Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3906
Tipo do documento: Tese
Título: Os usos políticos da narrativa mítica em Luciano de Samósata: aspectos do regime de memória romano (séc. II D. C)
Título(s) alternativo(s): The political uses of mythical narrative in Luciano of Samosat: aspects of roman regime memory (century II d. C)
Autor: Arantes Junior, Edson
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/4117509435019474
Primeiro orientador: Gonçalves, Ana Teresa Marques
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/7049736226460820
Primeiro membro da banca: Gonçalves, Ana Teresa Maruqes
Segundo membro da banca: Brandão, Jacyntho José Lins
Terceiro membro da banca: Rossi, Andrea Lúcia Dorini de Oliveira Carvalho
Quarto membro da banca: Sandes, Noé Freire
Quinto membro da banca: Vidotte, Adriana
Resumo: Luciano de Samósata foi um importante intérprete do Império Romano, sua prosa versou sobre uma infinidade de temas. Os estudiosos desse escritor se concentraram em duas possibilidades de compreensão para sua postura política: de um lado, há os autores que consideram o sírio desvinculado de seu tempo e de seu contexto sociopolítico; do outro, existem os que o veem como um militante político contrário a Roma. Nesta Tese, consideramos que Luciano apresenta um posicionamento ambíguo, uma vez que ele se identifica como sírio, ressalta toda a sua formação helênica e critica aspectos da cultura política romana. Entretanto, acreditamos que ele estava consciente dos benefícios que o Império trazia a todos os povos dominados. Dessa forma, podemos dizer que ele era um escritor que colaborava com a manutenção do sistema imperial. Para comprovar essa hipótese, deslocamos a indagação para os famosos diálogos satíricos que costumam ser desconsiderados pelos intérpretes de Luciano. Conhecido por unir o sisudo diálogo filosófico à sarcástica comédia, entendemos que o escritor tinha a intenção de produzir o riso, que se voltaria para a mobilização do pensamento. Restringimos nossa investigação aos diálogos que utilizam a mitologia como eixo temático. Os mitos foram pensados como elementos que compõem uma memória cultural e, dessa forma, são apresentados nos limites do regime de memória romano. Essa seleção formal foi organizada em tópicos referentes ao poder político e a suas manifestações cotidianas. Assim, preocupamo-nos com a representação luciânica das assembleias, dos tiranos e das relações das divindades entre si e, principalmente, com Zeus. Entendemos que Luciano fez uma profunda exegese de sua realidade, evidenciando e criticando posturas abusivas. Em seus diálogos, podemos ver outras dimensões possíveis da interpretação do poder político no império romano.
Abstract: Lucian of Samosat was an important interpreter of the Roman Empire, his writings were about a varied of topics. People who study about this writer focused on two possibilities for understanding his political stance: on one hand, there are authors who consider he is disconnected from his time and sociopolitical context; on the other hand, there are those who see him as a political activist opposed to Rome. In this Thesis, we consider that Lucian has an ambiguous position, since he identifies himself as Syrian, underscores his entire Hellenic education and criticizes aspects of Roman political culture. However, we believe that he was aware of the benefits that the empire brought all dominated peoples. Thus, we can say that he was a writer who collaborated with the maintenance of the imperial system. To prove this hypothesis, we analyze his famous satirical dialogues, which were often disregarded by his interpreters. Known for combining the dour philosophical dialogue with sarcastic comedy, we understand that the writer intended to produce laughter, which would turn to the mobilization of thought. We restrict our investigation to the dialogues that use mythology as subject. The myths were thought as components of a cultural memory and thus are presented within the limits of the Roman memory system. This selection was formally organized on topics related to political power and its everyday manifestations. Thus, we are concerned with the Lucianic representation of assemblies, tyrants and the relations of the deities among them and especially with Zeus. We understand that Lucian did a thorough exegesis of his reality, highlighting and criticizing abusive postures. In his dialogues, we can see other possible dimensions of interpretation of political power in the Roman Empire.
Palavras-chave: Luciano de Samósata
Segunda sofística
Mitologia
Poder imperial
Lucian of Samosat
Second sophistic
Mythology
Imperial power
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de História - FH (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Historia (FH)
Citação: ARANTES JUNIOR, Edson. Os usos políticos da narrativa mítica em Luciano de Samósata: aspectos do regime de memória romano (séc. II D. C). 2014. 219 f. Tese (Doutorado em Historia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3906
Data de defesa: 9-Out-2014
Aparece nas coleções:Doutorado em História (FH)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Edson Arantes Junior - 2014.pdf2,85 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons