Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4260
Tipo do documento: Dissertação
Título: Absenteísmo-doença entre servidores públicos municipais de Goiânia
Título(s) alternativo(s): Sickness absence among government employees from the goiânia municipality
Autor: Leão, Ana Lucia de Melo
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/7883278789266670
Primeiro orientador: Turchi, Marília Dalva
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/3769826743537934
Primeiro coorientador: Rassi Neto, Elias
Primeiro membro da banca: Turchi, Marília Dalva
Segundo membro da banca: Corrêa Filho, Heleno Rodrigues
Terceiro membro da banca: Souza, Marta Rovery de
Quarto membro da banca: Rosso, Claci Fátima Weirich
Quinto membro da banca: Bezerra, Ana Lúcia Queiroz
Resumo: Introdução: O absenteísmo-doença (AD), entendido como ausência ao trabalho por motivo de doença, é um importante indicador das condições de saúde dos trabalhadores. Na administração pública municipal, a exemplo do restante do país, a prevalência de AD e as suas principais causas ainda estão insuficientemente documentadas, e restringem-se a analise de alguns grupos ocupacionais, sobretudo daqueles que desenvolvem atividades nos serviços de saúde ou em instituições de ensino. Estimativas da magnitude do AD variam amplamente e características sóciodemográficas, aspectos ligados à natureza e às condições de trabalho situam-se entre os principais fatores associados à sua frequência e duração. Objetivos: Estudar a prevalência e os fatores associados ao absenteísmo-doença entre os servidores públicos estatutários do Município de Goiânia. Métodos: Estudo populacional de corte transversal, com análise de todas as licenças para tratamento de saúde (LTS), com duração superiores a três dias, cerificadas pela junta médica municipal no período janeiro de 2005 a dezembro de 2010. Resultados: Foram analisadas 40.578 LTS concedidas a 14.484 servidores que geraram 944.722 dias de ausências. Os indicadores de AD demonstraram uma prevalência média anual de 23,0% de servidores ausentes em decorrência de problemas de saúde; prevalência de licenças de 39,0%, sendo maior entre os profissionais de educação (47,7%) e saúde (41,9%); a duração média do AD foi de 40 dias/ano por servidor licenciado e a duração média das Licenças foi de 23 dias por episódio. Considerando os episódios de LTS houve Predomínio dos seguintes grupos: mulheres, faixa etária entre 41 a 50 anos, casados, brancos, com ensino superior, renda de até três salários mínimos, com até 10 anos de serviço público, lotados nas secretarias de educação e de saúde. A análise de regressão de Poisson demonstrou, no período, tendência de estabilidade dos indicadores entre as mulheres, e de aumento da prevalência de licenças entre os homens. A principal causa de AD foi por transtornos mentais e comportamentais seguidas pelas doenças do sistema osteomuscular e Lesões/causas externas. A análise Multivariada demonstrou associação estatisticamente significativa entre os afastamentos e ser do sexo feminino (OR 1,54 IC95%1,41-1,68), ter mais que 60 anos (OR 1,86 IC95% 1,48-2,32), ser casado (OR 1,51 IC95% 1,13-2,02), possuir até o ensino fundamental (OR 12,35 IC95% 10,39- 14,69), receber de até três salários mínimos (OR 1,37 IC95% 1,21-1,55), ter maior tempo de serviço (OR 3,39 IC95% 2,50-4,59), ser profissional de saúde e educação (OR 2,96 IC95% 2,60-3,38 e OR 2,90 IC95% 2,51-3,36 respectivamente), bem como estar lotado nas Secretarias Municipais de Saúde e Educação (OR 1,69 IC95% 1,30- 2,21 e OR 1,60 IC95% 1,23-2,09 respectivamente). Conclusões: Os indicadores de AD expressam a magnitude desse fenômeno no serviço público e podem auxiliar no planejamento das ações de saúde do trabalhador priorizando os grupos ocupacionais mais vulneráveis, cujas características sócio-demográficas e de organização do trabalho influenciaram nos afastamentos por motivos de doença.
Abstract: Background: Sickness absence (SA), known as work disability justified by sick leave, can be an indicator of workers health status. In municipal government, like the rest of the country, the prevalence of SA and its main causes are still poorly documented, and are restricted to the analysis of some occupational groups, especially those who engage in health care or in institutions education. Estimates of the magnitude of SA vary widely and socio-demographic aspects related to nature and working conditions are among the main factors associated with the frequency and duration. Aims: To study the prevalence and the factors related to SA workers from the public sector in the municipality of Goiânia. Methods: Cross-sectional population-based study assessing prevalence and factors associated with sick leave lasting longer than three days for the health treatment from 2005 to 2010, in civil servants. Outcomes: 40.578 sick leave were assessed among 14.484 absent workers which generated 944.722 absent days. The indicators of sickness absence in that period were: prevalence of sick leave of 39.0%, higher among education professionals (47.7%) and health (41.9%), the mean duration of SA was 40 days / year per worker away and the average duration of Licenses was 23 days per episode. Predominance of female sexual workers, aged between 41 and 50 years, married, white, with high educational background, earning up to three minimal salaries, with their own house, with from 3 to 10 years of public service, having a professional bond and basically in operational tasks registered in the Municipal Secretariat of Education and Health. The main cause of sickness was mental and behavioral disorder followed by musculoskeletal diseases. The Multivariate analysis showed an association between sickness absence and the female subjects (OR 1,54 IC95%1,41-1,68), being older (OR 1,86 IC95% 1,48-2,32), married (OR 1,51 IC95% 1,13-2,02), having elementary school degree (OR 12,35 IC95% 10,39-14,69), income of up to three minimal salaries (OR 1,37 IC95% 1,21-1,55), having more working experience concerning the time(OR 3,39 IC95% 2,50-4,59), being professional in the health and educational area (OR 2,96 IC95% 2,60-3,38 and OR 2,90 IC95% 2,51- 3,36), as well as being part of the staff in the Municipal Secretariat of Education and Health (OR 1,69 IC95% 1,30-2,21 e OR 1,60 IC95% 1,23-2,09 ). Conclusions: The indicators of SA express the magnitude of this phenomenon in public service and can assist in the planning of health worker prioritizing the most vulnerable occupational groups whose socio-demographic characteristics and work organization influence on absenteeism due to illness.
Palavras-chave: Licença médica
Absenteísmo
Trabalhadores
Setor público
Indicadores
Saúde do trabalhador
Sick leave
Absenteeism
Workers
Public sector
Indicators
Occupational health
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PRPG)
Citação: LEÃO, A. L. M. Absenteísmo-doença entre servidores públicos municipais de Goiânia. 2012. 72 f. Dissertação (Mestrado profissional em Saúde Coletiva)–Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4260
Data de defesa: 2-Fev-2012
Aparece nas coleções:Mestrado Profissional em Saúde Coletiva (PRPG)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Ana Lúcia de Melo Leão - 2012.pdf853,04 kBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons