Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6105
Tipo do documento: Dissertação
Título: Poesia e Crônica em Cora Coralina
Título(s) alternativo(s): Poetry and chronicle in the work of of Cora Coralina
Autor: Andrade, Ludmila Santos
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/8575001868753218
Primeiro orientador: Yokozawa, Solange Fiuza Cardoso
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/5485415308754463
Primeiro membro da banca: Yokozawa, Solange Fiuza Cardoso
Segundo membro da banca: Santos, Regma Maria dos
Terceiro membro da banca: Camargo, Flávio Pereira
Resumo: Conhecida nacionalmente como poetisa, Cora Coralina iniciou-se na vida literária como cronista, funcionando o gênero jornalístico como uma espécie de laboratório para o aperfeiçoamento de sua escrita, para a aquisição de um estilo. Apenas tardiamente a escritora iniciou-se na escrita em versos, por meio de poemas ancorados na experiência, na observação, na memória. À escrita em versos ela incorporou sua verve de cronista, seu olhar atento às insignificâncias do cotidiano, às vidas obscuras, de modo que seus poemas constituem também autênticas crônicas de um Goiás, de um Brasil imperial, recém republicano. Partindo disso, proponho, nesta pesquisa abordar a obra de Cora Coralina, de modo a trazer para o cenário das discussões de sua obra o seu trabalho de escrita em crônicas, bem como apontar como os princípios fundadores do fazer cronístico estão intrinsecamente ligados e evidentes em sua obra poética. Trata-se de uma pesquisa documental e bibliográfica realizada a partir da relação entre as teorias literárias e o texto literário. Para o desenvolvimento desta pesquisa, a estruturamos em dois capítulos. No primeiro, com o objetivo de evidenciar como Cora Coralina praticava o gênero crônica acompanharemos, as crônicas Solidão, e Coisas de São Paulo, e por último o poema Beco de Vila Rica examinando-os para apontar as diferentes fases em sua escrita. Para acompanhar essas fases cotejamos esses textos procurando evidenciar as diferenças entre a sua obra inicial e a obra da maturidade, bem como o modo como a poetisa incorpora em seus poemas a experiência de cronista. Ainda neste capítulo, indicamos que a incursão de Cora Coralina na poesia está também relacionada à leitura que ela empreendeu com relação ao Modernismo brasileiro. Para examinar como a poesia de dimensão cronística de Cora Coralina se relaciona com o Modernismo, observamos a confluência entre a sua obra e a de outros poetas modernistas brasileiros como Manuel Bandeira e Mario Quintana. No segundo capítulo apontamos que a poética de Cora Coralina está intimamente ligada à cidade de Goiás e que isso acontece devido a uma cronicização de sua cidade e de seu tempo. Para a examinar a dimensão cronística na obra da autora foram escolhidos os poemas: “Minha cidade”; “Moinho do tempo”; “Antiguidades”; “Escola de mestre Silvina” e “Coisas de Goiás: Maria”. A partir desses poemas verificamos aspectos como o processo de imbricamento entre a poetisa e a cidade, o registro de fatos históricos e das minúcias silenciadas da cidade de Goiás, bem como os métodos educacionais, e ainda observamos a aproximação da sua poesia aos fatos miúdos, representando o cotidiano ao rés-do-chão, a história e os habitantes de Goiás. Assim consideramos que os poemas coralineanos compõem verdadeiras crônicas da sociedade vilaboense conferindo a sua poesia ares de crônicas de Goiás e do povo excêntrico daquela cidade.
Abstract: Known nationally as a poet, Cora Coralina started her life in literature with chronicle stories, using the journalism genre as a type of laboratory to perfect her writing, acquiring her own style. Only later she began writing in verses, through poems anchored in her experience, observation and memory. She incorporated her chronicle verve into her verses, and was always paying attention to the obscure and everyday life, in a way that her poems also constitute authentic chronicles, not only from Goiás, but from the Imperial Brazil, recently turned into a republic. From that, I propose in this paper to approach the work of Cora Coralina, with the purpose to bring to light her work in writing chronicles, as well as point out how the founding principles of the making of a chronicle are intrinsically and evidently connected to her poetic work. It is a documental and bibliographic research, made from the relation between the literary theories and her own literary text. In order to develop this research, the paper was structured into two chapters. In the first, with the goal of shedding light into how Cora Coralina practiced the genre of chronicles, we will look into the works Solidão, and Coisas de São Paulo, and lastly the poem Beco de Vila Rica, examining them to point out the different phases in her writing. In order to follow these phases, we collated these texts looking to evince the differences between her initial work and the work of her maturity, as well as the manner in which the poet incorporates into her poems the chronicle experience. In this chapter, we also indicate that the incursion of Cora Coralina into poetry is related to the readings that she had related to the Brazilian Modernismo movement. In order to examine how does Cora Coralina’s chronicle poetry relates to Modernismo, we observe the confluence between her work and that of other Brazilian poets from the same time, such as Manuel Bandeira and Mario Quintana. In the second chapter, we show that her poetry in intimately connected to the city of Goiás, and that it happens due to a process that chronicizes her city and her time. To make that analysis, we chose the poems: “Minha cidade”; “Moinho do tempo”; “Antiguidades”; “Escola de mestre Silvina” e “Coisas de Goiás: Maria”. From these poems we verified aspects such as the process of interweaving between the poet and the city, the record of historical facts and of the silent proceedings of the city of Goiás, as well as the educational methods, and still observe the approximation of her poetry to the small facts, representing the daily, the history and the inhabitants of Goiás. Therefore, we consider that the poems from Coralina make up true chronicles of the vilaboense society, the city of Goiás and the eccentric people from that city.
Palavras-chave: Cora Coralina
Poesia
Crônica
Modernismo
Dimensão cronística
Cora Coralina
Poetry
Chronicle
Modernism
Chronicle dimension
Área(s) do CNPq: LETRAS::LITERATURA BRASILEIRA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Letras - FL (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (FL)
Citação: ANDRADE, L. S. Poesia e Crônica em Cora Coralina. 2016. 130 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6105
Data de defesa: 31-Ago-2016
Aparece nas coleções:Mestrado em Letras e Linguística (FL)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Ludmila Santos Andrade - 2016.pdf1,26 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons