Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5094
Tipo do documento: Tese
Título: Entretempos do corpo e da voz na escrita de artista como história: testemunho e (des)construção de representações na escritura biográfica de Estércio Marquez Cunha (Goiânia, dos anos 1965 a 2013)
Título(s) alternativo(s): The ways of the body and voice in writing history as artist: witness and (des) construction of representations in biographical writing Estércio Marquez Cunha (Goiânia , the years 1965-2013 )
Autor: Barbaresco Filho, Eduardo
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/8635256542907055
Primeiro orientador: Noronha, Márcio Pizarro
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/2875707762585409
Primeiro membro da banca: Noronha, Márcio Pizarro
Segundo membro da banca: Fuão , Fernando Delfino de Freitas
Terceiro membro da banca: Gadelha, Rosa Cristina Primo
Quarto membro da banca: Climaco, Magda de Miranda
Quinto membro da banca: Ribeiro, Luciana Gomes
Resumo: A escrita sobre a vida de um artista perpassa universos da criação que refletem lugares da memória, afetos, sensações, dimensões interpoladas e desvendadas pelo historiador na construção de uma narrativa histórico biográfica. Percorreremos aqui o justo espaço, interstício, entre música e história, tendo o compositor goiano Estércio Marquez Cunha (1941- ) como referência de se pensar essas relações, a vida e a obra (vidobra – Dosse), a escritura (Derrida) e o próprio testemunho (Ricoeur). Assim, têm-se duas vias de pesquisa: entrevistas com o compositor e fontes de dissertações, trabalhos, obras (precisamente de 1965 a 2013), fichamentos pessoais. A produção de Estércio é marcada por peças diversificadas, com formações para instrumentos solos, orquestra, coral, grupos de câmera. Seu processo de criação é fortemente interagido com outras artes, a considerar suas canções com poemas de sua autoria, ou ainda um dos gêneros de destaque, a música teatro. Todo o som, ritmo, movimento, pode tornar-se material de uma composição, desde que organizado e pensado artisticamente. Em suas peças a figura do silêncio, do tempo esticado, alargado, é marcante, com preferência por andamentos lentos, que estimulam o processo de percepção – maneira que o artista utiliza para reflexões estéticas, além da exploração timbrística, rítmica, melódica – do espaço da crítica, e o posicionamento do ser humano frente a dimensões da solidão, da angústia. Tais questões ainda são pouco estudadas na musicologia em Goiás, ou no cenário da música erudita regional, em que Estércio é referência. Várias pulsões sonoras tornam-se ecoadas numa relação temporal múltipla e sobreposta da inspiração, intenção, da escritura e performance. Com o propósito de dialogar, e desvendar, o criador nas suas narrativas sonoras, entre a obra e o discurso, constituímos um desdobramento do pensar musicológico e histórico: Estércio na história da música, suas singularidades, e exemplaridades. O intuito é inscrever e apresentar uma biografia intelectual (Dosse), uma escritura biográfica, reafirmar um momento instaurador da arte na dimensão tempo-espaço em Goiás, tendo Estércio como personagem da ação, da trama histórica, um tecido inacabado, contribuir para os estudos sobre arte/música no cenário nacional, com destaque ao grupo diretório do CNPq INTERARTES. Vida de artista e obra se coadunam na formulação de uma historiografia, com vistas às relações entre arquivos, textos, contextos, instituições e aspectos da configuração do eu, sujeito-compositor. Uma trajetória indiciária garante a análise, a interpretação, uma visão hermenêutica da estrutura em suas fraturas: o campo polifônico, que se mesclam vida e história, identidade, criação, consciência e liberdade.
Abstract: The writing about an artist’s life permeates the universes of creation that reflects places from memory, affections, sensations, dimensions that are interpolated and unveiled by the historian in the construction of a biographical history narrative. We are going to course here, the just space, interstice, between music and history, having the composer Estércio Marquez Cunha (1941 - ), from Goiás, as a reference of thinking about these relations, the life and the work (vidobra – Dosse), the deed (Derrida) and the own testimony (Ricoeur). Therefore, we have two ways of research: interviews with the composer and sources from dissertations, tasks, work (precisely from 1965 to 2013), personal book reports. Estércio’s ´ production is marked by diversified pieces, with formation to solo instruments, orchestra, choir, chamber music groups. His creation process is strongly connected with the other arts, considering his songs with poems made by himself, or yet a highlighted genre, the theater music. Every sound, rhythm, move, can become material for a composition, since it is organized and thought artistically. In his pieces the image of silence, of the extended time, broaden, is outstanding, with preference for slow tempos, that stimulate the process of perception – the way the artist utilizes for aesthetic reflections, besides the exploration of the timbre, rhythmic, melodic – from the space of the criticism, and the positioning of the human being before the dimensions of solitude, anguish. Such questions are still little studied in the musicology in Goiás, or in the regional classical music scene, where Estércio is reference. Many sound desire become reverberated in a multiple temporal relation and superimposed from inspiration, intention, from deed and performance. With the purpose to talk, and unveil, the creator in his sound narratives, between the work and the discourse, we consisted a deployment of the historical and musicological thinking: Estércio in the history of music, his singularities and exemplarities. The aim is to register and present an intellectual biography (Dosse), a biographical writing, reaffirm an establisher moment of art in time-space dimension in Goiás, having Estércio as character of the action, of the historical plot, an unfinished tissue, contribute to the studies about art/music in the national scene, highlighting the directory group of CNPq INTERARTES. The life and the work of the artist align in the formulation of a historiography, with sights to the relations between archives, texts, contexts, institutions and aspects of the configuration of I, subject-composer. An evidentiary trajectory ensures the analysis, the interpretation, an hermeneutic vision of the structure in his fractures: the polyphonic field, that life and history mix, identity, creation, consciousness and liberty.
Palavras-chave: Escritura biográfica
Estércio Marquez Cunha
Processos de criação
Biographical deed
Estércio Marquez Cunha
Creation process
Área(s) do CNPq: HISTORIA::HISTORIA DO BRASIL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de História - FH (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Historia (FH)
Citação: BARBARESCO FILHO, E. Entretempos do corpo e da voz na escrita de artista como história: testemunho e (des)construção de representações na escritura biográfica de Estércio Marquez Cunha (Goiânia, dos anos 1965 a 2013). 2015. 343. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5094
Data de defesa: 26-Jun-2015
Aparece nas coleções:Doutorado em História (FH)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Eduardo Barbaresco Filho - 2015.pdf6,98 MBAdobe PDFBaixar/Abrir
Estércio 6.JPG3,03 MBJPEGBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons