Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3541
Tipo do documento: Dissertação
Título: O labirinto da memória: memória e esquecimento em obras da literatura juvenil brasileira
Título(s) alternativo(s): The labyrinth of memory: memory and forgetting in works of brazilian juvenile literature
Autor: Xavier, Alice Gomes
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/7101631820789652
Primeiro orientador: Turchi, Maria Zaíra
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/1028003493670371
Resumo: Ao longo da história da humanidade, o tema da memória tem sido estudado e discutido nos diversos espaços do conhecimento, por diversos fatores culturais e sociopolíticos, além da aparente necessidade do homem de conservar o passado e as histórias específicas de cada nação. O medo do esquecimento, individual ou coletivo, faz com que o homem busque na história e nas recordações pessoais e sociais, o conhecimento de si mesmo. Não é diferente na literatura que, desde a Antiguidade, valoriza a memória por esta permear o imaginário humano e por eternizar as histórias do mundo, colaborando com os processos de linguagem e construções das narrativas. O presente trabalho parte da questão de como as imagens da memória e do esquecimento estão inseridas na literatura juvenil. Objetiva-se, portanto, em encontrar e investigar as imagens e vestígios da memória e do esquecimento em algumas obras da literatura juvenil, entre os diferentes aspectos do saber. Busca, ainda, valorizar a literatura juvenil e compreendê-la enquanto literatura para todos, destacando os símbolos que permeiam o imaginário e o universo juvenil, no intuito de enriquecer a crítica literária e o desenvolvimento desta literatura no mundo. As obras analisadas são Corda bamba, de Lygia Bojunga Nunes; Bisa Bia, bisa Bel, de Ana Maria Machado; Memórias da escuridão, de Sueli de Regino; Tão longe... tão perto, de Silvana de Menezes. As duas primeiras compreendem a memória e o esquecimento enquanto inerentes ao processo de construção de identidade e autoconhecimento e as duas últimas resgatam a memória num contexto social, valorizando as questões históricas e sociais. No entanto, esta divisão não é rígida, visto que as narrativas do primeiro grupo também tratam de questões sociais. O uso e o estudo de símbolos em todas as obras e a figura do labirinto enquanto rito de iniciação e busca da memória, contribuem para o entendimento e a análise do tema em questão. Entre os teóricos estudados estão Santo Agostinho (1980), Henri Bergson (2011), Mircea Eliade (2011), Maurice Halbwachs (2006) e Ecléa Bosi (1994).
Abstract: Throughout human history, the theme of memory has been studied and discussed in different areas of knowledge, for various cultural and sociopolitical factors, beyond the apparent human need to preserve the past and specific stories of each nation. The fear of individual or collective forgetfullness makes the man look for in history and in personal and social memories the knowledge of himself. It is not different in literature, which, since Antiquity, has valued the memory because it permeates human imagination, and perpetuates the stories of the world, collaborating with the languages processes of narratives constructions. This paper starts with the question of how the images of the memory and forgetfulness are embedded in juvenile literature. The objective is, therefore, to find and investigate the images and traces of memory and forgetfulness in some compositions of juvenile literature, between different aspects of knowledge. It also seeks to valorize the juvenile literature as literature for all, highlighting the symbols which permeates the juvenile imaginary and universe, in order to enrich the literary criticism and the development of this kind of literature in the world. The compositions analyzed are Corda bamba, by Lygia Bojunga Nunes; Bisa Bia, bisa Bel, by Ana Maria Machado; Memórias da escuridão, by Sueli de Regino; Tão Longe... tão perto, by Silvana de Menezes. The first two comprise memory and forgetfulness as inherent in the process of identity construction and self-awareness and the last two rescue memory in a social context, highlighting the historical and social issues. However, this division is not rigid, since the narratives of the first group also deal with social issues.The use and study of symbols in all the compositions and the figure of the labyrinth as a rite of initiation and pursuit of memory, contribute to the understanding and analysis of the topic in question. Among the theorists studied are Santo Agostinho (1980), Henri Bergson (2011), Mircea Eliade (2011), Maurice Halbwachs (2006) and Ecléa Bosi (1994).
Palavras-chave: Memória
Esquecimento
Tempo
História
Identidade
Memory
Forgetfulness
Time
History
Identity
Área(s) do CNPq: LETRAS::LITERATURA BRASILEIRA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: XAVIER, Alice Gomes. O labirinto da memória: memória e esquecimento em obras da literatura juvenil brasileira. 2014. 99 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3541
Data de defesa: 19-Ago-2014
Aparece nas coleções:Mestrado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Alice Gomes Xavier - 2013.pdf929,19 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons