Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4457
Tipo do documento: Dissertação
Título: Análise de tendência da mortalidade prematura por doenças crônicas não transmissíveis nas unidades federadas - Brasil 2000 a 2011
Autor: Alves, Carla Guimarães
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/4751410153566264
Primeiro orientador: Morais Neto, Otaliba Libânio de
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/4030124246791320
Primeiro membro da banca: Morais Neto, Otaliba Libânio de
Segundo membro da banca: Malta, Deborah Carvalho
Terceiro membro da banca: Oliveira, Ellen Synthia Fernandes de
Quarto membro da banca: Siqueira Junior, João Bosco
Quinto membro da banca: Minamisava, Ruth
Resumo: As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) apresentam a maior carga de mortalidade em todo mundo, com aumento nos países de média e baixa renda. Os principais grupos são as doenças do aparelho circulatório (DAC), doenças respiratórias crônicas (DRC), neoplasias e o diabetes. No Brasil, os dois primeiros grupos vêm apresentando tendência de redução na última década e os demais permanecem estáveis. O plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis no Brasil, 2011 a 2022 estabelece uma meta de redução da mortalidade prematura em 2% ao ano até 2022. Diante disso, o objetivo desse trabalho é identificar os cenários de cumprimento da meta de redução das taxas de mortalidade prematura em 2% ao ano por parte das unidades federadas. Foi realizada análise de série temporal das taxas padronizadas de mortalidade por DCNT, corrigidas para sub-registro de óbitos e redistribuição de causas mal definidas, em cada um dos quatro grupos de causas no período de 2000-2011, nos sexos masculino e feminino. Foi utilizado modelo de regressão linear autoregressivo de Prais-Winsten. Estimou-se as taxas de incremento médio anual da mortalidade e os respectivos intervalos de confiança de 95%. Definiu-se os estratos de UF com cenários favoráveis e desfavoráveis de cumprimento da meta do plano a partir das UF que apresentaram taxa de redução média anual significativa (p<0,05) e limite superior do IC95% <= -2,0%. Para o grupo das DAC, ambos os sexos, as UF que apresentaram um cenário favorável foram: Distrito Federal, Santa Catarina, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo e Paraná. Para o grupo de DRC as UF foram Amazonas, Distrito Federal, Minas Gerais e Paraná. Para os grupos de causas Neoplasias e Diabetes Mellitus todas as UF apresentaram cenários desfavoráveis com taxa de incremento médio anual com o limite superior do IC95% > -2%. Concluiu-se que as UF, com o apoio do Ministério da Saúde em articulação com os demais Órgãos Federais, juntamente com os governos das esferas estadual e municipal, devem reforçar as intervenções focadas nos fatores de risco modificáveis para as DCNT e garantir o cuidado integral aos usuários diagnosticados para reduzir a mortalidade prematura pelos quatro grupos de causas.
Abstract: Chronic non-communicable diseases (NCDs) have the highest mortality rate worldwide, with an increase in middle-income and low-income countries. The main groups are circulatory diseases (CAD), chronic respiratory diseases (CRD), cancer and diabetes. In Brazil, the first two groups are showing a decrease trend in the last decade and the others remain stable. The strategic action plan for dealing with chronic non-communicable diseases in Brazil, from 2011-2022, sets a target to reduce premature mortality by 2% per year until 2022. Therefore the purpose of this article is to identify the trend in mortality rates and the scenarios of meeting the goals for reducing premature mortality rates by 2% per year by the states. It was performed a time series analysis of the standardized mortality rates for NCDs, corrected for underreporting deaths and ill defined causes of death in each of the four causes groups in the period from 2000 to 2011 in males and females. The autoregressive linear regression of the Prais-Winsten was the model of choice. There were estimated the average annual increment rates of mortality and the confidence intervals in 95%. The states was defined with favorable and unfavorable scenarios for achieving the goal of the plan from the states that showed significant average annual of increment rate of reduction (p <0.05) and upper limit of 95% CI <= -2.0%. For the CAD group, both genders, the states have showed that a favorable scenario were: Distrito Federal, Santa Catarina, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, and Paraná. For the DRC group the states were Amazonas, Distrito Federal, e Paraná. For groups of cancer and Diabetes Mellitus all the states had unfavorable scenarios upper limit of 95% of the annual average increment rate greater than two. The conclusion was that the states, with the support of the Ministry of Health in conjunction with other Federal Agencies, together with state and municipal governments should strengthen interventions focused on modifiable risk factors for NCDs and ensure comprehensive integrated care to diagnosed users to reduce premature mortality in the four groups of causes.
Palavras-chave: Doença crônica
Epidemiologia
Mortalidade prematura
Tendência
Chronic disease
Epidemiology
Mortality
Premature
Trends
Área(s) do CNPq: SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PRPG)
Citação: ALVES, C. G. Análise de tendência da mortalidade prematura por doenças crônicas não transmissíveis nas unidades federadas - Brasil 2000 a 2011. 2014. 83 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Saúde Coletiva) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4457
Data de defesa: 14-Mai-2014
Aparece nas coleções:Mestrado Profissional em Saúde Coletiva (PRPG)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Carla Guimarães Alves - 2014.pdf1,18 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons