Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/12028
Tipo do documento: Tese
Título: A liberdade do pensamento: estudo sobre o fundo místico da história de Alexandre Koyré
Título(s) alternativo(s): The freedom of thought: study on the mystical background of Alexandre Koyré's history
Autor: Machado, Hallhane
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/2691619448654555
Primeiro orientador: Salomon, Marlon Jeison
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/0631789010231492
Primeiro membro da banca: Salomon, Marlon Jeison
Segundo membro da banca: Assis, Arthur Alfaix
Terceiro membro da banca: Condé, Mauro Lúcio Leitão
Quarto membro da banca: Almeida, Fábio Ferreira de
Quinto membro da banca: Oiti, Carlos
Resumo: Esta é uma tese sobre a obra historiográfica de Alexandre Koyré. Analisamos seus estudos consagrados à história das ciências, mas também, e especialmente, seus estudos sobre história do misticismo especulativo alemão, centrados em Jacob Boehme, e sobre história da filosofia, centrados em René Descartes. Defendemos que, embora relativos a domínios distintos do saber, tais estudos de Koyré eram perpassados por uma mesma concepção fundamental: a da liberdade do pensamento como capacidade de autoformar-se, concepção expressa na “ideia mística”, segundo ele, da superioridade da vontade sobre o entendimento. Tanto em Boehme, quanto em Descartes, Koyré a destacou fortemente e posicionou-se em relação a ela de maneira favorável, declarando-a como verdadeira. Em Boehme, ele sublinhou uma doutrina da liberdade, construída em oposição à doutrina da predestinação, que dava ao homem o dom divino da autocriação, da formação de sua própria natureza. Em Descartes, ele sublinhou a capacidade do pensamento humano de suspender o juízo, negar a tradição, de fazer uso da sua vontade e se reformar. Nossa tese é a de que essa concepção, fundamental nesses trabalhos sobre Boehme e Descartes, não se perdeu quando Koyré se voltou para a história das ciências. Ela permaneceu em seu trabalho, formando o tônus de sua obra. Sua história da revolução científica é o momento de autoformação do pensamento, de manifestação de sua liberdade. Como Deus, os anjos e o homem em Boehme, os personagens da história das ciências de Koyré não possuem uma natureza que determinaria suas ações, mas possuem em sua essência liberdade de criar-se, de se modificar, de não ser sempre os mesmos. A concepção da liberdade do pensamento, em Koyré, é a condição de possibilidade da mudança, é o fundamento da sua teoria da história e a pedra angular de sua obra historiográfica descontinuísta.
Abstract: This thesis is concerned with Alexandre Koyré's historiographical work. We analyze his studies devoted to the history of science, but also, and especially, his studies about history of German speculative mysticism, centered on Jacob Boehme, and on the history of philosophy, centered on René Descartes. We argue that, although relating to different fields, those studies were permeated by the same fundamental conception: that of freedom of thought as the ability to self-form, a conception expressed in the “mystical idea”, according to Koyré, of the superiority of will over understanding. In both Boehme and Descartes, Koyré highlighted it strongly and took a stand favorably, declaring it to be true. In Boehme he underlined a doctrine of freedom, constructed in opposition to the doctrine of predestination, which gave man the divine gift of self creation, of forming his own nature. In Descartes, he underlined the capacity of human thought to suspend judgment, deny tradition, make use of its will and reform itself. Our thesis is that this conception, fundamental in Koyré’s works on Boehme and Descartes, was not lost when he turned to the history of science. It endures in his work, forming its tonus. His history of the scientific revolution is the history of the self formation of thought, of manifestation of its freedom. Like God, angels and man in Boehme, the characters in Koyré's history of science do not have a nature that would determine their actions, but they have, in their essence, freedom to create themselves, to modify themselves, to not always be the same. Koyré's conception of freedom of thought is the condition for the possibility of change, it is the foundation of his theory of history and the cornerstone of his discontinuous historiographic work.
Palavras-chave: Alexandre Koyré
Liberdade do pensamento
Obra historiográfica
Descontinuísmo
Freedom of thought
Alexandre Koyré
Historiographical work
Discontinuism
Theory of History
Teoria da História
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de História - FH (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em História (FH)
Citação: MACHADO, H. A liberdade do pensamento: estudo sobre o fundo místico da história de Alexandre Koyré. 2021. 221 f. Tese (Doutorado em de História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2021.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/12028
Data de defesa: 3-Dez-2021
Aparece nas coleções:Doutorado em História (FH)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Hallhane Machado - 2021.pdf3,19 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons