Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4867
Tipo do documento: Dissertação
Título: Gravidez na adolescência: perfil epidemiológico, fatores predisponentes e repercussões perinatais em uma maternidade pública de Goiânia – GO
Título(s) alternativo(s): Adolescent pregnancy: epidemiological profile, predisposing factors and repercussions on a perinatal maternity public in Goiânia - GO
Autor: Barbosa, Jony Rodrigues
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/6044361996704980
Primeiro orientador: Barros, Patrícia de Sá
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/4072686126990699
Primeiro membro da banca: Barros, Patricia de Sá
Segundo membro da banca: Moraes, Alexandre Vieira Santos
Terceiro membro da banca: Souza, Márcia Maria de
Quarto membro da banca: Assis, Thaís Rocha
Quinto membro da banca: Oliveira, Ellen Synthia Fernandes de
Resumo: A gravidez na adolescência traz implicações biológicas, familiares, psicológicas e econômicas, limitando ou adiando as possibilidades de desenvolvimento social destas jovens. Associa-se também a probabilidade de complicações maternas e fetais, sendo encarada como problema de saúde pública. O objetivo do estudo foi analisar o perfil epidemiológico, fatores associados e repercussões perinatais de gestantes adolescentes. Trata-se de um estudo transversal e descritivo que constituiu-se de uma amostra de 170 adolescentes internadas para realização de parto ou quadro clínico de abortamento, durante o período de agosto/2013 a maio/2014 em uma maternidade pública municipal em Goiânia-Goiás. As adolescentes foram entrevistadas durante a internação para coleta de dados sobre o perfil sociodemográfico; antecedentes ginecológicos e sexuais; conhecimento sobre contraceptivos; antecedentes familiares e obstétricos; dados da gravidez atual e sobre o recém-nascido. A média de idade foi de 17,3 anos, pardas, moram em casa própria com os parceiros de 3 a 4 pessoas na residência, renda familiar de 01 a 03 salários mínimos, com um percentual maior de renda entre as adolescentes >16 anos. 30% (>16 anos) possuem emprego formal ou informal comparado a 4% ( 16 anos). 45,3% das adolescentes possuem ensino médio incompleto. 91 (53,5%) estudavam quando engravidaram e 59 (64,8%) abandonaram os estudos durante a gravidez. A menarca ocorreu entre 11 e 13 anos e a sexarca entre 14 a 15 anos (grupo geral e >16 anos), respectivamente. No grupo 16 anos, a sexarca foi de 13 a 14 anos (p=0,009). O motivo principal para o primeiro ato sexual foi o sentimento pelo parceiro. A quantidade de parceiros demonstrou dados dispersos, variando de 1 a 5. 99,4% conhecem algum contraceptivo e 75,9% mencionaram ter familiares de primeiro grau que tiveram filhos antes dos 20 anos. As adolescentes receberam apoio da família (85,9%), do pai do bebê (82,4%) e da família paterna (75,3%) desde o início da gestação. 75,9% ainda mantém relacionamento amoroso com o pai do bebê. 69,4% das gestações foram inesperadas e 30,6% planejadas. 72,4% adolescentes relataram ser a primeira gestação e referiram ter feito acompanhamento pré-natal com 06 consultas. 53,6% relataram ter alguma complicação durante o período da gravidez. 61,8% dos partos foram normais, 33,5% cesáreas e 4,7% abortamentos espontâneos. Prevaleceu gestações acima de 37 semanas, com peso do recém-nascido adequado com índices de APGAR entre 8 e 10. O local da primeira mamada foi no alojamento conjunto em 81,9% dos casos e cerca de 60% das adolescentes pretendem amamentar 1 ano. Sugere-se ações públicas de prevenção, por meio de orientações em unidade de saúde e educacionais, para conscientizar as adolescentes sobre as implicações da gestação em suas vidas.
Abstract: The teenage pregnancy brings biological implications, family, psychological and economic, limiting or delaying social development opportunities for those young people. It also associates the probability of maternal and fetal complications, being seen as a public health problem. The aim of the study was to analyze the epidemiology, associated factors and perinatal outcomes of pregnant adolescents. It is a transversal and descriptive study consisted of a sample of 170 adolescents hospitalized for childbirth or conducting clinical abortion, during the period from August / 2013 to May / 2014 in a municipal public hospital in Goiânia, Goiás . The adolescents were interviewed during hospitalization for collecting data on the sociodemographic profile; gynecological and sexual history; knowledge about contraceptives; family and obstetric history; data from the current pregnancy and the newborn. The average age was 17.3 years, brown, live in own home with partners 3- 4 people in residence, household income 01-03 minimum wages, with a higher percentage of income among adolescents> 16 years. 30% (> 16 years) have formal or informal employment compared to 4% ( 16 years). 45.3% of teens have not completed high school. 91 (53.5%) were studying when they became pregnant and 59 (64.8%) dropped out of school during pregnancy. The menarche occurred between 11 and 13 years and the first sexual intercourse between 14-15 years (general group and> 16 years), respectively. The group 16 years, first sexual intercourse was 13-14 years (p = 0.009). The main reason for the first sexual act was the feeling by the partner. The amount of partners showed scattered data, ranging from 1 to 5. 99.4% know a contraceptive and 75.9% reported having first-degree relatives who have had children before age 20. The teenagers received support from family (85.9%), baby's father (82.4%) and paternal family (75.3%) from the beginning of pregnancy. 75.9% are still loving relationship with the baby's father. 69.4% of pregnancies were unexpected and 30.6% planned. 72.4% adolescents reported being the first pregnancy and reported having done prenatal consultations with 06. 53.6% reported having any complications during the pregnancy period. 61.8% of births were normal, 33.5% and 4.7% cesarean spontaneous abortions. Prevailed pregnancies up to 37 weeks, weighing the appropriate newborn with APGAR rates between 8 and 10. The site of the first feeding was in rooming in 81.9% of cases and about 60% of teens plan to breastfeed 1 year. It is suggested public prevention, through guidance in health and educational unit, to educate teenagers about the implications of pregnancy in their lives.
Palavras-chave: Gravidez
Gravidez na adolescência
Perfil epidemiológico
Pré-natal
Pregnancy
Teenage pregnancy
Epidemiological profile
Pre-natal care
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PRPG)
Citação: BARBOSA, J. . Gravidez na adolescência: perfil epidemiológico, fatores predisponentes e repercussões perinatais em uma maternidade pública de Goiânia – GO. 2015. 82 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4867
Data de defesa: 9-Fev-2015
Aparece nas coleções:Mestrado Profissional em Saúde Coletiva (PRPG)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Jony Rodrigues Barbosa - 2015.pdf1,71 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons