Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/12035
Tipo do documento: Tese
Título: A construção existencial no português
Título(s) alternativo(s): Existential construction in portuguese
Autor: Costa, Lucas Alves
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5146425681841166
Primeiro orientador: Galvão, Vânia Cristina Casseb
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/4483153034836149
Primeiro coorientador: De Rosa, Gian Luigi
Currículo Lattes do primeiro coorientador: http://lattes.cnpq.br/0477655838545582
Primeiro membro da banca: Galvão, Vânia Cristina Casseb
Segundo membro da banca: De Rosa, Gian Luigi
Terceiro membro da banca: Justino, Agameton Ramsés
Quarto membro da banca: Morais, Rubens Damasceno
Quinto membro da banca: Sousa Filho, Sinval Martins de
Resumo: Nesta pesquisa, defende-se a tese central de que a construção existencial é um pareamento de forma e significado, um nó na rede linguística do português que ancora conteúdo do ato de fala por meio da inserção de entidade no plano enunciativo. O objetivo principal é descrever e analisar os traços dessa construção sancionada pelo esquema [(Exis) (SN) (loc-temp.)] e instanciada com os verbos ter, haver e existir. Fundamenta-se na perspectiva construcional da gramática, nos termos de Bybee (2010), Croft (2001), Fillmore (1977, 1995, 2006), Goldberg (1995, 2006, 2009, 2013, 2019), Hudson (2007), Langacker (1987, 1991, 2000), Tomasello (2003) e Traugott e Trousdale (2013). Utilizou-se corpora de língua oral e língua escrita do português, selecionados com critérios preestabelecidos que contemplam as variantes brasileira, africana e europeia. Os dados foram depreendidos do Corpus do Português, Corpus Fala Goiana, Corpus Discurso e Gramática e Corpus de Referência do Português Contemporâneo. Além disso, foi feita uma pesquisa tipológica de cunho bibliográfico em dados de várias línguas, indígenas e não indígenas e românticas e não românicas. Investiga-se o elo simbólico das propriedades gramaticais e discursivas, a fusão entre significado lexical e significado construcional, os níveis de esquematicidade e as suas idiossincrasias. Parte-se do pressuposto de que a construção existencial é um esquema provedor de subesquemas com propriedades discursivo-textuais especiais. Constata-se a sanção plena do esquema matriz, do subesquema de inserção de entidade e do subesquema de ancoragem de tempo em construtos empiricamente atestados em tipos textuais com propósitos comunicativos, como tematizar, argumentar e contextualizar ações narradas
Abstract: In this research, the central thesis is defended that the existential construction is a pairing of form and meaning, a node in the Portuguese linguistic network that anchors the content of the speech act through the insertion of an entity in the enunciative plan. The main objective is to describe and analyze the features of this construction sanctioned by the schema [(Exis) (SN) (loc-temp.)] and instantiated with the verbs to haver, to ter and to existir. It is based on the constructional perspective of grammar, in terms of Bybee (2010), Croft (2001), Fillmore (1977, 1995, 2006), Goldberg (1995, 2006, 2009, 2013, 2019), Hudson (2007), Langacker (1987, 1991, 2000), Tomasello (2003) and Traugott and Trousdale (2013). It was used corpora of oral language and written language of Portuguese selected with pre-established criteria that contemplate the Brazilian, African and European variants. Data were derived from the Corpus of Portuguese, Corpus Fala Goiana, Corpus Discurso e Grammática, Corpus of Reference of Contemporary Portuguese. In addition, bibliographical typological research was carried out on data from various languages, indigenous and non-indigenous, romantic and non-Romanesque. It investigates the symbolic link of grammatical and discursive properties, the fusion between lexical and constructional meaning, the levels of schematicity and their idiosyncrasies. It is assumed that the existential construction is a scheme that provides subschemas with special discursive-textual properties. It is verified the full sanction of the matrix scheme, the entity insertion subscheme and the time anchoring subscheme in empirically attested constructs in textual types with communicative purposes, such as thematizing, arguing and contextualizing narrated actions.
Palavras-chave: Construção existencial
Gramática de construções
Língua portuguesa
Existential construction
Construction gramma
Portuguese language
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: COSTA, Lucas Alves. A construção existencial no português. 2022. 164 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2022.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/12035
Data de defesa: 23-Fev-2022
Aparece nas coleções:Doutorado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Lucas Alves Costa - 2022.pdf1,77 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons