Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3865
Tipo do documento: Dissertação
Título: Acidentes com material biológico entre pessoas sem risco presumido
Título(s) alternativo(s): Accidentes with biological material among persons with no presumed risk
Autor: Salgado, Thaís de Arvelos
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/3624541794293773
Primeiro orientador: Tipple, Anaclara Ferreira Veiga
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/4288704233343920
Primeiro membro da banca: Tipple, Anaclara Ferreira Veiga
Segundo membro da banca: Oliveira, Adriana Cristina de
Terceiro membro da banca: Teles, Sheila Araújo
Quarto membro da banca: Mendonça, Katiane Martins
Quinto membro da banca: Santos, Silvana de Lima Vieira dos
Resumo: A maioria dos registros de acidente com material biológico é referente aos acidentes ocorridos nos Estabelecimentos Assistenciais de Saúde (EAS), que são ambientes considerados insalubres, onde o grupo de maior exposição são os profissionais da área da saúde. Entretanto compreende-se que qualquer indivíduo que transite pelos EAS está exposto ao risco biológico. Os objetivos deste estudo foram: identificar o perfil das vítimas de acidentes com material biológico ocorridos em Estabelecimentos de Assistência à Saúde entre pessoas sem risco presumido; identificar a frequência e o perfil dos acidentes nesse grupo; caracterizar as condutas pré e pós-exposição nos casos de acidentes com material biológico nesse grupo. Estudo epidemiológico retrospectivo, realizado com base de dados de duas instituições de atendimento e registro de acidente com material biológico do Estado de Goiás: Hospital de Doenças Tropicais (HDT), e o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST) regional de Goiânia. Foi realizado olinkage dos bancos de dados. Foram analisadas as fichas de registro de acidentes com pessoas sem risco presumido que se acidentaram com material biológico em um serviço de saúde independente do exercício profissional. O estudo foi aprovado em dois Comitês de Ética em Pesquisa, o do Hospital de Doenças Tropicais, sob o protocolo nº 033/2010 e do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás, sob o protocolo 414258/2013. Totalizaram 8.568 registros de acidentes com MB registrados de 1989 a junho de 2012, desses 181 (2,1%) ocorreram em serviços de saúde com pessoas sem risco presumido. A maior frequência de acidentes ocorreu com pessoas de idade entre 20 e 29 anos, do sexo feminino e ocupação de recepcionista de consultório ou laboratório, seguida de auxiliar administrativo. Os acidentes foram predominantemente percutâneos (91,7%) e envolvendo agulha com lúmen com maior ocorrência entre o sexo feminino, e o sangue foi o material biológico mais presente. Entre as circunstâncias de acidente, o maior número ocorreu pelo descarte inadequado de perfurocortantes e 20,1% se referiam a atividades assistenciais, como reencape de agulha, injeções ou punções, processamento de material e auxílio em procedimento o que evidenciou uma relação dessas pessoas com os cuidados assistenciais. Menos da metade dos sujeitos era vacinada (49,7%) contra hepatite B. O paciente-fonte foi identificado em 64 (35,6%) casos, e desses, 43 (67,2%) não realizaram testes sorológicos. A profilaxia pós-exposição foi recomendada em 41 (22,6%) casos e a imunoprofilaxia em 58 (32,0%) e de 96 (53,0%) casos concluídos, 74,0% indicava abandono do acompanhamento clínicolaboratorial. Houve falha nos registros de dados nas fichas de notificação, o que revela a necessidade de capacitação dos profissionais para o correto preenchimento das notificações e busca ativa dos casos para o acompanhamento. Os dados apontam para o fato de que os EAS devem ter uma estrutura organizacional resolutiva, preparada para providenciar e/ou encaminhar o acidentado para as medidas profiláticas pós-exposição, pois o serviço deve se responsabilizar pelo indivíduo que se acidenta nos seus espaços físicos, uma vez a pessoa acidentada, independente do vínculo trabalhista passa à condição de “vítima de acidente com material biológico” e a carecer de cuidados para a minimização diminuição do risco de adoecimento pela adoção das medidas preventivas após o acidente.
Abstract: Most recorded accidents with biological material are related to accidents in Health Care Facilities, which are considered unhealthy environments where the group with the highest exposure is professionals in the healthcare field. However, it should be understood that, any individual who passes through a healthcare facility is exposed to biological risk. The objectives of this study were: to identify the profile of victims of accidents with biological material, occurring in healthcare facilities among those with no presumed risk; to identify the frequency and profile of accidents in this group; to classify pre and post-exposure conduct in accidents with biological material in this group. This retrospective epidemiological study was conducted based on data from two service centers and accident reporting services: Hospital for Tropical Diseases in the State of Goias, Brazil, and the Center of Reference on Worker's Health (CEREST) in the city of Goiania. The two databases were linked. This study analyzed accidents reported by workers who were not trained in healthcare practice that had accidents with biological material inside the healthcare service independent of their professional duties. The study received approval in two Ethics Committee reports, the Hospital for Tropical Diseases, under protocol No. 033 / 2010, and by the IRB of the Hospital das Clinicas, Federal University of Goias, under protocol 414258/2013. There were 8,568 records of accidents with biological material recorded between 1989 and June 2012, 181 of these (2.1%) occurred in health services among those with no presumed risk. The highest frequency of accidents occurred among people between 20 and 29 years, female, and the most frequent occupation was the receptionist's office or lab, followed by administrative assistant. Needlestick accidents were most common (91.7 %) and involved a needle lumen, with higher incidence among females, and blood was the most common biological material. With regard to the circumstances of the accidents, most occurred due to inappropriate disposal of sharps, 20.1% referred to assistance activities such as recapping of needles, injections, or punctures, and material processing support procedures. Less than half of the subjects were vaccinated (49.7 %) against hepatitis B. The source patient was identified in 64 (35.6 %) cases, and of these, 43 (67.2 %) did not undergo serological testing. Post-exposure prophylaxis was recommended in 41 (22.6 %) and immunotherapy in 58 cases (32.0 %), and in 96 (53.0 %) cases completed, 74.0% indicated giving up clinical and laboratory monitoring. There were gaps in the data recorded in the notification forms, which reveals the need for professional training for the correct completion of notifications and active search for cases for follow-up. Data support the fact that healthcare facilities should have a organizational structure focused on resolution, prepared to provide care and / or refer the victim to postexposure prophylactic measures, since the office needs to be responsible for people who have accidents in their area, once the injured person, regardless of the employment relationship becomes a "victim of an accident with biological material" and in need of care, to minimize the risk of disease by taking proper preventive measures after the accident.
Palavras-chave: Ferimentos penetrantes produzidos por agulha
Epidemiologia
Patógenos transmitidos pelo sangue
Needlestick injuries
Epidemiology
Blood-borne pathogens
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Enfermagem - FEN (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Enfermagem (FEN)
Citação: SALGADO, Thaís de Arvelos. Acidentes com material biológico entre pessoas sem risco presumido. 2014. 90 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3865
Data de defesa: 15-Ago-2014
Aparece nas coleções:Mestrado em Enfermagem (FEN)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Thaís de Arvelos Salgado - 2014.pdf1,23 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons