Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6353
Tipo do documento: Tese
Título: A desigualdade no “topo”: estratificação racial e o efeito da “cor” sobre os rendimentos de empregadores negros e brancos no Brasil
Título(s) alternativo(s): Inequality at the "top": racial stratification and the effect of "color" on the income of black and white employers in Brazil
Autor: Santos, Neville Julio de Vilasboas e
Currículo Lattes do Autor: http://lattes.cnpq.br/8905499707931816
Primeiro orientador: Nunes, Jordão Horta
Primeiro membro da banca: Nunes, Jordão Horta
Segundo membro da banca: Lima, Márcia
Terceiro membro da banca: Fernandes, Danielle Cireno
Quarto membro da banca: Santos, Cleito Pereira dos
Quinto membro da banca: Oliveira, Dijaci David de
Resumo: Esta tese toma o grupo dos/as empregadores/as no Brasil como objeto de análise quantitativa, utilizando os dados da PNAD de 2014. As teorias marxistas mais tradicionais atribuiriam aos/as empregadores/as, em razão de sua posição no conflito entre capital e trabalho, uma posição situada nos estratos de remuneração mais alta. No entanto, há desníveis de rendimentos entre brancos/as e negros/as e preponderância destes/as últimos/as em setores menos privilegiados da economia, em ocupações com alto índice de informalidade, em empreendimentos que geralmente empregam poucos trabalhadores e cuja estabilidade tende a ser menor. Seguindo o interesse recente das ciências sociais em investigar a dinâmica das desigualdades raciais em estratos sociais mais elevados, esta tese tem por objetivo investigar o “efeito da cor”, consideradas outras variáveis intervenientes, sobre os rendimentos de empregadores/as negros/as comparados aos/as de empregadores/as brancos/as. Após contextualização histórica e teórica da problemática das desigualdades raciais no Brasil e a apresentação do perfil dos/as empregadores/as, é utilizada a técnica de regressão logística para analisar as desigualdades raciais na composição do grupo empregador, mostrando que, controladas variáveis influentes, negros/as têm menores chances de fazer parte deste grupo. Em seguida, com base na discussão teórica sobre a relação entre desigualdade racial, classe e rendimento, é efetuada, como tarefa central da tese, a análise das desigualdades de rendimentos entre empregadores/as negros/as e brancos/as. Lançando mão do modelo de decomposição Oaxaca-Blinder, foi possível constatar a desigualdade significativa nos rendimentos médios, enquanto que, com uma extensão do modelo anterior proposta por Juhn, Murphy e Pierce (1993), concluiu-se que a desigualdade de rendimentos entre negros e brancos, para além da média, apresenta um incremento significativo ao longo da distribuição, sendo muito elevada nos estratos mais altos. Descontado o efeito marcante da educação, concluiu-se que o efeito da cor (efeito da discriminação racial) é decisivo e aumenta ao longo da distribuição de rendimentos.
Abstract: This thesis takes the group of employers in Brazil as an object for quantitative analysis, using data from the National Household Survey. The most traditional Marxist theories ascribe to employers, due to its position in capital-labour struggle, a location in high income strata. However, prevails a income gap between white and black workers, with preponderance of the latter group in less privileged economy sectors, in occupations with high informality rate and in enterprises that typically employ fewer workers and whose stability tends to be lower. Following the recent social sciences interest to analyse the dynamics of racial inequality in higher social strata, this thesis aims to investigate the "color effect", considering other intervening variables, on black and white employers’ income. A logistic regression method follows a historical and theoretical contextualization of the problem of racial inequalities in Brazil and the presentation of the profile of employers, to analyze the racial inequalities in the composition of the employer group, showing that controlled influential variables, blacks are less likely to be part of that group. A central task in this thesis is the analysis of income inequality between black and white employers, based on a theoretical discussion of the rapport between racial inequality, class and income. A Oaxaca-Blinder decomposition model showed a significant disparity of average incomes, whereas an extension of the earlier model proposed by Juhn, Murphy and Pierce led to conclude that black-white income inequality evolves, beyond the means difference, a significant increase along the distribution, particularly on higher strata. Taking apart the striking effect of education, the conclusion is that the color effect (effect of racial discrimination) is decisive and increases along the income distribution.
Palavras-chave: Raça
Discriminação racial
Empregadores
Desigualdade de renda
Estratificação social
Race
Racial discrimation
Employers
Income inequality
Social stratification
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Goiás
Sigla da instituição: UFG
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais - FCS (RG)
Programa: Programa de Pós-graduação em Sociologia (FCS)
Citação: SANTOS, Neville J. V. A desigualdade no “topo”: estratificação racial e o efeito da “cor” sobre os rendimentos de empregadores negros e brancos no Brasil. 2016. 202 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6353
Data de defesa: 15-Fev-2016
Aparece nas coleções:Doutorado em Sociologia (FCS)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Neville Julio de Vilasboas e Santos - 2016.pdf2,53 MBAdobe PDFBaixar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons