Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/12083
Tipo do documento: Tese
Título: O Rio São Francisco na história: o uso público da memória e o projeto de meio técnico-científico - Brasil 1930-1950
Título(s) alternativo(s): The São Francisco River in History: the public use of memory and the technical-scientific environment project - Brazil 1930-1950
Autor: Martins, Flávio Dantas
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5721337342296091
Primeiro orientador: Langaro, Jiani Fernando
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/9918372985460845
Primeiro membro da banca: Langaro, Jiani Fernando
Segundo membro da banca: Oliveira, Clóvis Frederico Ramaiana
Terceiro membro da banca: Leite, Eudes Fernando
Quarto membro da banca: Gomes, Ivan Lima
Quinto membro da banca: Pereira, Laurindo Mékie
Resumo: Este trabalho investiga o uso público das memórias entre as décadas de 1930 e 1950 no contexto do debate sobre aproveitamento econômico do Rio São Francisco, por meio de livros não-ficcionais de intelectuais, engenheiros, jornalistas e historiadores. Objeto de discursos de naturalistas e viajantes no século XIX, o Rio São Francisco foi configurado como central na identidade nacional em diversos discursos nesse período. Isso refletia dois processos: por um lado, uma mudança na historiografia que ampliou seus objetos de estudo e se aproximou das ciências sociais e da geografia, bem como da noção de leis históricas e dos determinismos, especialmente através de uma história territorial; por outro lado, essa discussão se articulava com um debate da opinião pública sobre aproveitamento econômico do Rio São Francisco para mitigação do impacto das secas, colonização do interior do país, produção hidroelétrica, industrialização da agricultura e fortalecimento do mercado interno. Ao longo deste período ele recebeu diversos epítetos que foram reconfigurados e não possuíam sentido unívoco, estando relacionados com posições ideológicas dos intelectuais que as interpretavam com relativa liberdade. No final da década de 1940 a criação de uma autarquia pública de planificação do vale implicou na tentativa de oficialização de uma memória marcada pela racialização dos habitantes e pelo estereótipo do espaço como primitivo, mas ela alcançou de imediato os habitantes do vale. A tese aqui defendida é que um projeto de meio técnico-científico compartilhado pela maioria dos intelectuais para o aproveitamento econômico do vale criava uma representação do passado destinada a naturalizar e justificar este projeto e silenciava as memórias e histórias dos habitantes do vale, excluídos da opinião pública em contextos ditatoriais e democráticos. Trata-se de uma história social da historiografia em diálogo com a hermenêutica e de uma história dos livros e da leitura sobre o uso público das memórias no vale do São Francisco nos anos 1930 a 1950.
Abstract: This work investigates the public use of the memories between the 1930s and 1950s in the context of the debate on the economy of the São Francisco River through the use of non-fiction books by intellectuals, engineers, journalists and historians. The São Francisco River, object of discourses of naturalists and travelers in the 19th century, was configured as central to national identity in different discourses during this period. It reflected two processes: on the one hand, a change in historiography that expanded its objects of study and approached the social sciences and geography, as well as the notion of historical laws and determinisms, especially through a territorial history; on the other hand, this discussion was articulated with a debate of public opinion on the economic use of the São Francisco River to mitigate the impact of droughts, colonization of the interior of the country, hydroelectric production, industrialization of agriculture and strengthening of the internal market. Throughout this period, it received several epithets that were reconfigured and did not have a univocal meaning, being related to the ideological positions of intellectuals who interpreted them with relative freedom. At the end of the 1940s, the creation of a public planning authority of the valley implied an attempt to make official a memory marked by the racialization of the inhabitants and the stereotype of space as primitive, but did not immediately reached the inhabitants of the valley. The thesis defended here is that a technical-scientific project shared by the majority of intellectuals for the economic use of the valley have created a representation of the past destined to naturalize and justify this project and silenced the memories and stories of the inhabitants of the valley, excluding the public opinion in dictatorial and democratic contexts. It is a social history of historiography in dialogue with hermeneutics and a history of books and reading about the public use of memories in the São Francisco Valley in the 1930s to 1950s.
Palavras-chave: História da historiografia
Memória
Projeto de meio técnico-científico
Rio São Francisco
History of historiography
Memory
São Francisco River
Technical-scientific project
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de História - FH (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em História (FH)
Citação: MARTINS, F. D. O Rio São Francisco na história: o uso público da memória e o projeto de meio técnico-científico - Brasil 1930-1950. 2022. 324 f. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2022.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/12083
Data de defesa: 15-Mar-2022
Aparece nas coleções:Doutorado em História (FH)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Flávio Dantas Martins - 2022.pdf5,94 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons