Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5156
Tipo do documento: Tese
Título: Paisagens em profusão: as poéticas contemporâneas de Angélica Freitas, Fabiano Calixto, Marília Garcia e Ricardo Domeneck
Autor: Ferro, Letícia Costa e Silva
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/0914139776006566
Primeiro orientador: Camargo, Goiandira de Fatima Ortiz de
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/3029764057965151
Primeiro membro da banca: Camargo, Goiandira de Fátima Ortiz de
Segundo membro da banca: Leone, Luciana di
Terceiro membro da banca: Cintra, Elaine Cristina
Quarto membro da banca: Felício, Goiamérico
Quinto membro da banca: Souza, Jamesson Buarque de
Resumo: A poesia brasileira, nas suas mais diversas manifestações, afiança, na contemporaneidade, a ideia de “paisagens”, avistadas profusamente, que, por não serem hegemônicas ou estáticas, ou, ainda, capitaneadas por alguma frente única de estética, carecem de percepção ao largo de uma única visada. Nesse sentido, a contribuição crítica do presente trabalho mostra-se inteiramente pretensa à combinação de alicerces crítico-teóricos os mais diversos, que, se, por um lado, e, a priori, podem ser assimilados como antagônicos, por outro, assentam-se, com pertinência nas manifestações poéticas em análise, na medida em que lançam luz na riqueza das produções dos dias atuais. Torna-se forçoso reconhecer, dessa maneira, que muitos pressupostos há tempos admitidos pelos estudiosos da literatura como peças feitas, prontas e acabadas, hoje, são discussão aberta, em constante e incessante revisão. Listar alguns desses pressupostos implica, acima de tudo, em pluralizar e dispersar os esforços de recepção da própria poesia. Isso é o que, por seu turno, justifica o fato de partirmos da noção fenomenológica de “paisagem” – chave analítica de toda a tese –, cuja definição, ao encontrar-se, inicialmente, vincada à ideia de horizonte, nos permite apropriar daquilo que vimos, sob nosso ângulo, e a fazer disso, não uma visada absoluta e irrefutável, mas uma visada de ordem particular, que seja originária, portanto, de horizonte(s) específico(s): dos poetas, em estudo, primeiramente, e, em seguida, do nosso que os identificou, reunindo-os e, ao mesmo tempo, dispersando-os. Assim, é que dilatamos a noção de paisagem para operacionalizá-la como aberta a diálogos e abordagens dispostos a encampar também configurações epistêmicas de outra ordem que não somente a filosófica (sobretudo a de domínio fenomenológico), mas a geográfica, a histórica, a sociológica etc., em proveito de uma larga compreensão do modo como vêm se afigurando, então, o cenário poético da e na atualidade. Dentre as muitas paisagens poéticas existentes, elencamos as apresentadas por quatro jovens autores, a saber: Angélica Freitas (1973- ), Fabiano Calixto (1973- ), Marília Garcia (1979- ) e Ricardo Domeneck (1977- ). À luz de suas obras, lançamo-nos à compreensão de questões concernentes ao momento presente, tais como: a relação que o poeta trava com o espaço; a forma como ele, o poeta, lida com a tradição cultural e literária e o modo como ele pensa sentindo e sente pensando tanto o mundo, as coisas ao seu redor – que o assediam e o acometem – quanto à própria escrita poética.
Abstract: The brazilian poetry, in its several manifestations, grant, in these contemporary times, the idea of "landscapes", profusely seen, that, not being hegemonic or static, or even leaded by some sort of unique aesthetical direction, have a lack of perception in the course of an only sight. According to that, the critical contribution of the current work shows itself entirely willing to match critic-theoretical tools in its various ways, which if on one hand - and a priori - can be understood as antagonistic, on the other hand, rest, pertinently, in the poetical manifestations here analyzed for they focus the richness on our days' productions. It becomes hard to recognize, thereby, that many premises, accepted by literature researchers it's been a long time, prompt and finished, are now-a-days opened debate, in constant and unceasing review. To list some of those premises implies, above it all, to pluralize and to disperse the reception's efforts of poetry itself. This is what, on its side, justifies the fact that we depart from the phenomenological notion of "landscape" - analytical key of the whole thesis -, whose definition, finding itself, initially, linked to the idea of horizon, allows us to internalize what we've seen, under our angle, and turn that, not into an absolute and irrefutable sight, but into one sight with a particular order, a sight originated, thus, on specific horizons: firstly, of the poets in study, then, of ours, that has identify them, bringing them together and, at the same time, dispersing them. It is like this that we expand the notion of landscape so we can operationalize it as opened to dialogues and approaches willing to enfold, as well, epistemic configurations of a different order other than only the philosophical one (especially the phenomenological one), but the geographic one, the historical one, the sociological one etc., with the aim of a larger understanding of the means the poetical scenario and our time are being setting the last few years. Among the many poetical landscapes we have right now, we listed the ones presented by four young authors: Angélica Freitas (1973- ), Fabiano Calixto (1973- ), Marília Garcia (1979- ) and Ricardo Domeneck (1977- ). With their works in mind, we launch ourselves into the understanding of matters related to the present moment, such as: the relation the poet engage with the space; the way she/he, the poet, deals with the cultural and literary traditions and the way she/he thinks feeling and fells thinking not just the world, the things around her/him - thing that requests and occurs to her/him -, but also the poetical writing itself.
Palavras-chave: Poesia lírica brasileira contemporânea
Paisagem
Angélica Freitas
Fabiano Calixto
Marília Garcia
Ricardo Domeneck
Contemporary lirical brazilian poetry
Landscape
Área(s) do CNPq: LETRAS::LITERATURA BRASILEIRA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: FERRO, L. C. S. Paisagens em profusão: as poéticas contemporâneas de Angélica Freitas, Fabiano Calixto, Marília Garcia e Ricardo Domeneck. 2015. 258 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5156
Data de defesa: 31-Ago-2015
Aparece nas coleções:Doutorado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Letícia Costa e Silva Ferro - 2015.pdf4,09 MBAdobe PDFThumbnail
Baixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons