Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5761
Tipo do documento: Tese
Título: Mixed Martial Arts (MMA) no Brasil: masculinidades em disputa
Título(s) alternativo(s): Mixed Martial Arts (MMA) in Brazil: Masculinities in dispute
Autor: Almeida, Sebastião Carlos Ferreira de
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/6661098324443716
Primeiro orientador: Braz, Camilo Albuquerque de
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/4883038594618199
Primeiro membro da banca: Braz, Camilo Albuquerque de
Segundo membro da banca: Amaral, Marcela Carvalho Martins
Terceiro membro da banca: Camargo, Wagner Xavier
Quarto membro da banca: Mello, Luiz
Quinto membro da banca: Bonetti, Maria Cristina de Freitas
Resumo: O presente estudo consiste em uma análise sociológica da produção de estilos de masculinidades no universo do Mixed Martial Arts (MMA), a partir de uma pesquisa de caráter etnográfico realizada junto a um grupo de praticantes de lutas corporais na cidade de Goiânia-GO. Aponta, assim, para a pertinência do consumo e para a interferência do mercado na construção de certo repertório simbólico sobre masculinidades tidas como essenciais e/ou primordiais, discutindo como os sujeitos apropriam-se e corporificam tal imaginário em meio a tensões, ambivalências e disputas. O texto está organizado em cinco capítulos. No primeiro, discorro sobre a problemática das lutas corporais e das artes marciais enquanto tradição inventada utilizada, enquanto peça orientalista, na conformação de comunidades imaginadas. No segundo, abordo o surgimento do MMA a partir do Ultimate Fighting Championship (UFC), focando aspectos históricos e sociológicos que participam da economia simbólica dentro da qual se instalam discursos e retóricas viris importantes para agentes envolvidos com a dinâmica da masculinidade em questão. O terceiro capítulo traz reflexões a respeito de códigos implícitos à expressão de masculinidades no universo de lutadores onde foi realizada a pesquisa de campo, realçando o manejo de signos associados às relações de gênero com a produção de estilos relevadores de habitus de lutadores. Desenvolvo discussões sobre uma apropriação do discurso da ordem e da disciplina por parte dos colaboradores no quarto capítulo, no sentido de apontar como interações com mulheres e outras masculinidades sofrem a influência de disposições conservadoras; e o quanto tal dinâmica é responsável pela produção de conflitos nesse universo. O quinto capítulo aborda a questão das biografias de lutadores emblemáticos em diversos níveis da topologia do campo constituído por lutadores e mediadores que participam do mercado de bens culturais em torno do MMA e do UFC. Postulo que a luta de que se lançou mão para as reflexões sobre masculinidades nesse estudo realça a tensão em torno da sexualidade, de questões relacionadas à família e ao trabalho; e antes de significar uma desportivização, indica um acirramento do processo civilizatório, na medida em que permite a fruição de um descontrole controlado das emoções e evidencia ferramentas de controle social. A valorização de instituições tradicionais como a família e a heterossexualidade, bem como a possibilidade de ascensão social através do MMA, exigem de lutadores um auto sacrifício que reinstala no cenário contemporâneo a perspectiva da ascese individual como recurso para o sucesso. Este processo permite inferir que dinâmicas e retóricas de mercado (re)produzem estilos de masculinidades tidos como “não corrompidos” pela modernidade, sendo tais elementos apropriados por agentes interessados no capital simbólico que lhes é inerente sob a forma de disputas por hegemonia. Palavras-chave: Mixed Martial Arts; masculinidades; descontrole controlado; comunidades imaginadas; mercado de bens simbólicos.
Abstract: The following study consists in a sociological analysis about the production of manhood styles in the universe of Mixed Martial Arts (MMA), from an ethnographic research made with a group of physical fight practitioners in the city named Goiânia-GO. Thus, it points out to the relevance of consumption and the interference of the market in the construction of some symbolic repertoire about manhood seen as essentials and/or primordials, discussing how the subjects seize and embody such an imaginary thing amidst stress, ambivalences and disputes. The document is organized into five chapters. In the first, I talk about the questionable utilization of physical fights and martial arts as an invented tradition, as an orientalist play, in the configuration of imaginary communities. In the second, I talk about the appearance of MMA coming from the Ultimate Fighting Championship (UFC), giving focus to historical and sociological aspects that takes part in the symbolic economy in which establishes some manly speeches that are important for involved agents with the dynamic of manhoods in question. The third chapter brings thoughts about implied codes to the expression of manhoods in the universe of fighters where it was realized the field research, emphasizing the usage of signs associated to the genre relations with the production of relevant styles of the habitus of fighters. I develop discussions about the acceptance of the speech of order and the discipline of the contributors in the fourth chapter, in order to determine how interactions with women and other manhoods go through the influence of conservative opinion; and how much this dynamic is responsible for the creation of conflicts in this universe. The fifth chapter talks about the biographies of iconic fighters in several levels of the field topology embodied by fighters and referees that take part of the cultural goods market around MMA and UFC. So I posit that the fight that brought the thoughts about manhoods in this study highlights the stress around the sexuality, of questions related to family and to work; and before it means a sportivization, it indicates an intense civilizing process, as it allows the fruition an uncontrolled control of the emotions and makes evident tools of social control. The respect and affection of traditional institutes like family and heterosexuality, like the possibility of social ascension through MMA, require from the fighters a self-sacrifice that reinstalls in the contemporaneous scenario the perspective of the individual discipline as a resource to the success. This process allow us to imply that dynamics and rhetoric of market (re)products styles of manhoods seen as “non corruptible” by the present day, such elements being appropriate by interested agents in the symbolic capital that is inherent in the form of disputes for hegemony. Keywords: Mixed Martial Arts, manhoods; uncontrolled control; imaginary communities; market of symbolic goods.
Palavras-chave: Mixed Martial Arts
Masculinidades
Descontrole controlado
Comunidades imaginadas
Mercado de bens simbólicos
Mixed Martial Arts
Manhoods
Uncontrolled control
Imaginary communities
Market of symbolic goods
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais - FCS (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Sociologia (FCS)
Citação: ALMEIDA, Sebastião C. F. de. Mixed Martial Arts (MMA) no Brasil: masculinidades em disputa. 2016. 440 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5761
Data de defesa: 10-Jun-2016
Aparece nas coleções:Doutorado em Sociologia (FCS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Sebastião Carlos Ferreira de Almeida - 2016.pdf4,6 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons