Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11854
Tipo do documento: Dissertação
Título: A repressão aos estudantes, professores e funcionários na Universidade Federal de Goiás durante a ditadura militar (1964-1979)
Título(s) alternativo(s): The repression of students, teachers and officials in the Federal University of Goiás during the militarydictatorship (1964-1979)
Autor: Nunes, Caroline Gomes
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/4801989037613492
Primeiro orientador: Maciel, David
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/3587511267893434
Primeiro membro da banca: Langaro, Jiani Fernando
Segundo membro da banca: Oliveira, Fabiane Costa
Terceiro membro da banca: Maciel, David
Resumo: Esta pesquisa visa, sobretudo, compreender o contexto histórico em que o aparelho repressivo construído pelo regime militar se desenvolveu e de que forma ele atuou dentro da Universidade Federal de Goiás. Portanto, para entender o contexto histórico em que se insere o golpe militar brasileiro, buscamos entender, em primeiro lugar, o processo de desenvolvimento do capitalismo monopolista no Brasil a partir da década de 50. Após o golpe militar, o governo inicia uma escalada repressiva contra os grupos de oposição ao governo. Estudantes, professores e funcionários “de esquerda” ligados às universidades figuravam entre os principais grupos que se opunham à ditadura e ousaram lutar contra ela. Por isso, o segundo passo dado por nósconsistiuemumatentativadeapreenderadimensãodomovimentoestudantilde esquerda nacional e regional, já que as universidades se tornaram lugares ostensivamente vigiados pelos órgãos de informações do regime militar. Com o crescente aumento dos grupos que lutavam contra o autoritarismo em vigor, principalmente após 1968, o governo procurou institucionalizar a repressão. O Ato Institucional n° 5 pode ser citado como um dos resultados dessa política, porém, dentro das universidades, a principal arma utilizada pelo governo para afastar os “subversivos” do local responsável pela formação das elites intelectuais, econômicas e políticas do país, foi a aplicação do Decreto Lei n° 477. As Assessorias de Segurança e Informação também foram órgãos de informação criados dentro das universidades para vigiar a comunidade acadêmica, responsáveis por guiar até mesmo a contratação de professores. Por fim, também descrevemos de que forma o governo militar planejava manter um “controle ideológico” dentro das universidades. Desta forma, conseguimos apontar quais foram os estudantes, professores e funcionários vinculados à UFG que foram perseguidos e/ou punidos, além de esclarecer quais eram as justificativas apresentadas pelo regime militar para a realização de tais atos e captar de que forma os órgãos de repressão monitoravam a esquerda dentro da UFG.
Abstract: The research aims specially to understand the historical context where the repressive apparatus instituted by the military regime was developed and how it acted within the Federal University of Goiás. Therefore, to comprehend how the Brazilian military coup was inserted, we seek first to understand the development process of monopolistic capitalism in Brazil from the 1950s. After the military coup, the government undertakes a repressive escalation against opposition groups. “Leftists” students, professors and university-affiliated officials were among the leading groups that were opposite to the dictatorship and dared to contest it. That is why the second step represents an attempt to grasp the size of the national and regional left- wing student movement since the military regime’s media have ostensibly guard the universities. With the growing number of anti-authoritarian groups in force, outstandingly after 1968, the government sought to institutionalize repression. The Institutional Act Nº. 5 is one of the results of this policy, but inside the universities, the most essential weapon used by the government to push the “subversives” away from the place responsible for ranging the country’s intellectual, economic, and political elites was the implementation of Decree Law Nº. 477. The Security and Information Advisory Offices were also intelligence agencies created inside the universities to oversee the academic community, responsible for guiding even the hiring of teachers. In conclusion, we equally describe how the military government planned to maintain “ideology control” within universities. Consequently, we were capable to point out which were the students, teachers and officials linked to the UFG who were persecuted and/or punished, as well as clarify what were the justifications presented by the military regime for the performance of such acts and capture how the repressive organs monitored the left-wing inside the UFG.
Palavras-chave: Ditadura militar brasileira
Universidade Federal de Goiás
Repressão
Assessorias de segurança e informações
Brazilian military dictatorship
Federal University of Goiás
Repression
Security advisory and information
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA::HISTORIA DO BRASIL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de História - FH (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em História (FH)
Citação: NUNES, C. G. A repressão aos estudantes, professores e funcionários na Universidade Federal de Goiás durante a ditadura militar (1964-1979). 2019. 164 f. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11854
Data de defesa: 30-Out-2019
Aparece nas coleções:Mestrado em História (FH)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Caroline Gomes Nunes - 2019.pdf2,21 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons