Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4591
Tipo do documento: Dissertação
Título: “Você tem que ficar manobrando as coisas”: lesbianidades, violências cotidianas e possibilidades de resistência
Título(s) alternativo(s): "You have tp handle things": lesbian existences, daily violence and possibilities of resistance
Autor: Silva, Tanieli de Moraes Guimarães
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5277831433468397
Primeiro orientador: Silva, Telma Camargo da
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/5600367671251186
Primeiro membro da banca: Silva, Telma Camargo da
Segundo membro da banca: Grossi, Miriam Pillar
Terceiro membro da banca: Souza, Maria Luiza Rodrigues
Resumo: Este trabalho objetiva refletir sobre lesbianidades, violências cotidianas e “manobras”, a partir de trajetórias de vida de mulheres que se relacionam afetivo-sexualmente com mulheres em Goiânia. O eixo teórico central é constituído por teorizações de Butler (2000; 2010) acerca de gênero e sexualidade, de Das (1999) sobre violência, e Ortner (2007) acerca de agência. O método utilizado é o da História de Vida e o etnográfico, tendo sido realizadas observações participantes em bares, boates, casas, entre outros espaços, e entrevistas semiestruturadas com dez mulheres de 24 a 30 anos. Por meio das histórias de vida apresentadas, é possível perceber que mulheres lésbicas estão marcadas de forma mais ou menos intensa e direta por violências cotidianas, sendo que estas podem estar inseridas em todos os seus contextos, sendo que dois desses serão problematizados aqui: o familiar e o religioso. Frente a essa realidade, mulheres lésbicas têm que “manobrar as coisas”, ou seja, precisam desenvolver estratégias e habilidades para se defender. Assim, a “manobra” é uma forma de agência, é resistência frente à sociedade heteronormativa que insiste em forçar uma coerência entre sexo, gênero, desejo e prática sexual. Porém há uma relação entre desejo-violência-culpa que perpassa a maioria das trajetórias aqui presentes, o que evidencia que resistir não é tarefa fácil.
Abstract: This work aims to reflect about lesbian existences daily violence and “handlings”, from life trajectories of women who have affective-sexual relationships with other women in Goiânia. The main theoretical axis consists of theorizations from Butler (2000; 2010) about gender and sexuality, Das (1999) about violence, and Ortner (2007) about agency. The method used is the Life History and the ethnographic, with participant observations carried out in bars, nightclubs, houses, among other spaces, and semi-structured interviews with ten women from 24 to 30 years old. Through the life stories presented, it is possible to see that lesbian women are marked, in a more or less intense and direct way, by daily violence, which can be embedded in all of their contexts. Two of them are problematized here: the family and the religious ones. Faced at this reality, lesbian women have to “handle things”, in other words, they have to develop strategies and abilities to defend themselves. Therefore, “handling” is a form of agency, a resistance to a heteronormative society that insists on forcing a coherence among sex, gender, desire and sexual practice. However, there is a relation of desire-violence-guilt that permeates most of the trajectories presented here, which makes it evident that resisting is not an easy task.
Palavras-chave: Lesbianidades
Violência cotidiana
Trajetórias de vida
Dinâmicas familiares
Dinâmicas religiosas
Lesbian existences
Daily violence
Life trajectories,
Family dynamics
Religious dynamics
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::ANTROPOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais - FCS (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Antropologia Social (FCS)
Citação: SILVA, T. M. G. “Você tem que ficar manobrando as coisas”: lesbianidades, violências cotidianas e possibilidades de resistência. 2015. 117 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4591
Data de defesa: 23-Mar-2015
Aparece nas coleções:Mestrado em Antropologia Social (FCS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação -Tanieli de Moraes Guimarães Silva - 2015.pdf1,28 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons