Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11885
Tipo do documento: Dissertação
Título: O Auto da Compadecida (2000): leitura sobre as mazelas da sociedade sertaneja
Título(s) alternativo(s): O Auto da Compadecida (2000): reading about the diseases of sociedade sertaneja
Autor: Ferreira, Ana Lívia Lourenço
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/0170162621147125
Primeiro orientador: Abdala Júnior, Roberto
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/7014946989727038
Primeiro membro da banca: Abdala Júnior, Roberto
Segundo membro da banca: Gomes, Ivan Lima
Terceiro membro da banca: Rossin, Míriam de Souza
Resumo: A partir da expansão das fontes do século XX, o cinema passou a ser uma possibilidade investigativa para se pensar formas audiovisuais da escrita de questões históricas. Considerando tal pressuposto, entendemos que os filmes elaboram perspectivas de acontecimentos dado o seu tempo de produção, ou seja, mais do que contar uma suposta verdade as obras trazem para as telas percepções e pontos de vista que dizem respeito à quando foram criadas. Nossa dissertação tem como objetivo pensar como o filme O Auto da Compadecida, uma produção global dirigida por Guel Arraes e lançado no ano de 2000, engendra uma elaboração das mazelas da sociedade sertaneja. Para tal análise, partiremos do conceito “bakhtiniano” de dialogismo, inicialmente pensando as relações entre a direção fílmica e as origens da obra base de elaboração do roteiro, livro de nome homônimo escrito por Ariano Suassuna em 1955. Também no decorrer de nossa investigação questionaremos a composição estética da obra, cotejando a análise de trechos temáticos e fotogramas da película, a fim de assim problematizarmos as desigualdades sociais e relativas à moralidade constituída no decorrer da obra.
Abstract: From the expansion of twentieth century sources, cinema became an investigative possibility for thinking about audiovisual forms of writing historical issues. Considering this assumption, we understand that films elaborate perspectives on events given their production time, that is, more than telling a supposed truth, the works bring to the screen perceptions and points of view that relate to when they were created. Our dissertation aims to think how the film O Auto da Compadecida, a global production directed by Guel Arraes and released in 2000, engenders an elaboration of the ills of the sertaneja society. For such an analysis, we will start from the “Bakhtinian” concept of dialogism, initially thinking about the relationships between the film direction and the origins of the base work for the elaboration of the script, a book with the same name written by Ariano Suassuna in 1955. Also in the course of our investigation we will question the aesthetic composition of the work, comparing the analysis of thematic excerpts and photograms of the film, in order to problematize the social and moral inequalities constituted in the course of the work.
Palavras-chave: O Auto da Compadecida (2000)
Dialogismo
Mazelas
Nordeste
Dialogism
Ailments
North east
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA::HISTORIA DO BRASIL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de História - FH (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em História (FH)
Citação: FERREIRA, A. L. L. O Auto da Compadecida (2000): leitura sobre as mazelas da sociedade sertaneja. 2021. 141 f. Dissertação (Mestrado em de História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2021.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/11885
Data de defesa: 8-Out-2021
Aparece nas coleções:Mestrado em História (FH)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Ana Lívia Lourenço Ferreira - 2021.pdf3,39 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons