Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6286
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorBorges, Angela Beatriz de Lima-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/1332905290544926por
dc.contributor.advisor1Lacerda Júnior, Fernando-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0864307656064852por
dc.contributor.referee1Lacerda Júnior, Fernando-
dc.contributor.referee2Oliveira, Isabel Maria Fernandes de-
dc.contributor.referee3Boechat, Filipe Milagres-
dc.date.accessioned2016-09-27T14:49:14Z-
dc.date.issued2016-08-22-
dc.identifier.citationBORGES, Angela Beatriz de Lima. A inserção da(o) psicóloga(o) na política de sssistência social – contradições, desafios e limites. 2016. 134 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6286-
dc.description.resumoA inserção da Psicologia na Política Nacional de Assistência Social é recente. Em 2004, a(o) psicóloga(o) passa a compor a equipe técnica de referência na Assistência Social junto a outros profissionais. A atuação das(os) psicólogas(os) nessa política pública tem como um de seus desafios superar práticas e modelos tradicionais da Psicologia. O presente trabalho tem por objetivo problematizar a atuação das psicólogas nos Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), analisando o processo de inserção nesse espaço e as concepções e práticas desenvolvidas por profissionais em um município de Goiás. Teve como objetivos específicos: a identificação de referenciais teórico-metodológicos no trabalho das psicólogas; analisar se a formação profissional das psicólogas é uma mediação importante na sua prática profissional; identificar quais práticas da Psicologia são desenvolvidas nos CRAS; e refletir se levam em conta as diretrizes teórico-metodológicas da PNAS e/ou demandas sociais. A fundamentação teórica problematizou a relação entre política social e “questão social”, a história das políticas de Assistência Social e o processo de inserção da Psicologia na Assistência Social após a regulamentação da profissão em 1962. Foi realizada uma pesquisa qualitativa em que seis psicólogas foram entrevistadas. Para as entrevistas foi utilizado um roteiro semi-estruturado com a finalidade de explorar os objetivos propostos nesta pesquisa. A análise de conteúdo possibilitou a discussão dos seguintes resultados: atuação predominantemente tecnicista e focada em atendimentos individualizados; desenvolvimento de atividades coletivas desconsiderando “questões sociais” do território do CRAS; formação acadêmica e complementar deficitária para o trabalho nos CRAS; referenciais teórico-metodológicos se restringido às normativas e aos documentos do SUAS; dificuldades relacionadas com as condições de trabalho das psicólogas (falta de concurso público, falta de equipamentos e estrutura física adequada); aposta das psicólogas no processo de transformação da realidade das famílias atendidas por meio do trabalho da Psicologia desenvolvido nos CRAS. Esses resultados podem contribuir na reflexão crítica sobre os limites e as possibilidades para uma relação entre Psicologia e Assistência Social que contribua com os esforços por emancipação.por
dc.description.abstractThe participation of Psychology in the National Policy of Social Assistance is a contemporary phenomenon. In 2004, the psychologist became part of the technical team necessary to develop Social Work. One of the main challenges for psychologists who work with public policies is to overcome conservative traditional practices in Psychology. This dissertation discusses the role of psychologists in the Social Assistance Reference Center (CRAS), analyzing how psychologists started to participate in this space and which assumptions and practices are applied in this space. The specific objectives of this study were: to identify the theoretical-methodological guides the work of psychologists inserted in the CRAS; examine whether the training of psychologists is an important mediation in their professional practice; to identify which psychological practices are developed in the CRAS; and to reflect if psychologists take into account the theoretical and methodological guidelines of PNAS and/or social demands. The theoretical foundations of this dissertation approached the relationship between social policy and "social issues", the history of social assistance policies and the process of integration of psychologists into it after the creation of the profession in 1962. A qualitative research was conducted with six psychologists being interviewed about their ideas and practices. For the interviews it was applied a semi-structured guide in order to explore the objectives of this research. Content analysis resulted in the following issues: a technicist psychological practice which focus only individual issues; development of collective activities excluding a critical approach over "social issues"; psychological training that is unable to tackle the demands necessary to work inside a CRAS; theoretical and methodological references are restricted to regulatory and official documents; working conditions of psychologists (lack of public tender, lack of equipment and adequate physical infrastructure); hope of the psychologists in the process of social transformation of the reality related to the work with families inside the CRAS. These results can contribute to critical reflection on the limits and possibilities that emanate from the relationship between Psychology and Social Assistance and on how this relationship can contribute to the efforts for emancipation.eng
dc.description.provenanceSubmitted by Luciana Ferreira (lucgeral@gmail.com) on 2016-09-27T14:49:02Z No. of bitstreams: 2 Dissertação - Angela Beatriz de Lima Borges - 2016.pdf: 1439570 bytes, checksum: 22417344d2d3e4e937153fffb0048432 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5)eng
dc.description.provenanceApproved for entry into archive by Luciana Ferreira (lucgeral@gmail.com) on 2016-09-27T14:49:14Z (GMT) No. of bitstreams: 2 Dissertação - Angela Beatriz de Lima Borges - 2016.pdf: 1439570 bytes, checksum: 22417344d2d3e4e937153fffb0048432 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2016-09-27T14:49:14Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Dissertação - Angela Beatriz de Lima Borges - 2016.pdf: 1439570 bytes, checksum: 22417344d2d3e4e937153fffb0048432 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Previous issue date: 2016-08-22eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Goiáspor
dc.publisher.departmentFaculdade de Educação - FE (RG)por
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFGpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-graduação em Psicologia (FE)por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/-
dc.subjectPsicologiapor
dc.subjectAssistência socialpor
dc.subjectQuestão socialpor
dc.subjectPolítica socialpor
dc.subjectPsychologyeng
dc.subjectSocial assistanceeng
dc.subjectPublic policieseng
dc.subjectSocial issueseng
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApor
dc.titleA inserção da(o) psicóloga(o) na política de sssistência social – contradições, desafios e limitespor
dc.title.alternativeThe Insertion of the psychologist in social assistance policy – contradictions, challenges and limitspor
dc.typeDissertaçãopor
Aparece nas coleções:Mestrado em Psicologia (FE)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Angela Beatriz de Lima Borges - 2016.pdf1,41 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons