Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3203
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorNicolodi, Elaine-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0728006090054892por
dc.contributor.advisor1Oliveira, João Ferreira de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9753142663168623por
dc.contributor.referee1Oliveira, João Ferreira de-
dc.contributor.referee2Ferreira, Eliza Batolozzi-
dc.contributor.referee3Freitas, Raquel Aparecida Marra da Madeira-
dc.contributor.referee4Gonçalves, Ana Maria-
dc.date.accessioned2014-09-28T02:14:24Z-
dc.date.issued2013-10-16-
dc.identifier.citationNICOLODI, Elaine. Políticas públicas de reestruturação do ensino médio: as reformas implantadas pela Secretaria de Estado da educação de Goiás no período 2000-2010. 2013. 283 f. Tese (Doustorado em Educação) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2013.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3203-
dc.description.resumoEste trabalho, que integra a linha de pesquisa Estado, Políticas e História da Educação, analisa as principais diretrizes, bases e ações da política educacional no âmbito da Secretaria da Educação do Estado de Goiás (SEDUC/GO), sobretudo no período de 2000 a 2010, sem deixar de lado os principais programas, planos e ações advindas das políticas do governo federal. Nesse contexto, buscou-se examinar em que consistiu o Projeto Escola Jovem (2000) e o Programa Ensino Médio Inovador (2009) e como estes foram implantados, considerando as matrículas, as taxas de aprovação, reprovação, abandono e, ainda, as avaliações externas que impactaram, em especial, as seis escolas que integraram a amostra da pesquisa. Para se problematizar o objeto de estudo e chegar às questões de investigação, trabalhou-se com teóricos que discutem o que é reforma, Estado, escola pública, Ensino Médio etc., entre os quais: Alves (2006); Chartier (1998); Cunha (1975; 1988; 2000); Kuenzer (2000); Oliveira D. (2000); Pérez Goméz (1998); Popkewitz (1997; 1998; 2000); Sacristán (1998; 2000); Torres (1998). Nessa revisão de literatura, pretendeu-se encontrar quais as principais categorias, em relação ao Ensino Médio, que estiveram mais presentes nos estudos e nas pesquisas realizadas na área. Entre elas, para efeito de análise dos Projetos/Programas de reforma do ensino Médio em Goiás, identidade do Ensino Médio, políticas de reforma e avaliação. Como recurso metodológico, escolheu-se a abordagem qualitativa em razão da complexidade e da natureza do objeto de estudo. Buscouse, então, o aprofundamento sobre o Ensino Médio em Goiás, tema pouco explorado na área de políticas educacionais no Estado. Quanto à pesquisa empírica, foram analisados documentos considerados mais relevantes para a implementação das propostas de reforma/reestruturação do Ensino Médio no Estado de Goiás. Além deles, foram analisados dados das escolas que integraram a amostra da pesquisa. Pode-se afirmar, com base nos dados das escolas pesquisadas, que as políticas implantadas se limitaram a períodos determinados, não significando uma ampla e contínua reforma no Ensino Médio. Os resultados possibilitaram identificar contradições nos discursos oficiais e na implantação e materialização das políticas de Ensino Médio, revelando um distanciamento entre o pretendido e o realizado. Além disso, a repercussão dos impactos da reforma do Ensino Médio em Goiás, em se tratando do desempenho nas avaliações externas, não foi muito expressiva. A implementação da reforma deu-se de modo parcial, uma vez que o índice de reprovação dos alunos ainda é alto, demonstrando a precariedade dos recursos disponibilizados para aquisição de equipamentos e materiais de apoio ao trabalho pedagógico nas escolas, assim como para a capacitação permanente dos professores. No que se refere à reforma curricular, faltam laboratórios e espaços para articular o trabalho intelectual com atividades integradoras de iniciação científica, maior consistência e articulação das matrizes curriculares, incluindo maior relacionamento dos conteúdos às demandas regionais e maior acesso aos bens culturais.por
dc.description.abstractEste trabajo, que integra la línea de investigación Estado, Políticas e Historia de la Educación, analiza las principales directrices, bases y acciones de la política educacional en el ámbito de la Secretaría de Educación de la Provincia de Goiás, sobre todo en el período de 2000 a 2010, sin dejar de lado los principales programas, planos y acciones provenientes de las políticas del gobierno federal. En ese contexto, se trató de examinar en qué consistió el Proyecto Escuela Joven (2000) y el Programa Enseñanza Media Innovadora (2009) y como estos fueron implantados, considerando las matrículas, las tasas de aprobación, repetición, abandono y , todavía, las evaluaciones externas que han impactado, en especial, las seis escuelas que integraron la muestra de la investigación. Para problematizarse el objeto de estudio y obtener a los interrogantes de la investigación, se ha trabajado con los teóricos que discuten lo que es reforma, Estado, escuela pública, enseñanza media etc., entre los cuales: Alves (2006); Chartier (1998); Cunha (1975; 1991; 2000);Kuenzer (2000); Oliveira D. (2000); Pérez Goméz (1998); Popkewitz (1997; 1998; 2000); Sacristán (1998; 2000); Torres (1998). En esa revisión de literatura, se pretendió encontrar cuales son las principales categorías, en relación a la Enseñanza Media, que más han estado presentes en los estudios y en las investigaciones realizadas en el área. Entre ellas, para fines de análisis de los Proyectos/Programas de reforma de la enseñanza media en Goiás, identidad de la Enseñanza Media, políticas de reforma y evaluación. Como recurso metodológico, se ha elegido el enfoque cualitativo en virtud de la complejidad y la naturaleza del objeto de estudio. Se buscó, entonces, la profundización sobre la Enseñanza Media en Goiás, tema poco explorado en el área de políticas educacionales en el Estado. En cuanto a la investigación empírica, han sido analizados documentos considerados más relevantes para la implementación de las propuestas de reforma/reestructuración de la Enseñanza Media en la Provincia de Goiás. Además de ellos, han sido analizados datos de las escuelas que integraron la muestra de la investigación. Se puede afirmar, a partir de los datos de las escuelas investigadas, que las políticas implantadas se limitaron a periodos determinados, no significando una amplia y continua reforma en la Enseñanza Media. Los resultados posibilitaron identificar contradicciones en los discursos oficiales y en la implantación y materialización de las políticas de Enseñanza Media, revelando un alejamiento entre lo pretendido y lo realizado. Además, la repercusión de los impactos de la reforma de la Enseñanza Media en Goiás, en relación al desempeño en las evaluaciones externas, no ha sido muy expresiva. La implementación de la reforma se dio de modo parcial, puesto que el índice de reprobación de los alumnos todavía es alto, lo que demuestra la precariedad de los recursos disponibles para adquisición de equipos y materiales de apoyo al trabajo pedagógico en las escuelas, así mismo para la capacitación permanente de los profesores. Por lo que se refiere a la reforma curricular, faltan laboratorios y espacios para articular el trabajo intelectual con actividades integradoras de iniciación científica, mayor consistencia y articulación de las matrices curriculares, incluyendo mayor relacionamiento de los contenidos a las demandas regionales y mayor acceso a los bienes culturales.spa
dc.description.provenanceSubmitted by Luciana Ferreira (lucgeral@gmail.com) on 2014-09-24T15:25:19Z No. of bitstreams: 2 Nicolodi, Elaine.pdf: 1245324 bytes, checksum: 215f2765d762a9c55afba8b70582cc6f (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5)eng
dc.description.provenanceApproved for entry into archive by Cláudia Bueno (claudiamoura18@gmail.com) on 2014-09-28T02:14:24Z (GMT) No. of bitstreams: 2 Nicolodi, Elaine.pdf: 1245324 bytes, checksum: 215f2765d762a9c55afba8b70582cc6f (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2014-09-28T02:14:24Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Nicolodi, Elaine.pdf: 1245324 bytes, checksum: 215f2765d762a9c55afba8b70582cc6f (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) Previous issue date: 2013-10-16eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPqpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://repositorio.bc.ufg.br/tede/retrieve/8850/Nicolodi%2c%20Elaine.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Goiáspor
dc.publisher.departmentFaculdade de Educação - FE (RG)por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFGpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Educação (FE)por
dc.relation.referencesABRAHÃO, R. de C. R. A nova proposta curricular do estado de São Paulo (2008) – vivências nas escolas pública paulista: desafios para a ação gestora. 2011. Tese (Doutorado em Educação) 􀃭 Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011. ABRAMOVAY, M.; CASTRO, M. G. (Orgs.). Ensino Médio: múltiplas vozes. Brasília: UNESCO; MEC, 2003. ABRUCIO; F. L.; LOUREIRO, M. R. (Orgs.). O estado numa era de reformas: os anos FHC. Brasília: MP; SEGES, 2002. ALVES, G. L. Na produção da escola pública contemporânea. Campinas: Autores Associados, 2006. AUR, B. A.; CASTRO, J. M. de. Ensino médio: proposições para inclusão e diversidade. Brasília: Unesco, 2012. AZEVEDO, J. A educação como política pública. Campinas: Autores Associados, 2001. BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011. BARROS, M. S. F. As políticas educacionais para o ensino médio e profissionalizante no estado do Paraná. In: ANPEd, 28, 2005, Caxambu. Anais Eletrônicos... Caxambu, 2005. Disponível em: <http://www.anped.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2012. BENFATTI, X. D. O currículo integrado do ensino médio integrado: da intenção à realização. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011. BERGER FILHO, R. L. A nova formação: transformação e qualidade. Brasília: MEC, [s.d.]. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb >. Acesso em: 02 mar. 2012. BERGER FILHO. R. L. Currículo e Competências. Brasília, 2001. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb >. Acesso em: 02 mar. 2012. BERGER FILHO, R. L. Ensino Médio: os desafios da inclusão. In: BRASLAVSKY, C. Educação secundária: mudança ou imutabilidade? Brasília: Unesco, 2002. BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996. BOURDIEU, P. Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 2011. BRASIL. CNE. CEB. Resolução CEB n. 03 de 26/06/1998a. Institui as DCN para o Ensino Médio. 244 BRASIL. CNE. CEB. Parecer n. 5 de 01/06/1998b. DCN para o Ensino Médio. Relatora: Guiomar Namo de Mello. BRASIL. DECRETO n. 19.890, de 18 de abril de 1931. Disponível em: <http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/129393/decreto-19890-31>. Acesso em: 02 abr. 2012. BRASIL. DECRETO n. 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o parágrafo 2º do art. 36 e os art. 39 a 42 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 abr. 1997. p. 7.760. BRASIL. DECRETO n. 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do artigo 36 e os arts. 39 a 41 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 jul. 2004. BRASIL. DECRETO n. 5.478, de 24 de junho de 2005. Institui, no âmbito das instituições federais de educação tecnológica, o Programa de Integração da Educação Profissional ao Ensino Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (PROEJA). Brasília, DF, 2005. BRASIL. IBGE. Censo Demográfico 2000. Brasil: IBGE, 2002. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/20122002censo.shtm>. Acesso em: 16 dez. 2012. BRASIL. INEP. Censo Escolar. Anos 1997 e 1998. BRASIL. INEP. ENEM – Documento Básico. Brasília: INEP/MEC, 1998. BRASIL. INEP. A educação no Brasil na década de 90: 1991-2000. Brasília: INEP/MEC, 2003. BRASIL. INEP. Relatório Pedagógico do ENEM 2006. Brasília, 2006. BRASIL. INEP. Censo da educação básica: 2012 – resumo técnico. – Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2013. BRASIL. IPEA. Políticas sociais – acompanhamento e análise. Brasília, 16 nov. 2008. BRASIL. LEI n. 5.692, de 11/08/1971. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 22 dez 2011. BRASIL. LEI n. 7.044, de 18/10/1982. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 22 dez 2011. BRASIL. LEI n. 9394, de 20/12/1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 22 dez 2011. 245 BRASIL. LEI n. 11.494, de 20/06/2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 22 dez 2011. BRASIL. MEC. Manual de Planejamento Estratégico para a Reforma e Expansão do Ensino Médio – Universalizando o Ensino Médio. Brasília: MEC/SEMTEC/PROEP, 1999. BRASIL. MEC. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnologia, 2000. (Parte I - Bases Legais) BRASIL. MEC. Parâmetros em ação: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2001. BRASIL. MEC. PCN+ Ensino Médio. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2002. BRASIL. MEC. Relatório de Gestão do Exercício 2004. Brasília, 2005. BRASIL. MEC. Orientações curriculares do Ensino Médio. Brasília: MEC, 2006. BRASIL. MEC. SAEB – 2005 PRIMEIROS RESULTADOS: médias de desempenho do SAEB/2005 em perspectiva comparada. Brasília, 2007. BRASIL. MEC. Reestruturação e Expansão do Ensino Médio no Brasil. Brasília: MEC, julho de 2008. BRASIL. MEC. Relatório de Gestão do Exercício 2008. Brasília, 2009. BRASIL. MEC. Relatório de Gestão do Exercício 2010. Brasília, 2011. BRASIL. MEC. SEB. Orientações curriculares para o ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006. (volume 1) BRASIL. MEC. SEB. Ensino Médio Inovador. Brasília: MEC/SEB, 2009. BRASIL. MEC. SEMTEC. Programa de melhoria e expansão do ensino médio projeto escola jovem (síntese). Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Ensino Médio e Tecnológico, 2000. BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC). INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). ENEM demonstra conhecimento dos alunos ao final da educação. Notícias do ENEM. Brasília, 16 dez. 1998. Disponível em: <http://enede.INEP.gov.br/web/guest/todasnoticias>. Acesso em: 2010. BRASIL. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO. Relatório de Gestão Secretaria de Educação Básica. Brasília, jan. 2006. 246 BRASIL. PNE. Plano Nacional de Educação. Lei n. 10.172, de 09 de janeiro de 200. Brasília: MEC; INEP, 2001. BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília, nov. 1995. BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Constituição (1988). Constituição da república federativa do Brasil. Brasília, DF, 1988. BRASIL. SEED. TV Escola: relatório 1996-2002. Brasília: SEED, 2002. BRESSAN, S. Reforma Administrativa. In: LAMOUNIER, B.; FIGUEIREDO, R. A era FHC: um balanço. São Paulo: Cultura, 2002. BRITO, W. A. de. Ensino médio público: formação humana ou para o mercado? 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2011. BUENO, M. S. S. Orientações nacionais para a reforma do Ensino Médio: dogma e liturgia. Cad. Pesqui., mar. 2000, n. 109, p.7-23. CAIXETA, N. Educação. In: LAMOUNIER, B.; FIGUEIREDO, R. A era FHC: um balanço. São Paulo: Cultura, 2002. CARDOSO, F. H. Mãos à obra Brasil: proposta de governo. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008. Disponível em: <http://www.bvce.org>. Acesso em: 02 maio 2012. CARVALHO, C. Os PCN para o ensino médio: possibilidades e limites. In: ANPEd, 28, 2005, Caxambu. Anais Eletrônicos... Caxambu, 2005. Disponível em: <http://www.anped.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2012. CASTRO, Maria Helena. O fim da obrigatoriedade do vestibular. (Notícias do ENEM – 04 de dezembro de 1998). Disponível em: <www.inep.gov.br/imprensa/noticias/enem>. Acesso em: 20 ago. 2010. CASTRO, M. H. G.; TIEZZI, S. . A reforma do Ensino Médio e a implantação do ENEM no Brasil. In: BROCK, C.; SCHWARTZMAN, S. (Org.). Os desafios da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005. p. 119-154. CARVALHO, J. S. O discurso pedagógico das diretrizes curriculares nacionais: competência crítica e interdisciplinaridade. Cad. Pesqui., mar. 2001, n. 112, p. 155- 165. CEZAR, E. H. A. O ensino médio estadual noturno: a consolidação da escola pública como "cortina de fumaça". (ou a ciência não é para todos?). 2009. Tese (Doutorado em Ensino em Biociências e Saúde) – Fundação Oswaldo Cruz, 2009. CHARTIER, A-M. A formação de professores na França e a criação dos institutos universitários de formação de mestres. In: WARDE, M. J. (Org.). Novas políticas educacionais: críticas e perspectivas. São Paulo, Programa de Estudos Pós247 Graduados em Educação: História e Filosofia da Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1998. p. 49-71. CONAE. Documento final. Brasília: Presidência da República; MEC, 2010. CORREIO BRAZILIENSE, Brasília, 23 dez. 2004. Disponível em: <http:// www.correiobraziliense.com.br>. Acesso em: 20 dez. 2011. COSTA, G. L. M. O ensino médio no Brasil: expansão da matrícula e precarização do trabalho docente. In: ANPED, 34, 2011, Natal. Anais Eletrônicos... Natal, 2011. Disponível em: <http://www.anped.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2012. CUNHA, L. A. Educação e desenvolvimento social no Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975. CUNHA, L. A. Educação, estado e democracia no Brasil. São Paulo: Cortez; Niterói: Ed. da UFF; Brasília: Flasco do Brasil, 1991. CUNHA, L. A. 500 anos de educação no Brasil. Autêntica, 2000a. p. 151-204. CUNHA, L. A. Ensino Médio e ensino técnico na América Latina: Brasil, Argentina e Chile. Cad. Pesqui., dez. 2000b, n. 111, p. 47-69. DEITOS, R. A. Implicações do financiamento externo para educação brasileira (1995-2005). Ecos – Revista Científica, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 89-109, jan./jun. 2006. DIÓGENES, E. M. N. Uma avaliação política e do processo de implementação da reforma do ensino médio no Ceará. 2010. Tese (Doutorado em Políticas Públicas) – Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2010. DOMINGUES, J. J.; TOSCHI, M. S.; OLIVEIRA, J. F. de. A reforma do Ensino Médio: a nova formulação curricular e a realidade da escola pública. Educ. Soc., abr. 2000, v. 21, n. 70, p. 63-79. DRAIBE, S. A política social no período FHC e o sistema de proteção social. Tempo Social – Rev. Sociol. USP, São Paulo, nov. 2003. DURHAM, E. R. A educação no Governo de Fernando Henrique Cardoso. Tempo Social – Rev. Sociol. USP, São Paulo, out. 1999, p. 231-254 (editado em fev. 2000). EUGÊNIO, B. G. Política curricular para o ensino médio no estado da Bahia: permeabilidades entre contextos e a cultura da escola. 2009. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009. FERNANDES, I. C. A seleção de conteúdos na escola de Ensino Médio: um desafio para professores e professoras? 2003. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2003. 248 FERNANDES, J. M. M. A proposta curricular do Estado de São Paulo construída na dimensão cotidiana da práxis dos professores: os impactos das inovações na gestão coletiva Projeto Político e Pedagógico. 2010. Tese (Doutorado em Educação – Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010. FERRETTI, C. J. Mudanças em sistemas estaduais de ensino em face das reformas no Ensino Médio e no Ensino Técnico. Educ. Soc., abr. 2000, v. 21, n. 70, p. 80-99. FERRETTI, C. J.; ZIBAS, D. M. L.; TARTUCE, G. L. B. P. Protagonismo juvenil na literatura especializada e na reforma do Ensino Médio. Cad. Pesqui., ago. 2004, v. 34, n. 122, p. 411-423. FOLHA DE SÃO PAULO, São Paulo, 26 mar. 2008. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br>. Acesso em: 20 dez. 2011. FOLHA DE SÃO PAULO, São Paulo, 10 jun. 2009. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br>. Acesso em: 20 dez. 2011. FRANCO, M. L. P. B.; NOVAES, G. T. Os jovens do ensino médio e suas representações sociais. Cad. Pesqui., mar. 2001, n.112, p. 167-183. FRIGOTTO, G. A nova e a velha crise do capital e o labirinto dos referenciais teóricos. In: FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. (Orgs.). Teoria e educação no labirinto do capital. Petrópolis: Vozes, 2001. p. 23-50. FRIGOTTO, G. Sujeitos e conhecimento: os sentidos do ensino médio. In: FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. (Orgs.). Ensino médio: ciência, cultura e trabalho. Brasília: MEC: SEMTEC, 2004. p. 53-70. FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. (Orgs.). Ensino médio: ciência, cultura e trabalho. Brasília: MEC: SEMTEC, 2004. FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. Perspectivas sociais e políticas da formação de nível médio: avanços e entraves nas suas modalidades. Educ. Soc., set. 2011, v. 32, n. 116, p. 619-638. FILMUS, D. A educação média diante do mercado de trabalho: cada vez mais necessária, cada vez mais insuficiente. In: BRASLAVSKY, C. Educação secundária: mudança ou imutabilidade? Brasília: Unesco, 2002. GARCIA, S. R. de O. A educação profissional integrada ao ensino médio no Paraná: avanços e desafios. 2009. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Curitiba, 2009. GERMANO, J. W. Estado militar e educação no Brasil (1964-1985). São Paulo: Cortez, 1993. GOIÁS. CADERNOS DE TEXTOS. Caderno de Textos do Curso de Capacitação de Diretores das Unidades Escolares do Ensino Médio. Pousada do Rio Quente, 2000. 249 GOIÁS. CADERNOS DE TEXTOS. 1ª Etapa do Curso de Capacitação Coordenadores da Reforma do Ensino Médio. Caldas Novas, 2001. GOIÁS. CADERNOS DE TEXTOS. 4ª Etapa de Capacitação dos Professores Monitores da Reestruturação Curricular do Ensino Médio. Pousado Rio Quente, 2002. GOIÁS. CADERNOS DE TEXTOS. IV Curso de Capacitação dos Professores- Monitores para a Reforma Curricular do Ensino Médio em Goiás. Rio Quente, 2003. GOIÁS. CADERNOS DE TEXTOS. V Etapa Estruturação do Currículo Área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias 􀃭 Língua Portuguesa. Goiânia, 2006. GOIÁS. GABINETE CIVIL. Constituição (1989). Constituição Estadual. Goiânia, GO, 1989. GOIÁS. GABINETE CIVIL. Lei Complementar n. 26, de 28 de dezembro de 1998. Estabelece as Diretrizes e Bases do Sistema Educativo do Estado de Goiás. Goiânia, GO, 1998. GOIÁS. GABINETE CIVIL. Resolução CEE/CP n. 5, de 10 de junho de 2011. GOIÁS. MUTICURSO DE MATEMÁTICA. Goiânia, GO, 2004. GOIÁS. SEDUC. Plano Estadual de Reforma e Expansão do Ensino Médio. Goiânia: SEDUC, 1999. GOIÁS. SEDUC. Plano de Investimento para a Reforma e Expansão do Ensino Médio – Projeto de Investimento – PI-Goiás. Goiânia: SEDUC, 2000a. GOIÁS. SEDUC. Proposta de Formação Inicial de Professores. Goiânia, 2000b. GOIÁS. SEDUC. Plano Decenal de Desenvolvimento da Educação Básica de Goiás – 2001-2010. Goiânia: SEDUC, 2002. GOIÁS. SEDUC. Diretrizes Operacionais da Rede Pública Estadual de Ensino de Goiás 2009/2010. Goiânia, 2009. Disponível em: <http://www.seduc.go.gov.br>. Acesso em: 15. dez. 2012. GOIÁS. SEDUC. Educação, a ponte que transforma a vida. Goiânia: Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Estado da Educação, 2010. GOIÁS. SEDUC. SUPEM. Plano de implementação da revisão curricular, da capacitação dos dirigentes escolares e do desenvolvimento profissional dos professores do ensino médio. Goiânia: SEDUC, maio 2000. GOIÁS. SEPLAN. Plano Plurianual – 2000/2003. Goiânia: SEPLAN, 1999. GOIÁS. SEPLAN. Goiás em dados. Goiânia: SEPLAN, 2003. Disponível em: <http://www.seplan.go.gov.br>. Acesso em: 16 dez. 2012. 250 GOIÁS. SEPLAN. Goiás em dados. Goiânia: SEPLAN, 2007. Disponível em: <http://www.seplan.go.gov.br/sepin/pub/GoDados/2007/dados>. Acesso em: 16 dez. 2012. GOIÁS. SEPLAN. Goiás em dados. Goiânia: SEPLAN, 2010. Disponível em: <http://www.seplan.go.gov.br/sepin/pub/Godados/2010/13-educacao/13-tab06.htm>. Acesso em: 16 dez. 2012. GOIÁS. SEPLAN. Goiás em dados. Goiânia: SEPLAN, 2011. Disponível em: <http://www.seplan.go.gov.br/sepin/pub/Godados/2010/13-educacao/13-tab06.htm>. Acesso em: 16 dez. 2012. GOMES, C. A. Regime de colaboração intergovernamental: alternativa para a maioridade do Ensino Médio. Cad. Pesqui., mar. 2000, n. 109, p. 25-41. GOMES, A. M. (Org.). Políticas públicas e gestão da educação. Campinas: Mercado das Letras, 2011. GONÇALVES, A. M.; OLIVEIRA, J. F. de. (Orgs.). Reconfiguração do campo da educação superior. Campinas: Mercado das Letras, 2012. GUEDES, G. B. A Escola de ensino médio público noturno: uma conjuntura favorável ao protagonismo estudantil coletivo em contraposição ao protagonismo juvenil via empoderamento. 2007. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federaldo Rio Grande do Norte, Natal, 2007. GUIMARÃES, E. R. Política para o ensino médio e educação profissional. In: ANPEd, 28, 2005, Caxambu. Anais Eletrônicos... Caxambu, 2005. Disponível em: <http://www.anped.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2012. GUIMARÃES, E. R. Participação, resistência e crise de identidade: política para o ensino médio e educação profissional. In: ANPED, 29, 2006, Caxambu. Anais Eletrônicos... Caxambu, 2006. Disponível em: <http://www.anped.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2012. JORNAL DO MEC, v. XII, n.13, Brasília, out. 1999. KRAWCZYK, N. A escola média: um espaço sem consenso. Cad. Pesqui., nov. 2003, n. 120, p. 169-202. KUENZER, A. Z. O ensino médio agora é para a vida: entre o pretendido, o dito e o feito. Educ. Soc., abr. 2000, v. 21, n. 70, p. 15-39. KUENZER, A. Z. O ensino médio no Plano Nacional de Educação 2011-2020: superando a década perdida?. Educ. Soc., set. 2010, v. 31, n. 112, p. 851-873. LEÃO, G.; DAYRELL, J. T.; REIS, J. B. dos. Juventude, projetos de vida e ensino médio. Educ. Soc., dez. 2011, v. 32, n. 117, p. 1067-1084. 251 LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, J. F. de; TOSCHI, M. S. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2003. LIMA, K. R. R. A reforma do Estado e da educação no governo Fernando Henrique Cardoso: o ENEM como mecanismo de consolidação da reforma. 2005. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005. LOCCO, L. de A. Políticas públicas de avaliação: o ENEM e a Escola de ensino médio. 2005. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005. LOPES, A. C. Os Parâmetros curriculares nacionais para o ensino médio e a submissão ao mundo produtivo: o caso do conceito de contextualização. Educ. Soc., set. 2002, v. 23, n. 80, p. 386-400. MACIEL, L. M. M. Ensino médio integrado no Maranhão: concepção, possibilidades e desafios. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2011. MATOS, K. S. L. de. Juventude e escola: desvendando teias dos significados entre encontros e desencontros. 2001. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2001. MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. Campinas: Alínea, 2007. MARTINS, A. M. Diretrizes curriculares nacionais para o Ensino Médio: avaliação de documento. Cad. Pesqui., mar. 2000, n. 109, p. 67-87. MELO, S. D. G. Continuidades e/ou rupturas nas políticas para o ensino médio e educação profissional. In: ANPED, 29, 2006, Caxambu. Anais Eletrônicos... Caxambu, 2006. Disponível em: <http://www.anped.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2012. MELO, S. D. G. O ensino médio e a educação profissional no Brasil e na Argentina: convergências, diferenças e consequências sobre o trabalho docente. In: ANPED, 33, 2010, Caxambu. Anais Eletrônicos... Caxambu, 2010. Disponível em: <http://www.anped.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2012. MEURER, A. C. Escola de ensino médio: o caminho percorrido para a reconstrução do projeto político-pedagógico. 2003. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2003. MITRULIS, E. Ensaios de inovação no Ensino Médio. Cad. Pesqui., jul. 2002, n. 116, p. 217-244. MONTEIRO, C. F. Avaliação do ensino médio no estado do Ceará: configurações, tendências políticas, demandas e efetivação das diretrizes curriculares nacionais: 2000-2008. 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010. 252 MORAES, C. S. V.; ALAVARSE, O. M. Ensino Médio: possibilidades de avaliação. Educ. Soc., set. 2011, v. 32, n. 116, p. 807-838. MOREIRA, M. E. O Ensino Médio Inovador: o novo Programa do MEC. Goiânia: CEE/GO, 2009. Disponível em: <http://www.fnce.org>. Acesso em: 25 abr. 2012. NOSELLA, P. Ensino médio: em busca do princípio pedagógico. Educ. Soc., dez. 2011, v. 32, n. 117, p. 1051-1066. OLIVEIRA, D. A. Educação básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petrópolis: Vozes, 2000. OLIVEIRA, M. R. N. S. Mudanças no mundo do trabalho: acertos e desacertos na proposta curricular para o Ensino Médio (Resolução CNE 03/98). Diferenças entre formação técnica e formação tecnológica. Educ. Soc., abr. 2000, v. 21, n. 70, p. 40- 62. PÉREZ GOMÉZ, A. I. As funções sociais da escola: da reprodução à reconstrução crítica do conhecimento e da experiência. In: SACRISTÁN, J. G.; PÉREZ GOMÉZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998. PIMENTA, S. G.; GONÇALVES, C. L. Revendo o ensino de 2º grau: propondo a formação de professores. São Paulo: Cortez, 1992. POPKEWITZ, T. S. Reforma educacional: uma política sociológica – poder e conhecimento em educação. Porto Alegre: Artmed, 1997. POPKEWITZ, T. S. A administração da liberdade: a cultura redentora das ciências educacionais. In: WARDE, M. J. (Org.). Novas políticas educacionais: críticas e perspectivas. São Paulo, Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História e Filosofia da Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1998. p. 147-172. POPKEWITZ, T. S. Reforma, conhecimento pedagógico e administração social da individualidade: a educação escolar como efeito de poder. In: IMBERNÓN. F. A educação no século XXI. Porto Alegre: Artmed, 2000. RAMOS, J. F. P. Projeto educativo e político-pedagógico da escola de ensino médio: tradições e contradições na gestão e na formação para o trabalho. 2009. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009. RAMOS, M. N. O currículo para o Ensino Médio em suas diferentes modalidades: concepções, propostas e problemas. Educ. Soc., set. 2011, v. 32, n. 116, p. 771- 788. REVISTA ESCOLA PÚBLICA. O dilema inovador. São Paulo: Segmento, 2009. Disponível em: <http://revistaescolapublica.uol.com.br/textos/10/artigo246409- 1.asp>. Acesso em: 10 ago. 2012. 253 RICARDO, E. C. Discussão acerca do ensino por competências: problemas e alternativas. Cad. Pesqui., ago. 2010, v. 40, n. 140, p. 605-628. RODRIGUES, E. B. T.; MOREIRA, M. E. Ressignificação do Ensino Médio: um caminho para a qualidade. Goiânia, SEDUC, 2009. SACRISTÁN, J. G. A avaliação no ensino. In: SACRISTÁN, J. G.; PÉREZ GOMÉZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998. p. 295- 351. SACRISTÁN, J. G. A educação que temos, a educação que queremos. In: IMBERNÓN, F. (Org.). A educação no século XXI: os desafios do futuro imediato. Porto Alegre: Artmed, 2000. p. 37-63. SANTOS, J. M. C. T. Ensino médio no interior cearense sob os impactos da reforma: entre o discurso oficial do novo mundo do trabalho e as apropriações/resistências pela escola (1995 – 2005). 2007. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2007. SILVA, M. R. da. Tecnologia, trabalho e formação na reforma curricular do Ensino Médio. Cad. Pesqui., ago. 2009, v. 39, n. 137, p. 441-460. SILVA JÚNIOR, J. dos R.; LUCENA, C.; FERREIRA, L. R. As relações entre o Ensino Médio e a educação superior no Brasil: profissionalização e privatização. Educ. Soc., set. 2011, v. 32, n. 116, p. 839-856. SOUSA, A. de A. A política de fundo público para o financiamento da educação básica: impacto e impasses no Município de Fortaleza. 2009. Tese (Doutorado em Educação) Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009. TOBIAS, J. A. História da educação brasileira. São Paulo: Ibrasa, 1986. TORRES, R. M. Melhorar a qualidade da educação básica? As estratégias do Banco Mundial. In: TOMMASI, L, DE.; WARDE, M. J.; HADDAD, S. O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1998. VALENTE, S. M. P. Parâmetros curriculares nacionais e avaliação nas perspectivas do estado e da escola. 2002. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Estadual Paulista, Marília, 2002. VIANNA, C. M. Q. Q. O ensino médio noturno sob o signo da reforma – implicações na formação do trabalhador. 2001. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2001. VIEIRA JR. H. Política social num contexto de ajuste estrutural do estado: Goiás no período 1995-2002. 2005. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2005. 254 WHITAKER, D. C. A.; FIAMENGUE, E. C. Ensino Médio: função do estado ou da empresa?. Educ. Soc., ago. 2001, v. 22, n. 75, p. 200-232. ZAN, D. D. P. e; RAMOS, T. A. As orientações neoliberais e as políticas curriculares para o ensino médio. In: Horizontes, v. 25, n. 2, p. 189-195, jul./dez. 2007. ZIBAS, D. M. L. A reforma do ensino médio no Chile: vitrine para a América Latina? In: ANPEd, 24, 2001, Caxambu. Anais Eletrônicos... Caxambu, 2001. Disponível em: <http://www.anped.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2012. ZIBAS, D. A reforma do Ensino Médio no Chile: vitrina para a América Latina?. Cad. Pesqui., mar. 2002, n. 115, p. 233-262. ZIBAS, D. M. L A reforma do ensino médio no Ceará: apontando para o céu e tropeçando na realidade. In: ANPED, 27, 2004, Caxambu. Anais Eletrônicos... Caxambu, 2004. Disponível em: <http://www.anped.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2012. ZIBAS, D. M. L. A reforma do Ensino Médio no Ceará e suas contradições. Cad. Pesqui., abr 2005a, v. 35, n. 124, p. 171-199. ZIBAS, D. M. L. Refundar o Ensino Médio? Alguns antecedentes e atuais desdobramentos das políticas dos anos de 1990. Educ. Soc., out. 2005b, v. 26, n. 92, p. 1067-1086. ZIBAS, D. M. L.; FERRETTI, C. J.; TARTUCE, G. L. B. P. Micropolítica escolar e estratégias para o desenvolvimento do protagonismo juvenil. Cad. Pesqui., abr. 2006, v. 36, n. 127, p. 51-85.por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/-
dc.subjectEnsino Médiopor
dc.subjectIdentidadepor
dc.subjectPolíticas de reformapor
dc.subjectAvaliaçãopor
dc.subjectEnseñanza Mediapor
dc.subjectIdentidadpor
dc.subjectPolíticas de reformapor
dc.subjectEvaluaciónpor
dc.subject.cnpqEDUCACAO::PLANEJAMENTO E AVALIACAO EDUCACIONALpor
dc.titlePolíticas públicas de reestruturação do ensino médio: as reformas implantadas pela Secretaria de Estado da educação de Goiás no período 2000-2010por
dc.title.alternativeLas políticas públicas de reestructuración de la escuela secundaria: las reformas implementadas por la Secretaría de Estado de la educación Goiás en el periodo 2000-2010spa
dc.typeTesepor
Aparece nas coleções:Doutorado em Educação (FE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Nicolodi, Elaine.pdfTese - PPGEDU/RG - Elaine Nicolodi1,22 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons