Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4014
Tipo do documento: Dissertação
Título: O olhar que distorce o tempo e o espaço: mitocrítica do discurso científico na teoria da relatividade
Título(s) alternativo(s): The look that distorts time and space: mythcriticism of scientific
Autor: Silva, Samuel de Sousa
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/9236412793978088
Primeiro orientador: Couto, Elza Kioko Nakayama Nenoki do
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/8282195794917233
Primeiro membro da banca: Couto, Elza Kioko Nakayama Nenoki do
Segundo membro da banca: Camargo, Hertz Wendel de
Terceiro membro da banca: Costa, Alexandre Ferreira da
Resumo: Nessa pesquisa, observamos como o discurso científico, nesse caso a Teoria da Relatividade, constituiu-se como um discurso persuasivo que postula não só verdades a respeito dos mecanismos de funcionamento do cosmos, mas afirma, acima de tudo, a si mesmo como ―o discurso‖ da verdade. Procuramos demonstrar que a estrutura persuasiva desse discurso corresponde à estrutura do discurso mítico e que, portanto, o discurso científico da Teoria da Relatividade é constituído por um mito diretivo. Nessa pesquisa, relemos os conceitos fundamentais da Teoria da Relatividade, sendo eles os conceitos de tempo e espaço, e como que o enaltecimento da figura do observador coloca, na esfera das ciências da natureza, as questões filosóficas que espelham as angústias humanas. Sendo assim, o discurso científico da Teoria da Relatividade se orienta pelas mesmas diretrizes motivacionais do discurso mítico. Postulamos que a ciência , assim como o mito, são discursos próprios de uma mentalidade curiosa desenvolvida pela espécie humana que busca satisfazer sua necessidade de conhecimento criando metodologias e epistemologias capazes de produzi-los. Dessa forma, tanto o discurso mítico quanto o discurso científico são respostas a essa mentalidade própria do homo sapiens e, portanto, desempenham a mesma função de prover satisfação a esse sujeito do conhecimento próprio do ser humano. Demonstramos que a teoria da relatividade filosoficamente trata dos temas das determinações do tempo sobre o homem e da luta desse homem contra o tempo e a morte. E que o discurso da teoria da relatividade tem como estrutura profunda o mesmo mitologema do mito de Zeus, e portanto, ele é uma atualização para as demandas e condições de verdade atuais do mito de Zeus como representação do homem que vence o tempo e se instaura como o centro do universo.
Abstract: In this research, we observed how the scientific discourse, in this case the theory of relativity, was established as a persuasive discourse that posits not only truths about the workings of the cosmos, but states, above all, to himself as "the discourse of truth ". We demonstrate that the structure of persuasive discourse corresponds to the structure of mythic discourse and, therefore, the scientific discourse of Relativity Theory consists of a myth that structure. In this research, we reread the fundamental concepts of the theory of relativity, namely the concepts of time and space, and how the exaltation of the figure of the observer puts it, in the sphere of natural science, philosophical questions that mirror the human anguish. Thus, the scientific discourse of the Theory of Relativit y is guided by the same motivational guidelines of the mythic discourse. We postulate that science, as the myth, are speeches own of the curious mindset developed by mankind seeking to satisfy their need for knowledge, creating methodologies and epistemologies able to produce them. Thus, both the mythical and the scientific discourse are answers to this mentality own of homo sapiens and therefore, have the function of providing satisfaction to such subject of the knowledge own of the human being. We demonstrate that the theory of relativity is philosophically about the themes of the time determinations about the man and the struggle of this man against time and death . And that the discourse of the theory of relativity has as structure deep the mythologem of the myth of Zeus, and therefore it is an update to the demands and conditions of current truth of the myth of Zeus as a representation of the man who wins the time and is established as the center of the universe.
Palavras-chave: Tempo
Mito
Ciência
Time
Myth
Science
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA::LINGUISTICA APLICADA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: SILVA, Samuel de Sousa. O olhar que distorce o tempo e o espaço: mitocrítica do discurso científico na teoria da relatividade. 2014. 89 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4014
Data de defesa: 28-Fev-2014
Aparece nas coleções:Mestrado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao - Samuel de Sousa Silva - 2014.pdfDissertação - Samuel de Sousa Silva - 2014843,44 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons