Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3359
Tipo do documento: Dissertação
Título: Determinação eletroanalítica e espectrofotométrica da atividade antioxidante de fermentados de jabuticaba e vinhos de diferentes procedências
Título(s) alternativo(s): Voltammetric and spectrofotometric analysis of fermented beverages of jabuticaba and wines of diferent origins
Autor: Sá, Luísa Zaiden Carvalho Martins de
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/0224766230721815
Primeiro orientador: Gil, Eric de Souza
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/3218622824233303
Primeiro coorientador: Torres, Ieda Maria S.
Primeiro membro da banca: Gil, Eric de Souza
Segundo membro da banca: Silva, Elton Clementino da
Terceiro membro da banca: Rocha, Matheus Lavorenti
Resumo: O consumo de vinhos tem sido associado a benefícios à saúde por conter alto teor de compostos fenólicos, o que os torna uma importante fonte alimentar de antioxidantes. Bebidas fermentadas de jabuticaba, assim como os vinhos, também apresentam alto teor de compostos fenólicos. No presente trabalho, foram utilizados métodos espectrofotométricos clássicos (ABTS, DPPH, Folin-Ciocalteu) bem como métodos inovadores (voltametria cíclica, voltametria de pulso diferencial e voltametria de onda quadrada) para avaliação da atividade antioxidante de vinhos de diferentes origens e de bebidas fermentadas de jabuticaba e de uma aguardente de jabuticaba. Além disso, foi proposto um índice eletroanalítico (EI) que permite a comparação da atividade antioxidante medida pelos métodos eletroanalíticos. Para os fermentados de jabuticaba, foi demonstrado em todos os cinco métodos que todas as três variedades, a tinta, a rosê e a branca, apresentam potencial antioxidante elevado, bastante semelhante ao de um vinho tinto seco, enquanto a aguardente de jabuticaba não apresentou nenhum pico nas análises voltamétricas. Nas análises por DPPH, os vinhos tintos demonstraram possuir cerca de cinco vezes mais capacidade antioxidante que os vinhos brancos; já para EI, a diferença encontrada foi de cerca de duas vezes. Os vinhos rosê, branco, espumantes e fortificados demonstraram EI inferior ao dos vinhos tintos. Foi determinada uma correlação de Pearson de -0,91097 entre o método de DPPH e o EI. O EI proposto permite a comparação entre a quantidade de compostos eletroativos encontrados nas diferentes amostras de vinhos analisadas. Considerando-se a natureza eletroativa que os compostos antioxidantes apresentam, os métodos eletroanalíticos demonstraram ser métodos adequados, simples e rápidos para o estudo de tais compostos. A principal desvantagem encontrada nas análises por esse método foi a forte adsorção dos compostos fenólicos devido ao processo de oxidação que eles sofrem, formando um filme isolante na superfície do eletrodo, fato este contornado pelo uso de eletrodos de pasta de carbono.
Abstract: The consumption of wine has been associated with health promoting properties due to the high content of phenolic compounds, what makes wines an important dietary source of antioxidants. Jabuticaba fermented beverages, as much as wine, have a high content of phenolic compounds. In this study, traditional spectrophotometric methods (ABTS, DPPH, Folin-Ciocalteu) as well as novel methods (Cyclic Voltammetry - CV, Differential Pulse Voltammetry - DPV and Square Wave Voltammetry - SWV) have been used to evaluate the antioxidant activity of wines of different origin a jabuticaba fermented beverages and a jabuticaba brandy. Furthermore, an Electroanalytical Index (EI) has been proposed in order to allow the comparison of the antioxidant activity measured by electroanalytical methods. For the fermented beverages of jabuticaba, it has been demonstrated in the five methods that all three varieties, red, white and rose, have high antioxidant potential, very similar to a red dry wine, while the brandy has not shown any peaks in voltammetric analysis. In the analyzes by DPPH, red wines have shown about five times as much the antioxidant capacity of white wines, while for the EI it is twice as much when compared to white wines. Rose, white and fortified wines have shown lower EI than the red wine. It has been determined a Pearson correlation of -0.91097 between the DPPH method and the EI. The proposed EI allows comparison of the amount of electroactive compounds determined in the various wine samples analyzed. Considering the electroactive nature of the antioxidant compounds, electroanalytical methods have been demonstrated suitable for studying such compounds. Its main disadvantage was the high adsorption process due to the phenolic oxidation on the electrode´s surface, creating an isolating film on it. This process has been overcome by the use of carbon paste electrode.
Palavras-chave: Vinhos
Fermentado de jabuticaba
DPPH
ABTS
Folin-Ciocalteu
Voltametria
Wine
Fermented beverage from jabuticaba
Folin- Ciocalteu
Voltammmetry
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::FARMACIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade Farmácia - FF (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas (FF)
Citação: SÁ, Luísa Zaiden Carvalho Martins de. Determinação eletroanalítica e espectrofotométrica da atividade antioxidante de fermentados de jabuticaba e vinhos de diferentes procedências. 2013. 98 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3359
Data de defesa: 28-Mar-2013
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências Farmacêuticas (FF)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Luisa Zaiden Carvalho Martins de Sá - 2013.pdf10 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons