Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3127
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorOliveira, Ludmilla Alves de-
dc.contributor.advisor1Gomes, Suely Henrique de Aquino-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3007925506666700por
dc.contributor.referee1Gomes, Suely Henrique de Aquino-
dc.contributor.referee2Sousa, Kátia Menezes de-
dc.contributor.referee3Carneiro, Goiamérico Felício-
dc.date.accessioned2014-09-23T11:45:25Z-
dc.date.issued2013-09-23-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, Ludmilla Alves de. Cidade vigiada: segurança e controle em tempos de biopoder. 2013. 123 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2013.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3127-
dc.description.resumoA contemporaneidade vive a cultura do medo, que culminou em uma sociedade altamente vigiada. As câmeras de vigilância compõem o cenário urbano por se fazerem necessárias ao exercício do controle e da segurança. O presente trabalho pretende identificar como o indivíduo se constitui enquanto sujeito diante da vigilância, da insegurança, do medo e dos conflitos sociais pautados no capitalismo contemporâneo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa e exploratória que buscou conhecer o atual universo de controle e vigilância estabelecidos na contemporaneidade. O estudo do uso de câmeras de vigilância em Goiânia faz uso da Análise do Discurso (AD) baseada na obra de Eni P. Orlandi (2005). Todas as noções e teorias evocadas, como as do poder, do saber, do dispositivo, da subjetivação e do discurso, na visão de autores como Foucault (2009: 2008: 2007: 2006: 1999: 1999: 1987), Guattari e Rolnik (2011: 1992), Deleuze (2005: 2001: 1992) e Agamben (2009), são trabalhadas nos capítulos teóricos e retomadas durante o processo de análise. Foram entrevistados transeuntes e comerciantes presentes nas áreas monitoradas, assim como representantes da central de monitoramento. Ao longo das entrevistas e análise, a atenção voltou-se para os processos de subjetivação do sujeito, a seus processos de assujeitamento (aceitação e resistência/ biopoder) e ainda às formas de saber e poder presentes na relação entre sujeito e câmeras de vigilância. A partir dessas categorias de análise e das entrevistas, observou-se a presença de um discurso hegemônico, em que o sujeito se constitui por meio das relações de forças, modos de coerção e controle que o envolve, desenvolvendo um comportamento de total aceitação e submissão as formas de controle e poder regentes na sociedade, comportamento este que é próprio do biopoder. Contudo, esse mesmo sujeito que se constitui conforme o meio no qual está inserido, é também aquele que não se caracterizou por um comportamento singular, num modo próprio de se fazer sujeito; tornando-se, portanto, massa de um discurso hegemônico, absolutamente controlável por um sistema de segurança, que é vendido apenas como algo a beneficiar a sociedade.por
dc.description.abstractThe contemporary world lives the reality of the culture of fear, culminating in a society under constant surveillance. And the surveillance cameras are part of the urban scenario being necessary to exercise of controlling and security. This paper aims to identify how the individual is incurred as a subject before surveillance. Insecurity, fear and social conflicts guided by contemporary capitalism. This is a qualitative exploratory study that pursued to know the current surveillance control universe established in the contemporary world. The following study of the surveillance cameras usage in Goiânia uses as a theoretical and methodological referential the discourse analysis (DA) based on the method of Eni P. Orlandi (2005). All the evoked notions and theories such as power, knowledge, subjectivity and discourse, in view of authors as Foucault (2009: 2008: 2007: 2006: 1999a: 1999b: 1987), Guattari and Rolnik (2011: 1992), Deleuze (2005: 2001: 1992) and Agamben (2009), are worked in the theoretical chapters and resumed during the analysis process. Were interviewed passers-by and traders present in the monitored areas as well as representatives of the monitoring central station. Throughout the analysis and interviews the attention was turned to the process of subjectivity of the subject. Their subjection process (acceptance and resistance/biopower) and still the ways of knowing and the power present in the relation between the subject and the surveillance cameras. From these categories of analysis and interviews it was observed the presence of a hegemonic discourse where the subject is incurred by the relation of forces, modes coercion and control that they are involved in, developing a behavior characteristic of biopower. However this same subject is constituted according to the environment they live it is also the subject that was not characterized by a unique behavior in their own way to make themselves the subject, becoming, therefore, mass of a hegemonic discourse, absolutely controllable by a security system, sold only as something to benefit society. Keywords: Subjectivity. Surveillance. Cameras. Insecurity. Urban space.eng
dc.description.provenanceSubmitted by Luciana Ferreira (lucgeral@gmail.com) on 2014-09-22T13:04:54Z No. of bitstreams: 2 Oliveira, Ludmilla Alves de.pdf: 757358 bytes, checksum: df642ffbfccc9cf3ba0376c7dd50d650 (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5)eng
dc.description.provenanceApproved for entry into archive by Luciana Ferreira (lucgeral@gmail.com) on 2014-09-23T11:45:25Z (GMT) No. of bitstreams: 2 Oliveira, Ludmilla Alves de.pdf: 757358 bytes, checksum: df642ffbfccc9cf3ba0376c7dd50d650 (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2014-09-23T11:45:25Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Oliveira, Ludmilla Alves de.pdf: 757358 bytes, checksum: df642ffbfccc9cf3ba0376c7dd50d650 (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Previous issue date: 2013-09-23eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://repositorio.bc.ufg.br/tede/retrieve/8357/Oliveira%2c%20Ludmilla%20Alves%20de.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Goiáspor
dc.publisher.departmentFaculdade de Informação e Comunicação - FIC (RG)por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFGpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Comunicação (FIC)por
dc.relation.referencesAGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo?: e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009. 92 p. BAUMAN, Zygmunt. Confiança e medo na cidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. ______. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, 2008. ______. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Zahar, 2003 BENTHAM, Jeremy. O panóptico. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. 179 p. BRUNO, F. KANASHIRO, M. FIRMINO, R. Vigilância e visibilidade: espaço, tecnologia e identificação. Porto Alegre: Sulina, 2010. BRUNO, Fernanda. Mapas de crime: vigilância distribuída e participação na cibercultura. E-compós, Brasília, v.12, n.2, maio/ago. 2009. Disponível em: http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/viewFile/409/352. Acesso: 10 jun. 2011. ______. Monitoramento, classificação e controle nos dispositivos de vigilância digital. Famecos. Porto Alegre, n. 36, 2008a. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/viewFile/4410/3309 Acesso: 10 jun. 2011. ______. Controle, flagrante e prazer: regimes escópicos e atencionais da vigilância nas cidades. Famecos, Porto Alegre, nº 37, dezembro. 2008b. p. 48-53. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/viewFile/4799/3603 Acesso: 10 jun. 2011. ______. Dispositivos de vigilância no ciberespaço. Duplos digitais e identidades simuladas. Revista Fronteiras, v. VIII, nº 3, 2006. Disponível em: http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/fronteiras/article/viewArticle/3147. Acesso em: 10 jun. 2011. CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Edusp, 2003. CASTELLS, Manuel. Galáxia da Internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. 1ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 2003. 243 p. CARDOSO JR, Hélio Rebello. Para que serve uma subjetividade? Foucault, tempo e corpo. Psicologia: Reflexão e Crítica, 18 (3), p. 343-349, 2005. 112 CASTRO, R. B.; PEDRO, R. M. L. R.. Redes de vigilância: a experiência da segurança e da visibilidade articuladas às câmeras de monitoramento urbano. Surveillance in Latin America, Vigilância, segurança e controle social, Curitiba. Paraná: PUCPR, 2009. DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil platôs. Capitalismo e Esquizofrenia. v. 5. São Paulo: 34, 1997. DELEUZE, Gilles. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 2005. ______. Empirismo e Subjetividade: Ensaios sobre a natureza humana segundo Hume, 1º ed., São Paulo: Editora 34, 2001. ______. Conversações. Rio de Janeiro: Ed. 34 Literatura, 1992. FIRMINO, Rodrigo José. A simbiose do espaço: cidades virtuais, arquitetura recombinante e a atualização do espaço urbano. Universidade de Newcastle no reino Unido. 2005. Disponível em: http://arqbras-3.sap.eesc.usp.br/pesquisa/grupos/e-urb/producao/rodrigo/UrbanizacaoSimbiotica.pdf Acesso em: 15 jun. 2011. FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. 18º ed., São Paulo: Edições Loyola, 2009. ______. Segurança, Território, População: curso dado no College de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008. ______. Microfísica do poder. Trad. Roberto Machado (Org.) Rio de Janeiro: Edições Graal, 2007. ______. Ética, Sexualidade, Política. Coleção Ditos e Escritos (org.) Manoel Barros da Motta. Volume V. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. ______. Em defesa da sociedade. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1999a. ______. História da Sexualidade: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1999b. ______.Vigiar e punir. História da violência nas prisões. Petrópolis: Vozes, 1987. FRATTARI, Najla Franco. Sentimento de insegurança na cidade de Goiânia. In: SOUZA, Dalva Borges de. Violência Urbana em Goiás: práticas e representações. Goiânia: Editora UFG: Cânone Editorial, p. 31-50, 2011. GOMES, Paulo César da Costa. O silêncio das cidades: os espaços públicos sob ameaça, a democracia em suspensão. Rio de Janeiro: Cidades, v.2, n.4, p. 249-265, 2005. GUATTARI, Félix, ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografias do desejo. Petropólis: Vozes, 2011. ______. Caosmose: um novo paradigma estético. São Paulo: editora 34, 1992. 113 KANASHIRO, Marta Mourão. Sorria, você está sendo filmado: as câmeras de monitoramento para segurança em São Paulo. 2006. 133p. Dissertação (Mestrado Sociologia)-Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2006. KOCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. 24. ed. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2007. LEAL, Rita de Cássia Souza. Câmeras de vigilância: as novas tecnologias na governamentalidade contemporânea. 2006. 182 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Cultura) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006. ______. Novas tecnologias e monitoração: a cultura do medo legitimando o controle. IN: Intercom. 2005. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2005/resumos/R0895-1.pdf. Acesso em: 10 jun. 2011. LEMOS, A.; QUEIROZ, C.; SANTANA, E.; FAGUNDES, F.; BALEEIRO, G.. Câmeras de Vigilância e cultura da insegurança: percepções sobre as câmeras de vigilância da UFBA. ALCEU - v. 12 - n.23 - p. 143 a 153 - jul./dez. 2011 LEMOS, André. Cibercultura e Mobilidade: a era da conexão. In: Intercom – XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, UERJ, 2005, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos... Rio de Janeiro: UERJ, 2005. Disponível em: Acesso em: 15 jun. 2011. LEMOS, André. Mídias Locativas e Vigilância: sujeito inseguro, bolhas digitais, paredes virtuais e territórios informacionais. IN: Surveillance in Latin America, Vigilância, segurança e controle social, Curitiba. Paraná: PUCPR, 2009a. p. 621- 648. ______. Cultura da mobilidade. Revista Famecos. nº 40, Porto Alegre, 2009b. p. 28 - 35. Disponível em: http: //revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/viewFile/6314/4589 . Acesso em: 20 jun. 2011. ______. Tecnologias sem fio de comunicação e informação. Cidades e novos territórios informacionais. In: ARANTES, Priscila e SANTAELLA, Lucia. Estéticas Tecnológicas. Novos modos de sentir Ed. PUC/SP, Prelo. 2007a. ______. Mídias locativas e territórios informacionais, In: ARANTES, Priscila e SANTAELLA, Lucia. Estéticas Tecnológicas. Novos modos de sentir. Ed. PUC/SP, Prelo, 2007b. Disponível em: http://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/andrelemos/midia_locativa.pdf. Acesso em: 15 jun. 2011. ______. Olhares sobre a cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003. pp. 11-23. Disponível em: http://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/andrelemos/cibercultura.pdf. Acesso em: 22 jun. 2011. 114 ______. Cibercultura, tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002. LEVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. 34, 2010. ______. O que é virtual? São Paulo: Ed. 34, 1996 MACHADO, Arlindo. Máquina e Imaginário: o desafio das políticas tecnológicas. 3. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001. MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. 2ºed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1998. MARSHALL, McLuhan. Os meios de comunicação como extensão do homem. São Paulo: Cultrix, 2007. MORAES, João Feliz Duarte. A necessidade de adequação metodológica. IN: KIPPER, Délio José (org). Ética: Teoria e Prática: uma visão multidisciplinar. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006. ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e fundamentos. Campinas, SP: Pontes, 6ª edição, 2005. PEDRO, R. M. L. R. Tecnologias de Vigilância: um estudo psicossocial a partir da análise de controvérsias. In: XXIX Encontro Anual da ANPOCS - Associação de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais. v. 1. Caxambu. 2005. Disponível em: http://www.ocyt.org.co/esocite/Ponencias_ESOCITEPDF/4BRS043.pdf. Acesso em: 15 jul. 2011. PELBART, Peter Pal. Foucault versus Agamben. In: Ecopolítica. v.5, p. 37-63, 2013. Disponível em: http://www.revistas.pucsp.br/ecopolitica. Acesso em: 28 ago. 2013. PELLEJERO, Eduardo. Dos dispositivos de poder ao agenciamento de resistência. Revista eletrônica Com Ciência, 2008. RAUTER, Cristina Mair. O negativo como obstáculo a uma compreensão da violência contemporânea: criminalidade e coletivo. Caderno Psicanálise – CPRJ, Rio de Janeiro, v. 33, nº 24, p. 78-90, 2011. REISHOFFER, Jefferson Cruz; BICALHO, Pedro Paulo Gastalho. Insegurança e produção de subjetividade no Brasil contemporâneo. Fractal: Revista de Psicologia, v. 21, n. 2, p. 425-444, Maio/Ago. 2009. Disponível em: http://www.uff.br/periodicoshumanas/index.php/Fractal/article/view/156/344. Acesso em: 08 mar. 2012. ROSA, Maria V. de F.P. do C; ALNOLDI, Marlene A. G. C.. A entrevista na pesquisa qualitativa: mecanismos de validação dos resultados. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. 115 ROSEIRO, Carlos; TORRES, Pedro; SALVADO, José. NetEye – Vídeo Vigilância Baseada em Tecnologia IP. Escola Superior de Tecnologia IPCB, Abril 2008. Disponível em: http://scholar.googleusercontent.com/scholar?q=cache:-KiKs6KoU2IJ:scholar.google.com/+neteye+V%C3%ADdeo+Vigil%C3%A2ncia+Baseada+em+Tecnologia+IP&hl=pt-BR&as_sdt=0. Acesso em: 08 mar. 2012. RUDIGER, Francisco. Introdução às teorias da cibercultura: perspectiva do pensamento tecnológico contemporâneo. Porto Alegre: Sulina, 2ª Ed. 2007. SANTAELLA, Lucia. A estética política das mídias locativas. Revista Nómadas, Colômbia, nº 28, p. 128-137, abril. 2008a. __________________. Estéticas tecnológicas: novos modos de sentir. São Paulo: educ, 2008b. SILVA, Juremir Machado da. Tecnologias do imaginário. Porto Alegre: Sulina, 2003. SILVA, Rosane Neves. A dobra Deleuziana: Políticas de Subjetivação. Revista do Departamento de Psicologia da UFF, Nitéroi – RJ, v. 16, n.1, p. 55-75, 2004. SILVEIRA, Sergio Amadeu. Redes cibernéticas e tecnologias do anonimato. Confrontos na sociedade do controle. In: Compós. 2009. Disponível em: http://www.compos.org.br/pagina.php?menu=14&mmenu=6&gm=int&gti=arqul&ordem=3&grupo1=9D&grupo2=&encontro=&tag=&ano=&mes=&pchave=&git=2&pg=4. Acesso em: 10 jul. 2011. SOARES, Leonardo Barros. MIRANDA, Luciana Lobo. Produzir subjetividades: o que isso significa? Revispsi, UERJ, 2008. SOUZA, Marcelo Lopes de. Fobópole: o medo generalizado e a militarização da questão urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. TREVISAN, E.; FIRMINO, R. J.; MOURA JUNIOR, A. de. Olhos de vidro: observando os observadores no monitoramento de espaços públicos em Curitiba, Brasil. In: Vigilância, Segurança e Controle Social na América Latina, Curitiba, p. 134-152. Curitiba. Brasil. 4-6 de março. 2009. VIRILIO, Paul. A máquina da Visão. São Paulo: José Olympio, 2002. ZULIETTI, Luis Fernando. As sociedades de controle de Gilles Deleuze. Revista Univap. v. 12, nº 22. Dezembro. 2005.por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/-
dc.subjectSubjetividadepor
dc.subjectVigilânciapor
dc.subjectCâmeraspor
dc.subjectInsegurançapor
dc.subjectInsegurançapor
dc.subjectSubjectivityeng
dc.subjectSurveillanceeng
dc.subjectCameraseng
dc.subjectInsecurityeng
dc.subjectUrban spaceeng
dc.subject.cnpqCOMUNICACAO::TEORIA DA COMUNICACAOpor
dc.titleCidade vigiada: segurança e controle em tempos de biopoderpor
dc.title.alternativeCity surveillance: security and control in times of biopowereng
dc.typeDissertaçãopor
Aparece nas coleções:Mestrado em Comunicação (FIC)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Oliveira, Ludmilla Alves de.pdfDissertação - PPGCOM/RG - Ludmilla Alves de Oliveira739,61 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons