Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5937
Tipo do documento: Dissertação
Título: A constituição de identidades em pronunciamentos de posse presidencial: o eu enunciador e o povo brasileiro
Título(s) alternativo(s): The identities in the presidential inaugural statement: the enunciator and the brazilian people
Autor: Araújo, Annyelle de Santana
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/8311453659585142
Primeiro orientador: Paniago, Maria de Lourdes Faria dos Santos
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/8997183290450687
Primeiro membro da banca: Paniago, Maria de Lourdes Faria dos Santos
Segundo membro da banca: Passetti, Maria Célia Cortêz
Terceiro membro da banca: Fernandes, Eliane Marquez da Fonseca
Resumo: Pensar nos enunciados é pensar naquilo que foi efetivamente dito. Os enunciados ocupam um lugar que só pertence a eles e exclui todas as outras possibilidades. E ainda são capazes de constituir muitas coisas, inclusive identidades. Neste trabalho, analisamos como os enunciados que formam os pronunciamentos de posse presidencial constituem identidades tanto do eu enunciador (o sujeito que ocupa no momento da enunciação a posição-presidente da República) quanto do povo brasileiro. Para a análise selecionamos dois momentos da história brasileira: a Ditadura Militar e a Pós-ditadura. Do primeiro momento, selecionamos dois pronunciamentos de posse: Castello Branco (1964), por ser o primeiro militar nomeado a presidente e João Baptista Figueiredo (1979) por ser o último general a assumir a posição no período, ou seja, selecionamos a abertura e o fechamento do militarismo. Do segundo momento selecionamos três pronunciamentos: Fernando Collor (1990) por ter sido o primeiro presidente eleito pelo voto direto após o fim da Ditadura, Lula (2003) por representar a primeira vez que o seu partido elegeu um candidato à função e pelo apelo social que sempre teve e Dilma Rousseff (2011) por ter sido a primeira mulher eleita à Presidência e significar uma continuidade do governo anterior. Para fazermos estas análises identitárias, partimos das noções propostas por Michel Foucault e da noção de identidade de Bauman. Trabalhamos com a hipótese de que o eu enunciador ao proferir o seu pronunciamento lança identidades que são fundamentais para a manutenção do Biopoder e é justamente isso que identificamos. Cada um dos pronunciamentos constitui identidades diferentes (embora tenhamos encontrado algumas regularidades, como a exaltação de aspectos positivos e negativos) que são reflexos das emergências da sociedade naquele momento sócio-histórico e funcionam como uma garantia da boa execução das propostas de governo.
Abstract: Thinking about the statements is to think about what has been actually said. The statements occupy a place which only belongs to them and exclude all the other possibilities. And they are still capable to constitute many things, including identities. In this assignment, we analyzed how the statements which form the presidential inauguration speeches constitute identities as of the enunciator (the one who occupies, in the moment of the statement, the position – President of the Republic) as of the Brazilian people. For the analyses, we selected two Brazilian historical moments: Military Dictatorship and after-dictatorship. From the first moment, we selected two inauguration statements : Castello Branco (1964), for being the first military to be appointed to president and João Batista Figueiredo (1979) for being the last general who assumed the position in the period, in other words, we selected the beginning and the ending of the militarism. From the second moment we selected three statements: Fernando Collor (1990) for having been the first president elected by the direct vote after the dictatorship, Lula (2003) who represents the first time his party elected a candidate to the function and because of the social claim which he always had and Dilma Rousseff (2011) for having been the first woman elected to the presidency and because she represented the continuation of the last government. For we do these identity analysis, we started from the notion proposed by Michel Foucault and from the notion of identity of Bauman. We worked with the hypothesis that the enunciator when saying his statement launches identities which are fundamental for the maintenance of the Biopower and this is just what we identified. Each one of the statements constitute different identities (although we have found some irregularities like the exaltation of positive and negative aspects) which are reflexes of the emergencies of the society in that social-historical moment and they work as a warranty of the good execution of the proposals of the government.
Palavras-chave: Análise do discurso
Pronunciamentos de posse presidencial
Biopoder
Identidade
Identidade nacional
Discourse analysis
Presidential inaugural satement
Biopower
Identity
National identity
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: ARAÚJO, Annyelle de Santana. A constituição de identidades em pronunciamentos de posse presidencial: o eu enunciador e o povo brasileiro. 2015. 159 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/5937
Data de defesa: 8-Mai-2015
Aparece nas coleções:Mestrado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Annyelle de Santana Araújo - 2015.pdf7,93 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons