Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11706
Tipo do documento: Dissertação
Título: Desinformação anti-vacina: análise comunicacional do grupo o lado obscuro das vacinas
Título(s) alternativo(s): Anti-vaccine disinformation: communication analysis of the group the dark side of vaccines
Autor: Marques, Rafael Borges
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5230663555512486
Primeiro orientador: Oliveira, Tiago Mainieri de
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/4332108741473825
Primeiro membro da banca: Oliveira, Tiago Mainieri de
Segundo membro da banca: Almeida, Cristóvão Domingos de
Terceiro membro da banca: Bianco, Nelia Rodrigues Del
Resumo: Em um contexto de coexistência de desinformação anti-vacina e comunicação pública pró-vacina nas redes, esta pesquisa tem por finalidade observar a atividade dos usuários no grupo no Facebook “O Lado Obscuro das Vacinas” para compreender sua dinâmica comunicacional. A intenção é, através das publicações, descobrir o que comunicam e como se comunicam os indivíduos dentro deste grupo, bem como entender em que ponto a campanha nacional de vacinação contra o Sarampo influenciou a dinâmica. Busca-se compreender a relação entre a desinformação anti-vacinação e a comunicação pública pró-vacinação à luz dos conceitos teóricos que embasam este trabalho a fim de responder à questão-problema: Como se dá a dinâmica comunicativa do grupo “O Lado Obscuro das Vacinas” no Facebook, em um contexto de coexistência entre a comunicação do Ministério da Saúde e a desinformação anti-vacina nas redes? A investigação é embasada por dados de índices de cobertura vacinais e epidemiológicos, que são obtidos a partir de relatórios e boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde. São apresentadas as contribuições de Carvalho (1987), Succi (2018) e Levi (2013) para compreender o histórico da resistência e hesitação vacinal no Brasil e seus motivos. Como base de construção para o quadro teórico conceitual, utiliza-se as perspectivas teóricas de autores como McLuhan (1964), Castells (1999), Recuero (2010) e Kerckhove para compreender a relação entre tecnologia, comunicação e redes sociais na internet. Para estabelecer um conceito de desinformação, recorre-se aos autores D’Ancona (2018), Nyhan e Reifler (2007) e Fallis (2009). A comunicação pró-vacina exercida pelo Ministério da Saúde é analisada a partir do conceito de comunicação pública apresentado por autores como Duarte (2009), Kunsch (2012), Koçouski (2012), Silva (2009), Zémor (2009), Mainieri (2016) e Brandão (2009). A abordagem metodológica escolhida é a etnográfica, a partir dos autores Hine (2000), Kozinets (2010) e Fragoso, Recuero e Amaral (2011), utilizada, portanto, para compreender a dinâmica comunicacional do grupo. Para tanto, esta pesquisa possui caráter qualitativo, do tipo descritiva, de acordo com o entendimento de Gil (2002) e seu corpus de análise são as publicações registradas no ano de 2019, através da ferramenta de captura de tela Lighshot. A etnografia é procedida por uma análise temática categorial a partir da metodologia de análise de conteúdo de Bardin (1977) a fim de analisar os tópicos mais recorrentes no período. Em suma, observa-se que a discussão no grupo foi pautada pela campanha nacional de vacinação contra o sarampo, mas não de uma maneira positiva. Houve um impacto considerável em volume e relevância de posts com esta temática, mas, em sua maioria, eles não reproduziam o discurso científico da campanha. Ademais, destaca-se a difusão de informações potencialmente desinformativas, bem como a crítica a instituições e personalidades reconhecidas como antagônicas do movimento anti-vacina. Observa-se uma relação estreita da comunicação do grupo com o interesse em capital social que poderia prover poder, audiência ou dinheiro a determinados atores. Percebe-se uma apreensão de elementos legais, relacionais e midiáticos que envolvem a temática vacinação, além da presença de atores, páginas e sites que promovem ou vendem tratamentos e medicamentos de medicina alternativa em detrimento das vacinações, constantemente difundindo desinformação para este fim.
Abstract: In a context of coexistence of anti-vaccine misinformation and pro-vaccine public communication on the social media, this research aims to monitor user activities in the Facebook group “O Lado Obscuro das Vacinas” to understand their communicational dynamics. The intention is, through its publications, to discover what they communicate and how they communicate within this group, as well as to understand at what point the national measles vaccination campaign influenced it.This project seeks to understand the relationship between anti-vaccination misinformation and public communication for vaccination in the light of the theoretical concepts that underlie this work in order to answer the problem question: How does the communicative dynamics of the group “O Lado Obscuro das Vacinas” on Facebook, in a context of coexistence between the Ministério da Saúde’s communication and anti-vaccine misinformation on the social media? The investigation is based on data on vaccine and epidemiological coverage rates, which are obtained from epidemiological reports and bulletins issued by the Ministério da Saúde and the World Health Organization. The contributions of Carvalho (1987), Succi (2018) and Levi (2013) are presented to understand the history of vaccine resistance and hesitation in Brazil and its reasons. As a construction basis for the conceptual theoretical framework, the theoretical perspectives of authors such as McLuhan (1964), Castells (1999), Recuero (2010) and Kerckhove are used to understand the relationship between technology, communication and social networks on the internet. To establish a concept of disinformation, authors D'Ancona (2018), Nyhan and Reifler (2007) and Fallis (2009) are used. Pro-vaccine communication exercised by the Ministério da Saúde is analyzed based on the concept of public communication presented by authors such as Duarte (2009), Kunsch (2012), Koçouski (2012), Silva (2009), Zémor (2009), Mainieri (2016) and Brandão (2009). The methodological approach chosen is the ethnographic one, from the authors Hine (2000), Kozinets (2010) and Fragoso, Recuero and Amaral (2011), used, therefore, to understand the communicational dynamics of the group. Therefore, this research has a qualitative, descriptive type, according to the understanding of Gil (2002) and its corpus of analysis are the publications registered in the year 2019, through the Lighshot screen capture tool. The ethnography is carried out by a categorical thematic analysis based on Bardin's (1977) content analysis methodology in order to analyze the most recurrent topics in the period. In short, it is observed that the discussion in the group was guided by the national measles vaccination campaign, but not in a positive way. There was a considerable impact on the volume and relevance of posts with this theme, but, for the most part, they did not reproduce the scientific discourse of the campaign. Furthermore, the dissemination of potentially uninformative information stands out, as well as the criticism of institutions and personalities recognized as antagonists to the anti-vaccine movement. There is a close relationship between group communication and interest in social capital that could provide power, audience or money to certain actors. There is an apprehension of legal, relational and media elements that involve the theme of vaccination, in addition to the presence of actors, pages and websites that promote or sell alternative medicine treatments and drugs to the detriment of vaccinations, constantly spreading misinformation for this purpose.
Palavras-chave: Desinformação
Comunicação pública
Ministério da saúde
Facebook
Vacina
Etnografia
Disinformation
Public communication
Vaccine
Ethnography
Área(s) do CNPq: CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::TEORIA DA COMUNICACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Informação e Comunicação - FIC (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Comunicação (FIC)
Citação: MARQUES, R. B. Desinformação anti-vacina: análise comunicacional do grupo o lado obscuro das vacinas. 2021. 195 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2021.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11706
Data de defesa: 30-Ago-2021
Aparece nas coleções:Mestrado em Comunicação (FIC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Rafael Borges Marques - 2021.pdf4,03 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons