Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/12219
Tipo do documento: Dissertação
Título: Tapete vermelho: o olhar e a experiência fílmica de um Brasil caipira
Título(s) alternativo(s): Tapete vermelho: the look and the filmic experience of a caipira Brazil
Autor: Silva, Rodrigo Emídio
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/0226597741228719
Primeiro orientador: Chaveiro, Eguimar Felício
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/9540141505352914
Primeiro membro da banca: Chaveiro, Eguimar Felício
Segundo membro da banca: Safadi, Sandro de Oliveira
Terceiro membro da banca: Silva, Ana Cristina da
Resumo: Essa pesquisa analisa o cinema numa perspectiva geográfica. O filme brasileiro Tapete Vermelho (2006), dirigido Luiz Alberto Pereira, é a produção cinematográfica escolhida para aproximarmos a ciência geográfica e a arte cinematográfica. Ele será o fio condutor, a estrada imagética dessa viagem do olhar. A aventura desdobra-se nas tensões culturais entre campo e cidade. A montagem do filme é pertinente construção que denota as tensões sociais e culturais desses dois espaços. Tapete Vermelho é uma travessia de dois extremos, o Brasil é uma complexa travessia de vários extremos. O roteiro é uma lúdica e emocionante viagem por um Brasil que sai da roça e torna-se metrópole. Uma caminhada que se inicia na tradição, resiste e chega à modernidade, esta, por sua vez, espanta e seduz. As paisagens sociais e culturais brasileiras tornam-se ingredientes cênicos que solidificam a significação da experiência do olhar. A metodologia ancora-se nos aspectos qualitativos e com a proposta de uma ciência invadida de emoção. Os lugares geográficos tornam-se locais narrativos, portanto as imagens cinematográficas criam subjetividades espaciais e vice-versa. Os nossos sentidos projetam-nos no mundo, este, por sua vez, nos invade. Nesse amálgama, os sujeitos carregam suas cartografias existenciais quando tomam o mundo pela consciência. Nessas premissas, a pesquisa deleita-se em algumas cenas. Descrevemo-las e as analisamos a partir da observação para entender como a técnica cinematográfica elabora a antropomorfização espacial. As imagens cinematográficas carregam valores culturais, o espectador derrama sua alma nas cenas. Elas são acolhidas pelos olhos e, aconchegadas, bailam no entrelace de sujeito e cena. Existe a importância da viagem e do olhar aventureiro para a geografia nas tensões entre o imaginário rural e o urbano. Algumas cenas foram selecionadas e, a partir delas, exploramos as querelas cênicas, as palavras, os traquejos e as expressões que são corriqueiras no mundo rural. No decorrer do filme, as cidades não apenas descortinam-se ou surgem depois dos morros, na violência policial e na miséria mendicante, mas também são mágicas como uma sala de cinema. As experiências cinematográficas auxiliam a construção de uma Geografia sensível e das sensibilidades. Nesse bojo, a viagem é um perpétuo estado de estar entre lugares, o olhar tocado pelas paisagens anteriores invade as próximas, toca o céu na experiência do infinito. Das panorâmicas aos planos-detalhes, a geografia é uma ciência viajante.
Abstract: This research analyzes cinema through a geographical perspective. The Brazilian film Red Carpet (2006), directed by Luiz Alberto Pereira, is the cinematographic production chosen to bring geographical science and cinematographic art close together. It will be the guiding thread, the imagery road of this journey of the gaze. The adventure evolves to the cultural tensions between countryside and city. The edition of the film is a pertinent construction that denotes the social and cultural tensions of these two spaces. Red Carpet is a passage of two extremes, Brazil is a complex passage of several extremes. The film script is a playful and exciting journey through a Brazil that leaves the countryside and becomes a metropolis. A journey that begins in tradition, resists and reaches modernity, which, in turn, amazes and seduces. Brazilian social and cultural landscapes become scenic ingredients that enrich the meaning of the experience of looking. The methodology is anchored in qualitative aspects and in the proposal of a science driven by emotion. Geographic places become narrative places, therefore cinematographic images create spatial subjectivities and vice versa. Our senses project us into the world, which, in turn, invades us. In this amalgamation, subjects are bound by their existential cartographies when they become aware of the world by their consciousness. In these premises, the research is pleased and delighted with some scenes. We describe and analyze them through observation so as to understand how the cinematographic technique elaborates spatial anthropomorphization. Cinematic images have cultural values, the spectator pours his soul into the scenes. They are welcomed by the eyes and, snuggled, they dance in the intertwining of subject and scene. There is the importance of traveling and an adventurous looking to Geography in the tensions between rural and urban imagination. Some scenes were selected and, from them, we explore the scenic arguments, the words, the qualities and the expressions which are common in the rural world. During the film, cities not only reveal themselves or appear beyond the hills, in police violence and begging misery, but they are also magical, so as a movie theater. The cinematographic experiences help in the construction of a sensitive and of sensibilities Geography. With this in mind, traveling is a perpetual state of being among places, the gaze touched by previous landscapes invades the next ones, it touches the sky in the experience of infinity. From panoramic views to detailed plans, Geography is a traveling science.
Palavras-chave: Cinema
Olhar
Paisagem
Lugar
Cidade
Roça
Cinema
Look
Landscape
Place
City
Country
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA::GEOGRAFIA HUMANA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Instituto de Estudos Socioambientais - IESA (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Geografia (IESA)
Citação: SILVA, Rodrigo Emídio. Tapete vermelho: o olhar e a experiência fílmica de um Brasil caipira. 2022. 84 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2022.
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/12219
Data de defesa: 6-Jul-2022
Aparece nas coleções:Mestrado em Geografia (IESA)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Rodrigo Emídio Silva - 2022.pdf1,66 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons