Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4063
Tipo do documento: Tese
Título: A revolução sandinista: do triunfo à derrota (1979-1990)
Título(s) alternativo(s): The nicaraguan revolution: from its triumph to its decline (1979-1990)
Autor: Sá, Roger dos Anjos de
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/3035763347045970
Primeiro orientador: Maciel, David
Currículo Lattes do primeiro orientador: ttp://lattes.cnpq.br/3587511267893434
Primeiro membro da banca: Maciel, David
Segundo membro da banca: Pinto, João Alberto da Costa
Terceiro membro da banca: Barbosa, Walmir
Resumo: Em julho de 1979, a Revolução Sandinista triunfou na Nicarágua, constituindo assim um marco político de grande relevância para a história do último quartel do século XX. Na dianteira do processo revolucionário, estava a FSLN (Frente Sandinista de Libertação Nacional), organização fundada no início da década de 1960 inspirada em Augusto César Sandino, um nacionalista que lutou contra a dominação exercida pelos Estados Unidos da América naquele país no final dos anos 1920 e no início da década seguinte. Sandino foi assassinado a mando do então chefe da Guarda Nacional, Anastásio Somoza García, em 1934. Em 1937, Somoza assumiu o governo da Nicarágua, inaugurando a mais longa de todas as ditaduras da América, que durou até 1979. Associados a diversas ideologias políticas oriundas de variados segmentos sociais, a FSLN liderou uma insurreição popular que derrubou a ditadura e iniciou um período de intensas disputas e transformações sociais, econômicas e políticas na Nicarágua. A tática de transformação econômica foi conduzida pela economia mista e o modelo político foi pautado pela pluralidade. Entrementes a Frente Sandinista buscou consolidar sua hegemonia mediante a cooptação de organizações populares e de massa e também através da constituição de um Exército. Poucos anos após o triunfo revolucionário, surgiu uma contrarrevolução armada, o que fez com que se consignasse uma situação de guerra que consumiu nos anos seguintes enormes somas monetárias e uma concentração na defesa militar da Revolução. As forças contrarrevolucionárias foram formadas sob a tutela do governo norte-americano de Ronald Reagan. Neste sentido, no período entre 1979 e 1990, a Nicarágua tornou-se um importante polo da ingerência norte-americana, que aliada a grupos opostos a Frente Sandinista, principalmente à burguesia e à alta hierarquia da Igreja Católica, constituíram juntos grupos armados, os contras, que travaram com o governo uma guerra civil. A Revolução Sandinista durou até 1990, quando a FSLN foi derrotada eleitoralmente por uma coalização contrarrevolucionária denominada UNO (União Nacional Opositora), financiada pelos Estados Unidos.
Abstract: In July 1979, the Sandinista Revolution triumphed in Nicaragua, thus constituting a political framework of great importance for the history of the last quarter of the twentieth century. In front of the revolutionary process, was the FSLN (Sandinista National Liberation Front), an organization founded in the early 1960s inspired by Augusto César Sandino, a nationalist who fought against the domination exerted by the United States of America in that country in the late 1920s and in the beginning of next decade. Sandino was assassinated at the behest of the then chief of the National Guard, Anastasio Somoza García, in 1934. In 1937, Somoza took over the government of Nicaragua inaugurating the longest of all dictatorships of America, which lasted until 1979. Associated various political ideologies derived from various social segments the FSLN led a popular uprising that toppled the dictatorship and began a period of intense disputes and social, economic and political transformations in Nicaragua. The tactic of economic transformation was conducted by the mixed economy and the political model was guided by plurality. Meanwhile the Sandinista Front sought to consolidate its hegemony through the cooptation of popular and mass organizations and also through the establishment of an Army. A few years after the revolutionary triumph came one armed counterrevolution, what made the consigning a war that consumed in huge sums of money following years and a concentration in military defense of the Revolution. The counterrevolutionary forces were formed under the auspices of the American government of Ronald Reagan. In this sense, the period between 1979 and 1990, Nicaragua became an important center of American interference, which combined the groups opposing the Sandinista Front, mainly the bourgeoisie and the upper hierarchy of the Catholic Church constituted together, armed groups, the cons, who fought with the government a civil war. The Sandinista Revolution lasted until 1990, when the FSLN was defeated electorally by a counterrevolutionary coalition called UNO (National Union Opposition) that was financed by the United States.
Palavras-chave: Revolução Sandinista
Nicarágua
FSLN
Contrarrevolução
Estados Unidos
Sandinista Revolution
Nicaragua
Counterrevolution
United States
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de História - FH (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Historia (FH)
Citação: SÁ, Roger dos Anjos de. A revolução sandinista: do triunfo à derrota (1979-1990). 2014. 273 f. Tese (Doutorado em Historia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4063
Data de defesa: 25-Set-2014
Aparece nas coleções:Mestrado em História (FH)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Roger dos Anjos de Sá - 2014.pdf2,35 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons