Tribuna da Imprensa”, “Ultima Hora”, “Imprensa Popular” and “Correio da Manhã”, among others, are used, appraising their ideological representativeness and historical importance. The latter are digitalized and made available by the “Hemeroteca Digital”, of “Fundação da Biblioteca Nacional”. Other documents available on-line are also used, including material from the series “Diário do Congresso Nacional”. The work is divided into six chapters, in addition to the Introduction and Conclusion.
Palavras-chave: Brasil
Guerra Fria
Israel
Irã
Egito
Brazil
Cold War
Israel
Iran
Egypt
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de História - FH (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em História (FH)
Citação: ALARCON, D. As relações entre o Brasil e o Oriente Médio na fase inicial da Guerra Fria (1947-1957). 2021. 248 f. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2021.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11300
Data de defesa: 15-Mar-2021
Aparece nas coleções:Doutorado em História (FH)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Danillo Alarcon - 2021.pdf3,1 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons