Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5855
Tipo do documento: Tese
Título: Aspectos culturais da e na fala-em-interação: análise da conversa etnometodológica aplicada à aula de espanhol como língua estrangeira
Título(s) alternativo(s): Aspectos culturales de la y en la interacción hablada: análisis de la conversa etnometodológica aplicada a la clase de español como lengua extranjera
Autor: Álvares, Margarida Rosa
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/1611482513157780
Primeiro orientador: Ferreira, Maria Cristina Faria Dalacorte
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/9262323548559269
Primeiro membro da banca: Ferreira, Maria Cristina Faria Dalacorte
Segundo membro da banca: Preuss, Elena Ortiz
Terceiro membro da banca: Sousa Filho, Sinval Martins de
Quarto membro da banca: Oliveira, Hélvio Frank de
Quinto membro da banca: Romero, Tânia Regina de Souza
Resumo: Apresentamos, nesta tese, uma análise dos aspectos culturais que fazem parte da fala-em-interação pelo viés da Análise da Conversa Etnometodológica (ACE). Este estudo se justifica pela constatação, a partir de leituras realizadas, que há, ainda, um espaço a ser explorado sobre questões relacionadas à fala-em-interação institucional (DEL CORONA, 2009) e, em geral, à oralidade em língua espanhola. A análise se centra em aspectos que fazem parte da fala-em-interação, ou seja, da própria oralidade, como a tomada de turnos, a organização o reparo e o revozeamento (CONCEIÇÃO e GARCEZ, 2005); também enfoca aspectos na fala-em-interação, como a construção da intersubjetividade e da reflexividade (BULLA, 2007; GARCEZ, 2008). A partir disso, observamos o processo interacional na sala de aula de língua espanhola. A pesquisa contou com dados que foram gerados em contexto de sala de aula de espanhol em um curso de graduação em Letras: Espanhol de uma universidade pública goiana, com um grupo de treze participantes. As análises de dados se fundamentam, principalmente, em duas aulas as quais foram integralmente transcritas, conforme o modelo Jefferson (LODER, 2008). Além disso, também foram consideradas informações obtidas em entrevista, notas de campo e questionários de modo a permitir a triangulação dos dados. A exposição da análise segue duas grandes categorias: os aspectos culturais da fala-em-interação e os aspectos culturais na fala-em-interação. Os resultados apontam para um entendimento de que com relação ao turno de fala (tomada, manutenção e sucessão), as participantes ao interagirem na língua estrangeira tendem a manter a estrutura presente em sua língua materna, preferindo que o turno seja cedido a tomá-lo em uma discussão. Sobre a questão do reparo percebemos que os reparos iniciados e levados a cabo por outro são preferíveis e isso se dá porque a interação ocorre em um contexto institucional. No que concerne ao revozeamento, identificamos evidências de que propiciar um espaço revozeado nem sempre garante que a interação ocorra de maneira fluida porque a tendência da professora era de manter o turno por mais tempo, provavelmente por entender que é papel do professor preencher os silêncios com turnos de fala, especialmente quando não há auto seleção por parte das demais participantes. No entanto, os resultados revelam que a sala revozeada permite uma formação crítica e o fomento da autonomia e houve uma mudança no que se refere à troca de turnos na segunda aula em que percebemos um maior equilíbrio. A intersubjetividade ou o entendimento compartilhado e a reflexividade, capacidade de refletir sobre o que está sendo compartilhado, são observadas ao longo da nossa análise, através da estruturação dos turnos de fala e das realizações de reparo, que estão a serviço da manutenção da intersubjetividade e, consequentemente, da reflexividade sobre os aspectos culturais.
Abstract: The thesis herein presents an analysis of the cultural aspects that are part of talk-in-interaction through Ethnomethodology/Conversation Analysis (EM/CA). This study is aimed at analyzing talk-in-interaction within an institutional environment (DEL CORONA, 2009). Through readings, it was observed that there is still field yet to be explored related to it and, in general, concerning speaking in Spanish. The analysis focuses on aspects, which are part of talk-in-interaction, that is, of speaking itself, such as turn-takings, organization, repairs and revoicing (CONCEIÇÃO and GARCEZ, 2005). Additionally, the analysis focuses on talk-in-interaction such as the construction of intersubjectivity and reflexivity (BULLA , 2007; GARCEZ , 2008). Based on that, the interactional process was observed in a Spanish language classroom of a public university (Goiás, Brazil). The research included data that was generated in this Spanish classroom context in an undergraduate degree classroom in Languages: Spanish with a group of thirteen participants. The data analysis is based mainly in two classes which were fully transcribed according to Jefferson´s Model (LODER , 2008). Besides, information gathered in interviews, fieldnotes and questionnaires were also considered to enable the triangulation of data. The presentation of the analysis follows two broad categories: the cultural aspects of talk-in-interaction as well as the cultural aspects in talk-in-interaction. In relation to turn-taking (turn-taking itself, turn-construction/turn-holding, turn-allocation/relinquishing), the results point to an understanding that, when interacting in the target language, the participants tend to maintain their mother tongue structure preferring that their turn is given rather than taken. On the issue of repairs, it is seen that other-initiated other-repair are preferred and this is because the interaction takes place in an institutional context. Regarding the revoicing, evidence shows that providing a revoicing setting does not always guarantee that the interaction occurs fluidly because the tendency of the teacher was to keep the turn longer. That probably happened as she understood that it is the teacher's role to fill in the silences with her own turns, especially when there is no volunteering by any other participants. However, the results show that the revoiced classroom allows critical training and the promotion of autonomy. The results also show that there was a change concerning turn-taking in the second class which was better balanced. Intersubjectivity (or shared understanding) and reflexivity (or the ability to reflect on what is being shared) are observed throughout the analysis by structuring the turn-takings and repair achievements. These ones are in the service of maintaining the intersubjectivity and, consequently, the reflexivity on the cultural aspects.
Palavras-chave: Cultura
Intersubjetividade
Reflexividade
Turno
Revozeamento
Cultura
Intersubjetividad
Reflexividad
Turno
Re-expresar
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: ÁLVARES, M. R. Aspectos culturais da e na fala-em-interação: análise da conversa etnometodológica aplicada à aula de espanhol como língua estrangeira. 2016. 215 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5855
Data de defesa: 24-Jun-2016
Aparece nas coleções:Doutorado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Margarida Rosa Álvares - 2016.pdf1,98 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons