Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3821
Tipo do documento: Dissertação
Título: Utilização de medicamentos por idosos com diabetes do município de Goiânia, Goiás
Título(s) alternativo(s): Drugs utilization by the elderly people with diabetes in the city of Goiania, Goias
Autor: Nunes, Marcus Vinicius Oliveira
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/2514494545170373
Primeiro orientador: Silva, Ana Elisa Bauer de Camargo
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/8388407861788466
Primeiro membro da banca: Silva, Ana Elisa Bauer de Camargo
Segundo membro da banca: Reis, Adriano Max Moreira
Terceiro membro da banca: Provin, Mércia Pandolfo
Quarto membro da banca: Minamisava, Ruth
Quinto membro da banca: Weirich, Claci Fátima
Resumo: Introdução. No Brasil, o percentual de idosos vem aumentando consideravelmente com o passar dos anos. Como consequência, observa-se o aumento de casos de doenças crônicas não transmissíveis, como o diabetes mellitus. Trata-se de uma doença que requer atenção especial, visto que expõe os idosos a um longo período de cuidados e ao uso continuado de medicamentos, muitas vezes com uso de múltiplos fármacos. Soma-se a isso o fato de idosos serem, frequentemente, acometidos por outras comorbidades, complicações da doença e de seu tratamento. Objetivo. Analisar o uso de medicamentos por idosos com diabetes mellitus do município de Goiânia, Goiás. Metodologia. Estudo transversal de base populacional realizado com amostra de 173 idosos com diabetes mellitus e uso de medicamentos referidos, selecionados por conglomerado. Os dados foram coletados por meio de entrevistas domiciliares, no período de dezembro de 2009 a abril de 2010 e analisados pelo Software Stata 12.0. Os medicamentos identificados foram classificados segundo Classificação Anatômica Terapêutica Química da Organização Mundial da Saúde. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Goiás. Resultados. A média de idade dos idosos com diabetes mellitus foi de 72,5 anos e 61,8% eram mulheres. Os fármacos mais utilizados foram o ácido acetilsalicílico (20,2%), enalapril (19,1%), dipirona (13,3%), sinvastatina (13,3%), levotiroxina sódica (12,7%), captopril (11,0%), atenolol (11,0%), hidroclorotiazida (10,4%), losartana (9,8%) e paracetamol (9,8%). Aproximadamente dois terços dos idosos usavam medicamentos para tratamento do diabetes mellitus, sendo as biguanidas, as sulfonilureias e as insulinas os fármacos que foram mais frequentemente utilizados, apresentando respectivamente, valores de 37,0%, 34,7% e 15,0%. A insulina isoladamente foi utilizada por 7,5% dos idosos. Verificou-se que 20,2% dos idosos faziam uso de glibenclamida, medicamento inapropriado para uso em idosos. A terapia antidiabética exclusivamente oral foi observada em 51,5% dos idosos, sendo 68,5% em monoterapia oral e 31,5% de terapia combinada oral. O uso exclusivo de antidiabéticos orais deu-se com a utilização da metformina em monoterapia (15,6%), glibenclamida em monoterapia (11,0%) e terapia combinada entre metformina e glibenclamida (8,1%). A frequência de polifarmácia foi de 38.7%. Observou-se que mulheres, não casados, idosos com mais de 75 anos, não praticantes de atividade física, hipertensos, dislipidêmicos e aqueles que tiveram alguma internação nos últimos doze meses apresentaram maior mediana de número de medicamentos utilizados (p< 0,05). Entretanto, após análise multivariada somente a variável hipertensão apresentou significância estatística. Os idosos com diabetes mellitus e hipertensão tiveram 3,28 vezes mais chance de usarem cinco ou mais medicamentos do que aqueles sem hipertensão. Conclusão. O estudo possibilitou identificar o perfil de utilização de medicamentos por idosos com diabetes mellitus, identificar que a metformina, isolada ou em combinação, foi o medicamento para diabetes mellitus mais frequentemente usado e indicou fatores que podem comprometer a segurança da farmacoterapia antidiabética nesta população. Dessa forma, ações de saúde precisam ser desenvolvidas, sendo essencial o trabalho do farmacêutico na equipe multiprofissional para promoção do uso racional de medicamentos e a garantia da segurança do idoso com diabetes mellitus.
Abstract: Introduction. In Brazil, the percentage of elderly people is increasing considerably over the years. As a consequence, it is observes the increasing of chronical diseases such as diabetes mellitus. It is a disease that requires special attention, because it exposes elderly people to a long care period and to the continued use of medicines, sometimes using multidrugs. Moreover, elderly people are often affected by other comorbidities, by complications of the disease and its treatment. Objective. Analyze the use of medicines by the elderly people with diabetes mellitus in the city of Goiania, Goias, Brazil. Methodology. It is a population-based cross-sectional study carried out with a sample of 173 elderly individuals with diabetes mellitus and medications referred, selected by cluster. Data were collected by household interviews from December 2009 to April 2010 and they were analyzed by the Software Stata 12.0. The identified medicines were classified according to the Anatomical Therapeutic Chemical classification of the World Health Organization. The study was approved by Ethics Committee of the Federal University of Goias . Results. The mean age of old people with diabetes mellitus was 72.5 years and 61.8% were female. The most used medicines were acetylsalicylic acid (20.2%), enalapril (19.1%), dipyrone (13.3%), simvastatin (13.3%), levothyroxine sodium (12.7%), captopril (11.0%), atenolol (11.0%), hydrochlorothiazide (10.4%), losartan (9.8%) and paracetamol (9.8%). Approximately two thirds of the subjects used drugs for treatment of diabetes mellitus, and biguanides, sulfonylureas and insulins that have been most frequently used, showing respective values of 37.0%, 34.7% e 15.0%. Insulin alone was used in 7.5% of the elderly. It was found that 20.2% of the subjects used glibenclamide, an inappropriate medicine for old people. Exclusively oral antidiabetic therapy was observed in 51.5% of the individuals: 68.5% oral monotherapy and 31.5% combined oral therapy. The exclusive use of oral antidiabetic occurred with the utilization of metformin in monotherapy (15.6%), glibenclamide in monotherapy (11.0%) and combined therapy using metformin and glibenclamide (8.1%). The polypharmacy frequency was 38.7%. It was observed that women, unmarried, aged over 75 years and those who were not engaged in physical activity, hypertensive individuals, dyslipidaemic and those who had any hospitalization in the last 12 months had a higher median number of drugs used (p <0.05). However, after multivariate analysis hypertension was he only variable with statistical significance. Older people with diabetes mellitus and hypertension had 3.28 times more likely to use five or more medications than those without hypertension. Conclusion. This study allowed us to identify the profile of utilization of medicines by elderly people with diabetes mellitus as well to verify that metformin, alone or in combination, was the drug most often used for diabetes mellitus and indicated factors that may compromise the safety of antidiabetic pharmacotherapy in this population. Thus, health actions need to be developed, it is essential the work of the pharmacist in the multidisciplinary team to promotion of rational use of medicines and ensuring the safety of the elderly with diabetes mellitus.
Palavras-chave: Antidiabéticos
Uso de medicamentos
Diabetes mellitus
Idosos
Antidiabetics
Drug utilization
Aged
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PRPG)
Citação: NUNES, Marcus Vinicius Oliveira. Utilização de medicamentos por idosos com diabetes do município de Goiânia, Goiás. 2013. 100 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3821
Data de defesa: 30-Out-2013
Aparece nas coleções:Mestrado Profissional em Saúde Coletiva (PRPG)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Marcus Vinicius Oliveira Nunes - 2013.pdf1,83 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons