Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6208
Tipo do documento: Tese
Título: Sociedade carioca dezenovesca - o negro-cativo, o negro-alforriado e o negro-abandonado no realismo machadiano (1881-1908)
Título(s) alternativo(s): Carioca society in the nineteenth century: slaved african, freed african, abandoned african in the realism of Machado de Assis (1881-1908)
Autor: Vilarinho, Murilo Chaves
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/5577610922123576
Primeiro orientador: Rabelo, Francisco Evangelista Chagas
Currículo Lattes do primeiro orientador: http://lattes.cnpq.br/3994475259808096
Resumo: A presente tese propõe-se a estudar sobre o negro no contexto social carioca do Segundo Reinado (1840- 1889), bem como no da primeira década da República Velha. Essa cronologia possibilita pensar o negro por meio de três momentos sociais específicos: em primeiro lugar, o negro era a força de trabalho que conformava o sistema agroexportador brasileiro e objeto de que se dispunha o senhor branco o qual o oprimia cotidianamente. Desse modo, os cativos, dessa ordem, conformam o primeiro momento social o qual, segundo essa tese, finaliza-se em 1888, quando a escravidão foi abolida. Em segundo lugar, uma vez que os escravos foram alforriados pelo Estado imperial, eles tornaram-se negros apenas. Esses evidentemente se libertaram dos grilhões e da chibata, no entanto continuaram sob os auspícios do sistema imperial até o advento da Proclamação da República em 1889. Os negros- alforriados, nessa ordem, conformam o segundo momento social, chamado de interregno por essa tese. Em último lugar, o antigo escravo, agora experienciando a condição de alforriado, não foi inserido na sociedade moderna de classes que se estruturava, após a Proclamação de 1889. Esse foi abandonado à própria sorte. Evidentemente, a República Velha não o amparou, o qual continuou “cativo” de uma sociedade cujas estruturas arcaicas da escravidão permaneceram irremovíveis da mentalidade e do cotidiano da população. Os negros dessa ordem consubstanciam o terceiro momento social. No que concerne à vida do negro- cativo, do negro- alforriado e do negro- abandonado na sociedade carioca imperial e na republicana, verifica-se que a literatura importantemente contribui para o conhecimento desses tipos sociais, haja vista que a compreensão hermenêutica de Ricoeur considera que o texto literário pode revelar aspectos essenciais da realidade, do ter-sido. Essa perspectiva da Sociologia da Literatura confirma que os escritos de uma época podem ser fontes de memória importantes para o entendimento de relações sociais que foram respaldadas por contextos passados. Nesse sentido, constata-se que a literatura realista de Machado de Assis, um dos cânones da literatura nacional, pode revelar perspectivas significantes sobre o contexto social do Brasil imperial e do republicano. Essa produção, composta por romances, por crônicas, por contos, evidencia os contextos da sociedade, da política, da cultura, do Brasil dezenovesco imperial e do da primeira década republicana. Nesse sentido, observa-se que a literatura pode subsidiar a compreensão sobre a vida em sociedade, considerando-se seus vários aspectos, ontem e hodiernamente. Em face desse entendimento, essa tese busca analisar a representação dos tipos sociais negro-cativo, negro-alforriado e negro-abandonado, os quais fizeram parte tanto da sociedade imperial quanto da republicana, por intermédio de escritos realistas de Machado de Assis (1881 -1908).
Abstract: This thesis seeks to study about African slave in Rio social context in the Second Empire (1840-1889), and during the first decade of the Old Republic. This chronology seeks to think the African descendant through three specific social moments: firstly, when slave was the workforce that moved the Brazilian agricultural export system. Furthermore, he was considered an object by master, who punished it daily. In this way, slave, who experienced that context, was part of the first social moment, which, according to this thesis, ended in 1888, when there was Abolition. Secondly, since the slaves were freed by imperial state, became Africans solely. In fact, these were freed from their shackles and whip. However, they continued under the auspices of the imperial system until the advent of the Republic Proclamation in 1889. Free slaves experienced this second social moment, which was called the interregnum by this thesis. Finally, the former slave, now experiencing the condition of African descendant emancipated, was not inserted inside modern class society that was structured after the Proclamation in 1889. This individual was left alone. Indeed, the Old Republic not caught him, who continued being a "captive" person in a society where the slavery essence remained in terms of mentality of the population. African descendant who were part in context formed the third social moment. With regard to the life of the captive African, the freed African, and the African abandoned in the imperial society and Republican of Rio de Janeiro, it is believed that Literature contributes to understanding of social types, given that the hermeneutic understanding of Ricoeur claims that fiction can reveal essential aspects of reality. This sociological perspective, rooted in literature, confirms that the writings that were produced in some time ago can be important memory sources for understanding the social relations that were supported by past context. In this sense, it is believed that the realist literature in Machado de Assis, one of the canons of national literature, is able to reveal significant insights about the social context of imperial and republican Brazil. The realist literature in Machado de Assis, comprising novels, chronic, tales, shows us the social, political, cultural contexts in nineteenth-century imperial Brazil and during the first republican decade. In this sense, it is observed that literature can support the understanding about social life in its various aspects, yesterday and contemporarily. Taking this understanding into account, this thesis seeks to analyze the representation of social types represented through captive, freed, and abandoned Africans, which are part in realistic writes by Machado de Assis (1881 -1908).
Palavras-chave: Sociedade carioca dezenovesca
Machado de Assis
Negro-cativo
Negro-alforriado
Negro-abandonado
Carioca Society in the nineteenth century
Slaved african
Freed african
Abandoned african
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais - FCS (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Sociologia (FCS)
Citação: VILARINHO, M. C. Sociedade carioca dezenovesca - o negro-cativo, o negro-alforriado e o negro-abandonado no realismo machadiano (1881-1908). 2015. 383 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6208
Data de defesa: 22-Jun-2015
Aparece nas coleções:Doutorado em Sociologia (FCS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Murilo Chaves Vilarinho - 2015.pdf8,15 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons