Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4016
Tipo do documento: Dissertação
Título: Níveis de triptofano digestível nas fases pré-inicial e inicial em frangos machos e fêmeas
Título(s) alternativo(s): Digestible tryptophan levels on pre starters and starter phase in males and females broilers
Autor: Borges, Bruno Samuel
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/8669335593111202
Primeiro orientador: Nunes, Romão da Cunha
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/4335133347523404
Primeiro coorientador: Mascarenhas, Alessandra Gimenez
Segundo Coorientador: Mello, Heloísa Helena de Carvalho
Primeiro membro da banca: Nunes, Romão da Cunha
Segundo membro da banca: Rocha, Fernanda Rodrigues Taveira
Terceiro membro da banca: Stringhini, José Henrique
Resumo: Objetivou-se avaliar o nível de triptofano digestível nas rações de frangos de corte machos e fêmeas nas fases pré-inicial (um a sete dias de idade) e inicial (oito a 21 dias de idade). Foram realizados quatro experimentos, sendo o experimento 1 com machos na fase pré-inicial, experimento 2 com machos na fase inicial, experimento 3 com fêmeas na fase pré-inicial e experimento 4 com fêmeas na fase inicial. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado com quatro tratamentos, cinco repetições e dez animais por repetição, em que cada repetição compreendia a uma unidade experimental. Nos experimentos a exigência de triptofano foi determinada utilizando dietas com diferentes níveis de triptofano digestível. Foi formulada uma ração com deficiência em triptofano, considerada a ração basal, a qual foi suplementada com L-triptofano em substituição ao material inerte com o objetivo de alcançar os níveis de triptofano digestível desejáveis. Os tratamentos do experimento 1 consistiram em: T1 – dieta com 0,209% de triptofano digestível (ração basal); T2 – dieta com 0,223% de triptofano digestível; T3 – dieta com 0,235% de triptofano digestível e; T4 – dieta com 0,248% de triptofano digestível para frangos de corte machos na fase pré-inicial; Os tratamentos para o experimento 2 foram : T1 – dieta com 0,187% de triptofano digestível (ração basal); T2 – dieta com 0,200% de triptofano digestível; T3 – dieta com 0,211% de triptofano digestível e; T4 – dieta com 0,223% de triptofano digestível para frangos de corte machos na fase inicial; Os tratamentos para o experimento 3 são: T1 – dieta com 0,212% de triptofano digestível (ração basal); T2 – dieta com 0,225% de triptofano digestível; T3 – dieta com 0,238% de triptofano digestível e; T4 – dieta com 0,252% de triptofano digestível para frangos de corte fêmeas na fase pré-inicial; Os tratamentos para o experimento 4 consistem em: T1 – dietas com 0,186% de triptofano digestível (ração basal); T2 – dieta com 0,198% de triptofano digestível; T3 – dieta com 0,209% de triptofano digestível e; T4 – dieta com 0,221% de triptofano digestível para frangos de corte fêmeas na fase inicial. As rações foram formuladas contendo milho, farelo de soja, farinha de vísceras de aves e farinha de carne e osso, suplementada com os aminoácidos industriais L-Lisina, DL-metionina, L-treonina, L-arginina, L-valina, e L-triptofano. Foram avaliados o consumo de ração, o ganho de peso e a conversão alimentar, bem como foi realizada a avaliação da digestibilidade dos nutrientes das rações. Os dados de desempenho e metabolização dos nutrientes da ração foram submetidos à análise de variância (ANOVA). As estimativas dos níveis de triptofano digestível foram efetuadas através dos modelos de regressão linear e quadrática, em nível de 5% de probabilidade. Foi utilizado o programa SAS 9.2. Após análise dos dados obtidos nesse estudo, verificou-se que a suplementação aminoacídica não influenciou o desempenho dos frangos de corte de ambos os sexos. Recomenda-se níveis de triptofano digestível para frangos de corte machos na fase pré-inicial de 0,209% e na fase inicial de 0,187%, e níveis de triptofano digestível para frangos de corte fêmeas na fase pré-inicial de 0,212% e na fase inicial de 0,186%.
Abstract: We aimed to evaluate digestible tryptophan level in males and females broilers on pre-initial (one to seven days old) and initial phase (eight to 21 days old) diets. Four experiments were conducted, one with males on pre-initial phase, one with males on initial phase, another with females on pre-initial and one with females on initial phase. The design was completely randomized with four treatments, five replicates with ten animals each, where each repetition consists an experimental unit. In the experiment, tryptophan requirement was determined using diets with different digestible tryptophan levels. A deficient tryptophan diet was formulated, considered the basal diet, which was supplemented with L -tryptophan replacing inert material in order to achieve digestible tryptophan desirable levels. The treatments of experiment 1 consisted of: T1 - 0.209% digestible tryptophan diet (basal diet); T2 - 0.223% digestible tryptophan diet; T3 - 0.235% digestible tryptophan diet; T4 - 0.248% digestible tryptophan diet for male broilers in preinitial phase; Treatments for experiment 2 were: T1 - 0.187% digestible tryptophan diet (basal diet); T2 - 0.200% digestible tryptophan diet; T3 - 0.211% digestible tryptophan diet; T4 - 0.223% digestible tryptophan diet for male broilers on initial phase; Treatments for experiment 3 are: T1 - 0.212% digestible tryptophan diet (basal diet); T2 - 0.225% digestible tryptophan diet; T3 - 0.238% digestible tryptophan diet; T4 - 0.252% digestible tryptophan diet for female chickens cut i n pre-starter; Treatments for experiment 4 are: T1 - diets with 0.186% digestible tryptophan (basal diet); T2 - diet with 0.198% digestible tryptophan; T3 - diet with 0.209% digestible tryptophan; T4 - diet with 0.221% digestible tryptophan for female broiler chickens on initial phase. Diets were formulated with corn, soybean meal, poultry gut meal and bone meal, supplemented with industrial amino acid LLysine, DL-methionine, L-threonine, L-arginine, L-valine, and L-tryptophan. Feed intake, weight gain, feed conversion, as well as nutrients digestibility evaluation was performed. Performance and diet nutrients metabolism data were subjected to variance analysis (ANOVA). Digestible tryptophan levels estimates were made by linear models and quadratic regression at 5% probability. SAS 9.2 was used. After analyzing obtained data, it was found that; amino acid supplementation did not affect broilers of neither sex performance. Digestible tryptophan levels for male broilers on pre-initial phase of 0.209% and on initial phase of 0.187%, and digestible tryptophan levels for female broilers in pre-initial of 0,212% and on initial phase of 0,186% is recommended.
Palavras-chave: Aminoácido digestível
Aves
Desempenho
Digestibilidade
Chickens
Digestible amino acid
digestibility
Performance
Área(s) do CNPq: PRODUCAO ANIMAL::MANEJO DE ANIMAIS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Escola de Veterinária e Zootecnia - EVZ (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Ciência Animal (EVZ)
Citação: BORGES, Bruno Samuel. Níveis de triptofano digestível nas fases pré-inicial e inicial em frangos machos e fêmeas. 2014. 47 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4016
Data de defesa: 25-Jul-2014
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciência Animal (EVZ)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao - Bruno Samuel Borges - 2014.pdf Dissertação - Bruno Samuel Borges - 2014843,62 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons