Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3749
Tipo do documento: Dissertação
Título: O governo dos homens na contemporaneidade: laicização do poder e subjetivação massificante
Título(s) alternativo(s): Government of men in contemporaneity: secularization of power and massifying subjetification
Autor: Barbosa, Aelton Leonardo Santos
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/3462863468921174
Primeiro orientador: Lopes, Adriana Delbó
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/6600189022732543
Primeiro membro da banca: Lopes, Adrina Delbó Lopes
Segundo membro da banca: Silva, Adriano Correia Silva
Terceiro membro da banca: Ruiz, Castor Mari Martín Bartolomé
Resumo: O objetivo do trabalho é averiguar o modo em que se exerce o governo dos homens na contemporaneidade. Nesta, os Estados-Nações estão organizados de acordo com a estrutura da democracia liberal, formação tardia da prática discursiva liberal. Em busca do que há de específico na governamentalidade liberal contemporânea, o texto vai ao encontro do método genealógico, partindo portanto de pesquisas sobre proveniência e emergência do objeto de estudo. Apoiando-se nas análises de Friedrich Nietzsche e Michel Foucault – respectivamente, criador e aperfeiçoador da crítica genealógica – verificam-se o que parecem ser as hipóteses que unificam suas pesquisas políticas: em primeiro lugar, a idéia de que o poder na modernidade se exerce a partir do deslocamento e laicização de uma relação de natureza originariamente religiosa; em segundo lugar, a afirmação de que o processo, historicamente identificável, de produção de sujeitos, é um processo que massifica; a modernidade por isso seria marcada, num aparente paradoxo, pelo fato de que nela ocorre uma subjetivação massificante. Os dois filósofos genealogistas expressam essas teses a partir dos conceitos complementares de “moral de rebanho”, no caso alemão, e de “poder pastoral”, no caso francês, que se referem respectivamente à formação do tipo psicológico do indivíduo da modernidade e aos mecanismos de incidência do poder sobre os corpos a ele sujeitos. Foucault acrescenta, porém, que na contemporaneidade uma transmutação do poder estatal a partir do modelo da economia política mudou o esquema geral de governamentalidade, o qual de uma normalização dos corpos passou a uma regulação das populações; trata-se da aurora da biopolítica e da governamentalidade liberal. As últimas décadas, além disso, parecem se definir pela inscrição no real de novas práticas discursivas, que a partir da teoria do capital humano e de uma atualização da noção de homo oeconomicus, apenas renovam o diagnóstico nietzscheano de uma hegemonia do “último homem”.
Abstract: The objective is to determine the manner in which government of men is exercised in contemporary society. Nowadays, nations are organized according to the structure of liberal democracy, a late formation of the liberal discursive practice. Searching for contemporary liberal governmentality specificity, the text makes use of the genealogical method, thus breaking research on provenance and emergence of the object of study. Relying on the analysis of Friedrich Nietzsche and Michel Foucault - respectively, founder and improver of genealogical critique – it verifies what appear to unify its research hypotheses: first, the idea that power as exercised in modernity is the displacement and secularization of a originally religious natured relationship, and secondly, the assertion that, the historically identifiable process of subjects production, is a massification process; modernity would be marked, in an apparent paradox, by the fact that it has a massifying subjectification. The two genealogist philosophers express these theses with the complementary concepts of "herd morality", in the German case, and "pastoral power", in the French case, which refer respectively to the formation of the individual's psychological type of modernity and the incidence mechanisms of power over the bodies subject to it. Foucault notes, however, that in contemporaneity a transmutation of state power which took the model of political economy has changed the general outline of governmentality, from a normalization of the bodies to a regulation of populations: it is the dawn of biopolitics and liberal governmentality. Futhermore, recent decades seem to define itselves by the actual enrollment in new discursive practices, that from the human capital theory and also an update of the homo economicus concept, which only renew Nietzschean diagnosis of the "last man" hegemony
Palavras-chave: Governo
Laicização
Subjetivação
Massificação
Government
Secularization
Subjectification
Massification
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Filosofia - FAFIL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Filosofia (FAFIL)
Citação: BARBOSA, Aelton Leonardo Santos. O governo dos homens na contemporaneidade: laicização do poder e subjetivação massificante. 2012. 119 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3749
Data de defesa: 29-Jul-2012
Aparece nas coleções:Mestrado em Filosofia (FAFIL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao - Aelton Leonardo Santos Barbosa - 2012.pdf629,61 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons